Acetaminofeno: os novos riscos descobertos pela ciência

O acetaminofeno poderá ter mais riscos na gravidez do que os antigamente previstos. Venha com o Bebé a Bordo saber o que dizem os novos estudos sobre os riscos deste princípio ativo para a gestante.

Já tínhamos olhado para o paracetamol na gravidez e os seus riscos. Ainda assim, no que diz respeito ao acetaminofeno – também conhecido como paracetamol – novas descobertas continuam a ser feitas, numa ciência que, como sabemos, está em permanente evolução.

Estudos recentes analisaram os efeitos do acetaminofeno na gestação e chegaram a conclusões novas e, em alguns casos, mesmo contraditórias, face ao que se acreditava ser um medicamento relativamente seguro.

Tratando-se a gestação de uma época com desconfortos comuns e grandes preocupações, conhecer as novas informações sobre a saúde e os fármacos na gestação é fundamental.

Venha conhecer as novas descobertas sobre o paracetamol, ficando a saber os riscos do acetaminofeno na gestação, segundo os novos estudos.

Acetaminofeno: os novos riscos descobertos pela ciência

Qual é o novo estudo sobre o acetaminofeno?

Sobre o acetaminofeno – ou paracetamol – têm sido realizados inúmeros estudos, que tentam analisar as suas várias ações e efeitos potenciais, para garantir que não existem riscos na sua toma durante a gestação.

Sendo um dos medicamentos até agora considerados seguros para as grávidas, este mantém-se no centro das atenções científicas e saem, sobre ele, novas revisões regulares.

Recentemente, um novo estudo alertou para novos riscos na toma de acetaminofeno na gestação. Este estudo, publicado na JAMA Psychiatry, analisou mais de mil casos entre 1998 e 2018 para concluir que existe o risco de que o consumo deste medicamento possa aumentar o risco de déficit de atenção e hiperatividade e também de transtorno do espectro do autismo. (1)

Os resultados do estudo

O aumento do risco de transtorno do déficit de atenção e hiperatividade e de transtorno do espectro do autismo nas crianças é a teoria do estudo mencionado. 

Com a análise de biomarcadores de acetaminofeno no sangue do cordão umbilical, estes investigadores concluíram que 1 criança em cada 4 teria déficit de atenção e hiperatividade e 1 em cada 7 teria transtorno do espectro do autismo, sendo que 25% destas crianças teria ambos os transtornos. (2)

Apesar destes resultados, a comunidade científica parece não concordar inteiramente com os resultados do estudo, existindo especialistas que apontam para a segurança dos medicamentos à base de paracetamol durante a gravidez.

Recordamos que este é um dos medicamentos de uso mais comum na gravidez. Recomendamos que consulte o seu médico antes de proceder à toma de qualquer medicamento durante a gestação.

Tomou acetaminofeno/paracetamol na sua gestação. O que disse o seu médico sobre este medicamento? Partilhe a sua experiência pessoal com os demais leitores do Bebé a Bordo.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo