5 coisas sobre a maternidade que ninguém lhe contou

Quando uma mulher engravida, são muitas as vozes que se somam em conselhos e frases de felicidade e motivação. Ainda assim, existe muito sobre a maternidade que fica por dizer, seja pelo medo de ir contra as noções socialmente aceites ou simplesmente porque, para quem já viveu a maternidade, são naturais e não merecem destaque.

Venha com o Bebé a Bordo conhecer 5 coisas que ninguém lhe contou sobre a maternidade.

Descobriu que estava grávida e, provavelmente, já terá ouvido, desde então, vozes femininas a contarem o melhor da gravidez – e o pior – bem como todas as coisas boas que a maternidade acarreta.

Desde o teste de gravidez positivo e até à hora H, no entanto, existem muitas coisas que, provavelmente, ninguém lhe disse para que pudesse plenamente preparar-se para maternidade e todos os seus desafios.

Tal como existe o desejo da mãe dar conselhos para a vida ao seu bebé, algumas mulheres começam a sentir também a necessidade de passar aos seus pares uma narrativa menos romântica e mais realista sobre a maternidade.

Assim, hoje, principalmente na Internet, algumas mães bloggers fazem relatos mais exatos sobre o que a maternidade realmente é, ajudando muitas mulheres a compreender que, de facto, nem todos os momentos são tão positivos quanto as narrativas “politicamente corretas” fazem crer. (1)

Hoje, apresentamos 5 coisas sobre a maternidade que ninguém lhe contou (mas que devia saber).

1. A maternidade afeta o casamento

Por mais bonita que seja a relação entre a mãe e o pai, a verdade é que a maternidade – de uma ou outra forma – acaba sempre por afetar um casamento. 

Para começar, o facto de existirem diferenças de personalidade e de educação entre os progenitores, costuma motivar algumas discussões entre estes sobre as melhores formas de cuidar do bebé. (2)

Além disto, depois do parto, o retorno à sexualidade pós-parto pode criar alguma tensão e apreensões no casal.

Deve recordar, ainda assim, que a comunicação entre mãe e pai afeta a criança e que todos os problemas podem ser solucionados.

2. Existe uma pressão e crítica constante

A pressão à qual as mães estão sujeitas é muito intensa e haverá uma verdadeira ansiedade causada por ela.

As noções sociais do que uma mãe deve ser deixam as recém-mamãs sob o escrutínio alheio e faz com que os estereótipos de género e as noções do que representa uma “boa mãe” sejam constantemente ouvidos. (3)

3. Haverá um sentimento de culpa no regresso à vida regular

regresso à vida profissional após a licença de maternidade será mais difícil do que imagina. Para muitas mulheres, a ideia de deixar a criança com os avós ou na creche gera uma verdadeira sensação de culpa e ansiedade.

Para algumas mulheres o sentimento de culpa é tão forte que sentem que estão a “abandonar” a criança. Esta é a razão pela qual muitas mulheres acabam por desistir da sua vida profissional.

4. O seu corpo vai alterar-se

Muito muda no corpo feminino depois da gravidez e, para algumas mulheres, esta alteração pode ser traumática.

A pressão social para voltar à forma pré-gravidez é intensa e o olhar da mulher sobre o seu próprio corpo é, por si, bastante crítico.

Apesar de essas alterações serem naturais e desejáveis durante a gravidez, a verdade é que a indústria da beleza tem um forte impacto na forma como as mulheres encaram a situação, gerando uma grande ansiedade na recém-mamã.

5. Vai sentir-se conectada com outras mães

Além do vínculo com o bebé, é natural que sinta uma conexão intensa com outras mães, mesmo que não as conheça pessoalmente. (4)

Esta empatia é gerada por um sentimento de identificação com as suas vivências e histórias.

Foi esta a sua experiência com a maternidade? Qual foi a coisa que gostaria que lhe tivessem contado antes de ser mãe? Partilhe com as restantes mães do Bebé a Bordo.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo