Covid-19: conselhos da DGS para a alimentação infantil saudável

Em fase de isolamento social, a alimentação saudável torna-se ainda mais importante para garantir a saúde dos nossos filhos. Venha conhecer com o Bebé a Bordo alguns dos conselhos da DGS para garantir a melhor rotina alimentar infantil durante o período de contenção do Covid-19.

O começo atribulado de 2020 fez com que, de repente, a vida mudasse por completo. Desde Março, a pandemia do Covid-19 tem obrigado, mundialmente, à aplicação de medidas de contenção do Coronavírus que implicam, entre outras medidas, ao fecho das escolas e ao isolamento social.

Muitas questões pertinentes têm sido colocadas sobre o Covid-19. Entre estas, saber qual a sua manifestação nas mulheres grávidas e nas crianças ou compreender as razões que relacionam a vitamina D e o vírus.

Além destas, predominam ainda perguntas sobre as melhores atividades para a quarentena e sobre a forma de contornar os desafios motivados pela permanência em casa.

Um desses desafios, sem dúvidas, relaciona-se com a alimentação dos mais novos durante este período, já que se trata de uma fase mais sedentária e onde o consumo televisivo pode motivar o impulso pelos snacks hipercalóricos promovidos pela publicidade.

Preocupada com esta questão, a Direção-Geral da Saúde (DGS) fez algumas sugestões para evitar que o isolamento tenha efeitos nocivos na saúde da criança, motivados por uma alimentação incorreta. Esta informação, dirigida aos pais, cuidadores e encarregados por crianças, tem vários pontos que merecem a nossa atenção.

Conheça alguns dos conselhos da DGS para uma alimentação infantil saudável durante o tempo de isolamento social.

1. Frutas e legumes são imperativos

O primeiro ponto referenciado pela DGS refere-se à imensa importância da inclusão de produtos hortícolas e de frutas na alimentação das crianças.
Para tal, recomenda-se que insista na apresentação de sopa e de fruta nas várias refeições diárias da criança.

2. Cuidado com as bebidas

Por mais que as crianças apreciem as bebidas açucaradas, estas devem ser evitadas, principalmente agora que o gasto energético é menor devido ao confinamento e que o exercício físico fica reduzido. 

Durante este período de isolamento social, recomenda-se que promova uma habituação da criança ao consumo de água, já que isto tornará a sua alimentação mais salutar, reduzirá o risco de aumento excessivo de peso e ajudará a manter a criança hidratada e saudável. É ainda um bom hábito para cultivar ao longo da vida.

3. Cortar no Fast Food

Fast Food faz parte das nossas vidas e, por vezes, o apelo pela facilidade de acesso a estas comidas, que podem ser encomendadas e entregues à porta, faz com que se quebrem as regras da alimentação saudável, principalmente quando existe insistência por parte das crianças. 

Este tipo de alimento é conhecido como “lixo alimentar” por uma razão e deve ser evitado, já que estamos a falar de alimentos repletos de gordura, açúcar e sal, que constituem refeições hipercalóricas e com pouco valor nutritivo. Poderá apostar em alternativas mais saudáveis e igualmente deliciosas.

4. Variar está na ordem do dia

A permanência em casa não significa que a rotina tenha de se tornar também repetitiva nos sabores que povoam a mesa. 
Seguindo a roda dos alimentos encontrará um vasto leque de ingredientes e opções saudáveis que pode apresentar ao seu filho.

Pratos coloridos e divertidos, com um toque de inovação e a introdução de novos sabores, poderão ser uma boa forma de garantir a correta alimentação de toda a família. 

5. Produtos lácteos devem ser incluídos

Segundo a DGS é importante recordar a inclusão do leite e dos seus derivados, em doses reguladas, no quotidiano alimentar das crianças. Fonte de cálcio e também de outros minerais e vitaminas, o leite deve ser consumido diariamente, não se ultrapassando um máximo de 500 ml diários.

Já tinha ponderado o papel da alimentação na saúde do seu filho durante este período de isolamento? Como têm sido as refeições na sua casa? Conte a sua opinião sobre os conselhos da DGS às restantes famílias do Bebé a Bordo.

Fonte: covil-19 alimentação saudável

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo