Consumo insuficiente de água na gravidez: conheça os riscos

A água é fundamental para o bom funcionamento do organismo e, durante a gestação, esta é ainda mais importante. Saiba quais os riscos do consumo insuficiente de água na gravidez.

As manifestações físicas do consumo insuficiente de água são sempre nocivas para o bem-estar de qualquer indivíduo e não é por acaso que os especialistas de saúde insistem para que se beba cerca de dois litros de água por dia.

O corpo humano é fundamentalmente formado por água e todos os seus órgãos necessitam da hidratação diária para poderem funcionar corretamente.

Como quase tudo, na gravidez, também o consumo de água deve ser feito de uma forma mais cuidada e rigorosa, já que a escassez de água no organismo pode degenerar em intensos problemas para a saúde e para a gestação.
Assim, as futuras mamãs devem saber quais os sinais de que o corpo está a ser insuficientemente hidratado e apostar fortemente no consumo de água.
Venha conhecer os sinais e os riscos de um consumo insuficiente de água durante a gravidez.

Consumo insuficiente de água na gravidez: conheça os riscos

1. Redução na quantidade de líquido amniótico

A parca ingestão de água pode fazer com que a quantidade de líquido seja menor, o que pode gerar severos problemas na gestação.
Esta condição, também conhecida como oligodrâmnio, pode levar a problemas como restrição do crescimento uterino, dificuldades no parto ou mesmo morte fetal. (1)

2. Desenvolvimento de problemas cardíacos

Ingerir pouca água pode levar ao espessamento do sangue e consequente esforço cardíaco, o que faz com que o bombeamento do sangue e o aporte de oxigénio aos órgãos possa ser mais difícil para o organismo.
Esta situação pode gerar dores de cabeça na gravidez, menos fornecimento de oxigénio ao feto e sensações como tonturas e desmaios na gestante.

3. Sobreaquecimento corporal

A temperatura corporal das gestantes já é, por norma, superior. Ainda assim, quando bebe pouca água, esta temperatura pode aumentar ainda mais e oferecer perigos para a gestação e para o feto.

Vale a pena recordar que, quando se bebe água em quantidades insuficientes, existe menos sudorese – um mecanismo natural de termorregulação. 

4. Aumento do risco de prisão de ventre

obstipação na gestação é um problema bastante comum e que afeta várias gestantes. (2)

O consumo insuficiente de água pode fazer com que este problema agrave, criando fortes dores de barriga na gravidezcólicas e mal-estar.

5. Propensão para infeções urinárias

Sendo já bastante comuns na gravidez, as infeções urinárias podem ser agravadas pelo parco consumo de água. (3)
Isto acontece porque os rins tendem a entrar em esforço e se tornam mais propensos a infeções e outros problemas renais.

Costuma beber água durante o dia? Sabia quais os riscos de um consumo insuficiente de água na gravidez? Partilhe as suas opiniões com os restantes leitores do Bebé a Bordo.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo