Ferro na gravidez

Ferro na gravidez, um apoio suplementar

É fundamental para a gravidez: um ambiente saudável, um espírito positivo e um cuidado extra com a sua saúde.

Como sabe, uma boa alimentação é muito importante em todos os momentos da vida mas, durante a gestação, esta torna-se imperativa.

No que diz respeito à nutrição da gestante, é sabido que esta influência de forma direta a formação do bebé, impactando na saúde do feto e garantindo que são evitadas consequências perigosas como as doenças degenerativas neuronais, as deformações cardiovasculares e até as alergias alimentares sofridas depois do nascimento da criança.

Uma alimentação cuidada, onde a gestante inclua, de forma equilibrada, os hidratos de carbono, as proteínas, os lípidos, as vitaminas e os minerais é absolutamente indispensável para garantir que a gravidez corre como tanto deseja.

Embora todos os nutrientes sejam importantes, existem alguns que merecem uma atenção extra.

O ácido fólico na gravidez, por exemplo, será absolutamente fundamental.

Da mesma forma, é importante atentar nos índices de ferro, sendo que este irá garantir o correto desenvolvimento fetal.

É sobre este último nutriente que nos debruçaremos no corrente artigo, para que saiba tudo o que precisa sobre a gravidez e o ferro.

Ferro na gravidez

1. Gravidez e ferro: de mãos dadas

O ferro é um mineral extremamente importante para a mamã, um vez que é ele que garante a formação da hemoglobina (ou glóbulos vermelhos) e que são estas que, transportando o oxigénio até às células, garantem a correta oxigenação do nosso corpo.

Durante a gravidez é comum que a mulher sofra de anemia – condição na qual o número de hemácias reduz significativamente – razão pela qual muitos especialistas optam pela prescrição de suplementos de ferro.

Estes suplementos podem ser tomados desde o inicio da gestação, se o médico assim o entender.

No entanto, é no terceiro trimestre da gravidez que o recurso aos mesmos se torna essencial.

Esta necessidade extra de ferro durante a gravidez prende-se com o aumento da quantidade de sangue no corpo da gestante (que pode ser até o dobro da quantidade normal), sendo necessário, por isso, que o corpo produza mais hemácias.

Além disto, o ferro é essencial para a sã manutenção da placenta e do bebé.

Quando a mulher se encontra anémica, sofrendo de um défice de hemoglobina, esta fica globalmente mais fraca.

Muitas vezes, a falta de ferro provoca, por isso, partos prematuros, bebés com um crescimento insuficiente e, em casos mais graves, até a morte do recém-nascido.

2. O apoio da alimentação

Sabendo das graves consequências inerentes à contração da anemia, os médicos optam, muitas vezes, por sugerir a toma de suplementos de vitaminas e de ferro.

Apesar desta prescrição, no entanto, a alimentação surge, também, como uma forte aliada no combate à anemia.

Opte por se alimentar de carnes vermelhas, uma vez que este alimento será o que melhor permitirá ao seu corpo processar o ferro.

Caso não possa comer carne, como acontece no caso de a futura mamã ser vegetariana, existem alguns legumes e verduras que irão, também, ajudar a suprir esta necessidade.

Opte por legumes como a beterraba, os brócolos, os espinafres e o tomate e inclua na sua alimentação as lentilhas, o feijão preto e os frutos vermelhos.

Os alimentos ricos em vitamina C irão estimular a absorção do ferro, pelo que pode optar por acompanhar as suas refeições com sumos naturais de citrinos.

No que respeita à alimentação será importante, ainda, que tenha atenção ao que deve ser abolido.

O consumo de chá preto e café, por exemplo, irão interferir na correta absorção do ferro, uma vez que contém fenóis, uma substância que anula este nutriente.

tabela alimentos ricos em ferro

3. A gravidez e o ferro em suplemento

Como já foi anteriormente referido, é muito provável que o seu médico sugira a toma de suplementos alimentares ricos em vitaminas e ferro.

Isto irá garantir que, independentemente da sua alimentação, o corpo absorve o ferro e produz hemoglobina suficiente.

Ainda assim, devido aos efeitos secundários destes suplementos (que podem ir da prisão de ventre na gravidez, às hemorróidas e náuseas), é muito importante que mantenha sempre um discurso frequente e honesto com o médico, para que este possa garantir que a marca e a dosagem deste nutriente estão de acordo com o seu bem-estar e as suas necessidades.

Embora, no que respeita a gravidez e ferro, a toma de suplementos tenda a ser vantajosa, é muito importante que contacte um especialista antes de se aventurar na auto medicação.

Lembre-se que, em sobre dosagem, até o melhor dos nutrientes pode ter efeitos nocivos!

Sofreu de anemia durante a gravidez? Sentiu a necessidade de recorrer a suplementos de ferro?

Não deixe de nos contar qual foi a opinião do seu médico e de que forma estes suplementos impactaram na sua gravidez.

Comente este artigo