Dor de cabeça na gravidez, o que posso fazer?

A dor de cabeça é sempre incomodativa mas, durante a gestação, a preocupação aliada a este sintoma não se deve apenas ao desconforto causado. Sabe por que razão é tão comum a dor de cabeça na gravidez? Sabe como pode preveni-la e tratá-la?

Então, está na hora de descobrir com o Bebé a Bordo.

Ao longo da nossa vida, existem constrangimentos que, embora causem desconforto, não levantam preocupações de maior. Um deles é, sem dúvida, as dores de cabeça.

Todos nós já sentimos dores de cabeça e, de forma mais ou menos despreocupada, nos dirigimos ao armário dos medicamentos e resolvemos o problema com facilidade.

Ora… na gravidez não só esta leviandade de ação é impossível, visto que a gestante não pode tomar a grande maioria dos medicamentos sem aconselhamento ou prescrição médica; como, infelizmente, parece que as dores de cabeça surgem de forma mais intensa e frequente.

Esta problemática, que se junta a outras, como a diarreia na gravidez ou a candidíase na gravidez, faz parte das questões da gestante que, não querendo continuar a lidar com os sintomas e a sentir o desconforto, dá por si a questionar o que pode fazer para prevenir ou tratar estas dores.

Hoje, foi sobre a questão das dores de cabeça na gravidez que nos debruçámos, tentando perceber melhor quais as razões que motivam o seu aparecimento durante a gestação e quais as melhores estratégias para as futuras mamãs evitarem o problema ou o resolverem.

Se quer descobrir mais sobre as dores de cabeça na gravidez e descobrir o que pode fazer para as melhorar, este artigo é mesmo para si.

1. A dor de cabeça na gravidez Dor de cabeça na gravidez

A dor de cabeça na gravidez é uma queixa frequente nas futuras mamãs, principalmente durante os primeiros meses de gestação.

As dores de cabeça na gravidez podem ser de dois tipos distintos.


As tensionais apresentam-se como uma dor de cabeça incómoda mas natural e que não tem consequências maiores para a mamã ou o feto.

Por outro lado, as enxaquecas podem ser um sintoma de algo mais severo, sendo importante consultar o médico para garantir que não se trata de um indicador de pré-eclâmpsia e que não levará a situações como o parto prematuro ou mesmo a morte fetal.

Na grande maioria dos casos, no entanto, a dor de cabeça surge logo no início da gravidez e não significa que a gestante esteja em perigo. Nesta fase, o aumento dos índices de progesterona no corpo pode levar a esta sensação de dor.

Por esta razão, a dor de cabeça é mesmo considerada um dos sintomas de gravidez, sendo um sinal de alerta para que se faça o teste de confirmação.

Além dos níveis de progesterona, alguns dos fatores que podem promover a dor de cabeça são: a privação de sono, o cansaço, as constipações, as alergias, a depressão, o stress, a tensão nervosa, a desidratação e a fome.

Na gravidez, as dores de cabeça tendem a melhorar a partir do segundo trimestre.

Caso estas persistam ou sejam demasiado intensas, no entanto, será importante a consulta de um médico.

Ainda que sejam ténues e passem naturalmente, recomenda-se também que mencione, na consulta de rotina, que tem sentido estas dores.

2. Prevenir a dor de cabeça na gravidez

Melhor do que tratar as dores de cabeça na gravidez seria, claro, evitá-las à partida. E, por isso mesmo, existem algumas estratégias que todas as gestantes deveriam conhecer.

Para evitar que apareçam as dores de cabeça na gravidez será, antes de mais, importante que evite as situações que tendem a provocá-las.


Assim, a sua alimentação deve ser regrada, evitando-se longos períodos de jejum; a hidratação do corpo deve ser promovida ao longo do dia; as situações de stress e ansiedade devem ser evitadas e as horas de sono devem ser respeitadas.

Além disto, a prática de exercícios de relaxamento (como o yoga, por exemplo) e a prática de exercício físico adequado à sua condição (como a hidroginástica ou as caminhadas) poderá ser fundamental para evitar o aparecimento das dores de cabeça.

A rotina é outra das suas aliadas neste processo.

Se mantiver horários, ao longo do seu dia, para se alimentar e dormir, o corpo reagirá melhor, terá um funcionamento mais eficaz e as dores de cabeça terão menos tendência para se fazer sentir.

3. Tratar a dor de cabeça na gravidez

Quando as técnicas de prevenção da dor de cabeça na gestação não funcionam, a última coisa que deve fazer é avançar para a automedicação.

Alguns medicamentos de uso corrente e venda livre, como a aspirina e ibuprofeno (de venda livre apenas nas dosagens de 200 e 400 mg) são extremamente perigosos durante a gestação.

Embora seja permitido, na maioria dos casos, o paracetamol não deve também ser tomado sem primeiramente consultar o médico.

Assim, no que diz respeito a tratar a dor de cabeça na gravidez, o melhor curso de ação será mesmo consultar o especialista que a acompanha e perceber quais os medicamentos ou métodos que este recomenda para o seu caso específico.

Sofreu de dores de cabeça na gravidez? Falou com o seu médico sobre esta questão? Conte-nos qual foi a sua opinião e de que forma resolveu este problema. A sua experiência será, certamente, muito útil para outras mamãs na mesma situação.

Algumas fontes: mayoclinic  americanpregnancy  babycenter  brasil.babycenter  br.guiainfantil  maemequer

ARTIGOS REMOMENDADOS
ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo