Anemia gestacional, quais os sintomas de carência de ferro

A anemia gestacional é um problema comum durante a gravidez. Esta situação pode ter um impacto muito negativo no bem-estar da mamã e prejudicar também o feto. Sabe quais são os sintomas da carência de ferro e como esta situação pode levar à anemia gestacional? Venha descobrir com o Bebé a Bordo.

Durante a gestação, todo o cuidado é pouco e, por isso mesmo, nesta fase da vida, o medo das doenças triplica. Existem várias doenças e condições de saúde diretamente relacionadas com a gestação. Não é incomum, por exemplo, que uma mulher sofra, nesta fase, de hipertensão gestacional, obstipação ou hemorróidas.

Outra situação recorrente, derivada da falta de ferro na gravidez, é o aparecimento da anemia gestacional. Esta situação pode, pois, acarretar riscos para o desenvolvimento do feto e minar a experiência que a própria mulher tem na gestação, criando um desconforto quase constante, onde o cansaço toma conta dos dias.

O consumo de alimentos ricos em ferro durante a gravidez é, por isso mesmo, fundamental. As gestantes terão toda a vantagem em saber mais sobre a doença, sobre os sintomas de carência de ferro e sobre as formas de integrar, na sua rotina alimentar, os aliados que ajudam a combater estas situações.

Queremos ajudar. Por isso mesmo, hoje, olhamos para a anemia gestacional e levamos até si todo o conhecimento sobre os riscos desta doença, sobre os sintomas da carência de ferro e sobre a forma como pode prevenir ambas as situações.

Se também quer saber mais sobre a anemia gestacional, este artigo foi feito a pensar em si!

1. O que é a anemia gestacional? Consumo de ferro durante a gravidez

A anemia gestacional é um tipo de anemia desenvolvido durante a gravidez. Fundamentalmente, o que acontece é que o corpo da mulher, quando esta engravida, tem a necessidade de criar mais sangue. Este aumento de sangue no organismo da gestante é fundamental para o bebé e para o seu desenvolvimento.

Perante a falta de determinados nutrientes, entre os quais o ferro, o corpo da gestante poderá não conseguir produzir os glóbulos vermelhos necessários e, por isso mesmo, não conseguir dar o aporte necessário de oxigénio para os tecidos maternos e os do bebé.

Existem três tipos distintos de anemia gestacional, dos quais falaremos. Qualquer um destes tipos de anemia pode ser perigoso quando não existe um tratamento célere. Por isso mesmo, é fundamental que a mulher consulte o médico caso tenha algum dos sintomas desta doença.

Tipos de anemia gestacional ferro gestação anemia

Existem fundamentalmente três tipos diferentes de anemia gestacional, que dependem do tipo de nutriente do qual o organismo materno carece.


A anemia por carência de ferro é a mais comum entre as formas de anemia gestacional. Esta carência faz com que o corpo não tenha hemoglobina suficiente e, como tal, não faça o aporte necessário de oxigénio para o corpo e para o bebé.

A anemia por carência de folato é o segundo tipo de anemia gestacional. Como saberá, o ácido fólico é necessário na gravidez e uma das razões prende-se, justamente, com a função deste na criação de células sanguíneas.

Por fim, o terceiro tipo de anemia gestacional é a anemia por carência de vitamina B12. A saúde das células sanguíneas está também relacionada com esta vitamina e, na sua falta, situações como o parto prematuro ou problemas congénitos podem ocorrer.

Além destes três tipos de anemia gestacional, a perda de sangue (hemorragia) pode também causar situações de anemia gestacional.

2. Quais os sintomas da carência de ferro? Alimentos ricos em ferro

Sendo que o tipo mais comum de anemia gestacional se relaciona com a falta de ferro no organismo da gestante, torna-se fulcral conhecer os sintomas da carência de ferro para a gestante.

Entre os principais sintomas da carência de ferro, encontramos, pois, os seguinte:

– Sensação de cansaço e fadiga;
– Interior da pálpebra esbranquiçado;
– Tonturas;
– Dificuldades respiratórias;
– Palidez;
– Frio nas mãos e nos pés;
– Dores no peito;
– Dificuldades de concentração e memorização.

3. Quais os riscos da anemia gestacional? anemia gestacional

A anemia gestacional pode ser prevenida e tratada. Ainda assim, quando não o é, de forma atempada, esta pode gerar um cenário de anemia profunda e criar complicações, tanto para a gestante como para o bebé.

A anemia gestacional pode fazer com que se dê um parto prematuro, com que a criança nasça com baixo peso ou com problemas cognitivos. A morte fetal ou o falecimento do recém-nascido pode também ser decorrente deste problema de saúde. Ao longo do crescimento é ainda mais provável que o bebé veja diminuídas as funções cognitivas, apresentando dificuldades de aprendizagem, menores índices de inteligência e problemas comportamentais.

Já para a mãe, além de criar um mal-estar constante na gestação, esta situação está relacionada com problemas como o stress, a ansiedade e outros problemas de cariz emocional; sendo que aumenta ainda o risco de hemorragia na gestação ou no parto. O risco de morte materna é também aumentado nas gestantes com este tipo de problema.


Como prevenir e tratar a anemia gestacional?

A anemia gestacional pode ser prevenida através da manutenção de uma alimentação nutritiva e variada, que inclua nutrientes como o ferro, o ácido fólico e a vitamina B12.

Quando o problema apresentado pela anemia gestacional já não é passível de ser tratado apenas com a introdução dos melhores alimentos, pode tornar-se necessária a suplementação. Em casos severos, os médicos passam, inclusivamente, à administração intravenosa de ferro ou mesmo a uma transfusão de sangue.

Fale com o seu médico se suspeitar que poderá estar anémica.

Sofreu ou conhece alguém que tenha sofrido de anemia gestacional? Como solucionou este problema? Conte às restantes mamãs do Bebé a Bordo como esta situação impactou na sua vida durante a gravidez.

Algumas fontes: americanpregnancy  abc.med brasil.babycenter webmd nutricaoemfoco

ARTIGOS REMOMENDADOS
ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo