Coronavírus também afeta as crianças: quais medidas de proteção que posso fazer?

O coronavírus trata-se de uma família de vírus que pode afetar qualquer pessoa, incluindo crianças e, como tal, os pais encontram-se alarmados com esta potencialidade. Venha com o Bebé a Bordo saber mais sobre as medidas de proteção que pode ter para com os seus filhos.

O recente surto de coronavírus tem vindo a tornar-se uma preocupação internacional. O pânico já superou as fronteiras da China, onde a situação se encontra mais descontrolada, e existem vários relatos de adultos e crianças internados no mundo por suspeita de terem contraído o vírus. (1)

Uma vez que o desejo dos pais é sempre ter filhos saudáveis – o que pode, inclusivamente, estar a resultar em bebés estufa – os pais encontram-se alarmados com a situação deste vírus, pela sua potencialidade de afetar também os mais pequenos.

Com sistemas imunitários menos desenvolvidos e mais frágeis, esta preocupação torna-se premente perante as narrativas mediáticas atuais. Venha saber quais as medidas de proteção a adotar e, em concreto, do que falamos quando referimos o coronavírus.

O que é o coronavírus?

O ser humano tem sido afetado por um surto de coronavírus. Esta família de vírus é, pois, responsável por uma infeção cujos sintomas são muito semelhantes aos de uma gripe.

Embora não se conheçam todas as potenciais formas de transmissão deste vírus, sabe-se que uma das formas mais comuns é mediante o contacto com animais infetados ou com partículas e superfícies contaminadas. Espirros e tosse podem gerar a sua transmissão por contacto. (2)

Similares aos da gripe, como já se referiu, os sintomas do coronavírus são febres, tosse, falta de ar e agravamento de problemas respiratórios. 
Esta doença pode ser mais perigosa em pessoas com doenças crónicas ou com o sistema imunitário mais frágil, tal como idosos e crianças.

Que medidas podem ser aplicadas para prevenir a doença?

Até ao momento, não se conhece uma vacina para prevenir esta doença mas têm surgido recomendações, principalmente para quem retorna de viagens da china.

A procura de serviços de saúde perante o contacto com animais ou pessoas doentes, ou na manifestação de sintomas; a restrição de frequência de espaços com mais gente; a lavagem frequente das mãos; tapar a boca quando se espirra ou tosse; descartar os lenços de papel após a utilização e usar máscara cirúrgica são algumas das medidas propostas. (3)

Além disto, evitar alimentos mal cozinhados e estar atento às diretivas do Serviço Nacional de Saúde é também importante para manter as crianças livres de perigo.

Embora, em Portugal, não exista ainda qualquer motivo para alarme, estar atento à situação e saber mais sobre o coronavírus pode ser importante para si e para os seus filhos. Esta situação preocupa-o? Partilhe os seus pensamentos com os restantes leitores do Bebé a Bordo.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo