A telescola e as crianças em tempo de Covid-19

O Covid-19 levou a que as escolas portuguesas encerrassem as suas portas para tentar conter a disseminação da pandemia. Isto gerou um isolamento social das crianças e adolescentes e motivou o regresso da telescola. Saiba mais sobre o ensino à distância em tempo de Coronavírus.

O anúncio de que as escolas portuguesas seriam encerradas era esperado pelos portugueses mas, ainda assim, gerou preocupações nos pais. Não sabendo muito sobre os efeitos do Covid-19 nas crianças ou sobre os métodos de ensino e, em muitos casos, ainda a trabalhar no regime normal, os pais tiveram inúmeras preocupações.

Já em casa, em isolamento, novas questões pareciam surgir nos pais, nomeadamente sobre a suplementação dos filhos e se deveriam investir na mesma.

O tempo foi passando, com sucessivas medidas governamentais aplicadas para conter a pandemia e resultou, por fim, em algumas decisões definidoras sobre o futuro do ano lectivo de 2019/20.

Estas medidas levaram ao reaparecimento da telescola. Venha conhecer melhor o que é esperado deste ensino à distância e a opinião dos pais sobre a mesma.

Telescola: um regresso em tempo de pandemia

Ficou definido que as escolas se manteriam fechadas durante algum tempo, pela necessidade de evitar que os alunos fossem contagiados com o Coronavírus. Neste sentido e para evitar que o ano escolar seja totalmente perdido, o governo manifestou a vontade de regressar às aulas digitais e de promover a literacia tecnológica. (1)

Este novo desafio para os professores, que deveriam ter a capacidade de transcender as aulas presenciais para informar e ensinar os seus alunos partiu de uma parceria do Ministério da Educação com a Google, passando pela plataforma do Youtube. (2)

Uma nova forma de ensino, através da telescola, ficou prevista para se iniciar a partir do dia 20 de Abril de 2020, sendo que os professores passarão a poder disponibilizar desta forma o conteúdo das suas aulas.

Opiniões sobre telescola dividem os pais

Enquanto alguns pais pensam que a iniciativa que promove aulas à distância é positiva para o desenvolvimento e a aprendizagem dos filhos, outros têm-se manifestado profundamente contra esta ideia.

Para muitos pais, para começar, conciliar a atenção que teriam de dar aos filhos neste processo com os seus próprios trabalhos em regime de Home Office é desafiante, tornando a tarefa quase impossível. Aqui, existia ainda a dificuldade – agora parcialmente superada em alguns municípios pela entrega de tablets às crianças sem computador – de que os pais teriam de partilhar o seu computador com os mais pequenos.(3)

Além destes argumentos, alguns pais simplesmente demonstram um grande negativismo quanto a esta forma de ensino, afirmando que não passa de uma manobra de marketing político que, na realidade, em nada contribui para que as crianças possam aprender as temáticas lecionadas. (4)

Qual é a sua opinião sobre o ensino à distância perante a situação que agora atravessamos? Conte a sua opinião aos restantes leitores do Bebé a Bordo.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo