Na gravidez posso pintar o cabelo?

Pintar o cabelo, tudo o que precisa de saber sobre os produtos a (não) usar na gestação

Ao receber a notícia de que está grávida, a sua vida muda instantaneamente.

Subitamente, tem mais atenção à alimentação, ao exercício físico, à rotina diária. Quer que tudo corra pelo melhor e cada pormenor, por mais pequeno que seja, conta.

É assim que nasce a preocupação com o uso de determinados produtos e com a manutenção de alguns hábitos que, até ao momento, não questionava.

Acredite: não é só consigo. É bastante comum que, durante a gestação, surjam dúvidas na sua mente que, anteriormente, não existiam.

Hoje, propomo-nos explorar uma dessas preocupações: a coloração do cabelo durante a gravidez.

Acompanhe-nos nesta viagem ao mundo da beleza do seu cabelo durante a gestação e saiba tudo o que pode (e não pode) fazer durante este período da sua vida.

 

Pintar o cabelo durante a gravidez

1. Pintar o cabelo na gravidez

Talvez não fizesse parte dos seus planos… mas a raiz do seu cabelo começa a notar-se, os cabelos brancos estão a incomodá-la e, em geral, já não se sente bem quando olha ao espelho.

É o sentimento mais comum do mundo.

As mulheres gostam de se cuidar e, num momento de intensa alegria, como a gestação, é natural que queiram que a sua aparência reflita o estado de espírito, irradiando felicidade e perfeição.

Ainda assim, é um tema controverso entre gestantes: será seguro pintar o cabelo durante a gravidez?

Será que os químicos da tinta não vão fazer mal ao bebé?

Poderá a coloração ter implicações negativas durante a gestação?

Estas são algumas das questões levantadas e que geram dúvidas, tanto na comunidade clínica como na indústria cosmética.

A discussão é longa e são muitas as vozes divergentes, o que se explica pela inexistência de estudos científicos concretos que sustentem a questão.

As tintas utilizadas para colorir os cabelos têm, por norma, na sua composição substâncias como o amoníaco, o benzeno ou o formol, produtos químicos que poderão ser absorvidos no couro cabeludo, principalmente porque esta é uma zona com bastantes vasos sanguíneos.

Por esta razão, são muitos os especialistas que consideram que, principalmente durante os três primeiros meses de gestação, a coloração do cabelo pode ter consequências prejudiciais para o feto.

Outros, no entanto, minimizam as consequências ou reprovam mesmo a ideia.

Seja verdade ou mito, o facto é que, por uma questão de segurança, procedimentos de coloração e outros tratamentos de base química (como os alisamentos e as permanentes) deverão ser evitados durante a gestação e completamente abolidos nos primeiros três meses da gravidez.

2. Opções viáveis para pintar o cabelo durante a gravidez

É claro que, num tempo onde a imagem é socialmente tão importante, encontrará soluções para contornar esta dificuldade.

Por isso, embora não recomendemos as tintas químicas, a resposta à pergunta “na gravidez posso pintar o cabelo” é sim!

Muitos especialistas irão recomendar-lhe produtos naturais como a tinta sem amoníaco ou a henna.

Se preferir, poderá também fazer a aplicação da sua tinta normal, evitando que esta toque a raiz do cabelo: a oportunidade perfeita para experimentar coisas novas e fazer algumas luzes, reflexos e madeixas no seu cabelo.

Estes procedimentos são feitos, pois, com recurso a uma touca que evita que a tinta tenha contacto com o couro cabeludo.

3. Outros produtos para o cabelo

Como já referimos, o principal problema dos produtos utilizados no quotidiano é a presença de químicos na composição dos mesmos.

Por esta razão, é muito provável que, durante a gravidez, não tenha a necessidade de trocar o seu champô, amaciados, condicionar, gel, spray ou espuma de cabelo.

Isto porque, na sua grande maioria, estes produtos não contam com nenhum elemento susceptível de prejudicar a sua saúde ou a do seu bebé.

Desta forma, se utiliza os produtos mais comuns e regulares, poderá manter a sua rotina de higiene e beleza capilar sem preocupações.

No caso de utilizar um champô que necessite de receita prescrita por um médico, como champô para o tratamento da caspa, será importante a consulta com o especialista, para perceber se o produto é, ou não, adequado durante o período de gestação.

Champô à base de cortisona, por exemplo, não será adequado durante este período.

Queremos saber: como foi a sua experiência?

Chegou a pintar o cabelo na gravidez? Sentiu a necessidade de alterar algum produto ou rotina?

Não deixe de partilhar connosco a sua experiência pessoal.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo