Parentalidade positiva: o que é e para que serve?

O conceito de parentalidade positiva está na ordem do dia? Sabe o que é a parentalidade positiva e quais os seus princípios? Descubra mais com o Bebé a Bordo.

Existem várias formas de educar os filhos e, sem dúvida, estas têm estado no centro das conversas parentais.

Numa época onde se colocam culpas para descobrir porque se criam cada vez mais bebés estufa e crianças mimadas, os pais parecem procurar novas formas de se relacionar com os filhos para criarem crianças bem adaptadas e felizes.

A busca pelas regras de ouro no slow parenting ou pelas dicas para comunicar com os filhos fazem-se a par com a descoberta das razões para ensinar o seu filho a dizer “obrigado” e “por favor”.

Neste processo, um conceito incontornável é o de parentalidade positiva. Venha saber mais sobre ele.

O que é a parentalidade positiva?

Nascida das noções da Psicologia Positiva, a parentalidade positiva prende-se com um comportamento adotado por parte dos pais, que tem por base o melhor interesse da criança, no sentido de garantir o suprir das suas necessidades, sem a aplicação de violência verbal ou física. (1)

Este tipo de parentalidade implica a orientação dos filhos, fixando limites para o seu comportamento e com a intenção de garantir o melhor desenvolvimento das crianças.

A parentalidade positiva ancora-se, por isso, em fundamentalmente cinco aspetos. Entre estes, os pais deverão compreender quais são as necessidades da criança em termos físicos; garantir a sua segurança; promover o seu correto desenvolvimento e comportamento, estimulando-a; aprender a comunicar com os filhos de forma positiva; e aplicar os princípios de uma disciplina positiva para a criança. 
.

Quais os maiores erros dos pais segundo a parentalidade positiva?

A parentalidade positiva trata-se de uma forma de educar que se baseia no respeito mútuo e um dos erros frequentes dos pais quando tentam aplicar os seus vetores é a tentativa de atingir a perfeição. (2

O excesso de permissividade, bem como um autoritarismo excessivo, são duas formas de comportamento a evitar dentro da parentalidade positiva.

Algures entre a permissividade e autoritarismo, a parentalidade positiva trata-se de uma forma de educar onde existe espaço para limites e regras mas também para a comunicação, a empatia, o afeto e o carinho.

Apesar de este modelo ser bastante aclamado pela forma positiva como motiva a criança a adotar bons comportamentos e a crescer de forma saudável, existem também algumas críticas sobre o seu potencial utópico. (3)

Já conhecia o conceito de parentalidade positiva? Qual a sua opinião sobre esta temática? Partilhe a sua opinião com os restantes leitores do Bebé a Bordo.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo