Alterações no ritmo cardíaco durante a gravidez

As mulheres sabem que, na gravidez, muito mudará no seu corpo mas, por vezes, ainda que as mudanças externas sejam esperadas; as internas causam preocupação. Venha com o Bebé a Bordo conhecer as alterações no ritmo cardíaco durante a gravidez.

Desde os primeiros sintomas de gravidez e ao longo dos três trimestres de gestação, as mulheres grávidas sabem que sentirão um grande número de alterações na sua rotina e no seu corpo.

Algumas das alterações são visíveis, como o aumento dos seios ou do ventre. Outras, como a pressão arterial ou o ritmo cardíaco, no entanto, embora naturais, são desconhecidas de muitos.

A alteração do ritmo cardíaco na gravidez pode ser algo natural na gravidez, assim como acontece também com a tensão arterial que, como sabe, chega a gerar problemas de hipertensão gestacional.

Ainda assim, para que esta mudança não a assuste, deixamos alguns aspetos pertinentes sobre as alterações no ritmo cardíaco durante a gravidez.

Ritmo cardíaco regular e sua variação

Para uma pessoa saber o seu ritmo cardíaco regular, é usualmente recomendado que a sua medição se faça pela manhã e ainda na cama, antes de qualquer esforço ou alimentação. Este valor corresponde ao ritmo cardíaco de repouso e é, portanto, o ritmo cardíaco regular. (1)

Ainda que este ritmo cardíaco possa ter um determinado valor, não é expectável que o mesmo seja estável. Além de mudar perante situações de esforço, exercício ou ansiedade; este ritmo também tem propensão a sofrer alterações com a idade e em períodos específicos da vida, como a gravidez.

Ritmo cardíaco na gravidez

O mais comum é que, durante a gravidez, a gestante note um aumento ligeiro do ritmo cardíaco a cada mês de gestação.

A principal razão para este aumento nos batimentos cardíacos prende-se com a necessidade do corpo bombear o sangue – cuja quantidade é também maior durante a gestação – garantindo o aporte de oxigénio ao corpo da gestante e ao feto.

As hormonas gestacionais são grandes responsáveis por este processo, promovendo a dilatação das veias e artérias e permitindo que mais sangue seja bombeado a um ritmo mais célere.

Assim, se um adulto tem, por norma, entre 60 e 100 batimentos por minuto, o expectável é que para a gestante este valor aumente entre 10 e 20 batimentos. (2)

As alterações na pulsação são perigosas?

Normalmente, as alterações no ritmo cardíaco são um processo normal e ao qual o corpo reage de forma positiva.

Ainda assim, em algumas situações, a consulta de um médico pode ser importante. No caso de sentir que este aumento na pulsação está a causar dificuldades de respiração, dores no peito ou se o ritmo cardíaco for superior a 100 batimentos por minuto em períodos de repouso, consultar o seu médico pode ser importante, já que algumas situações comuns na gravidez, como o aparecimento de coágulos ou a anemia gestacional podem estar na base destes sintomas. (3)

Sabia que o ritmo cardíaco aumentava durante a gravidez? Sentiu esta alteração? Partilhe a sua experiência pessoal com as restantes mamãs do Bebé a Bordo.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo