Palavras de cortesia: razões para ensinar o seu filho a dizer “obrigado” e “por favor”

Educar as crianças, ensinando-as a dizer “obrigado”, a cumprimentar ou a pedir “por favor” pode parecer um procedimento natural. A sua importância, no entanto, pode ser ainda maior do que imagina.

Saiba, com o Bebé a Bordo, de que forma o ensino destes valores pode impactar na vida do seu filho.

Criar uma criança não é tarefa simples e, apesar de todos os pais tentarem passar às crianças os melhores valores, muitas têm sido as criticas colocadas às novas gerações.

As chamadas “crianças mimadas”, desatentas às necessidades alheias e focadas no prazer próprio e imediato, que engajam em birras quando não vêm cumpridas as suas vontades são cada vez mais comuns. 

Embora a intenção de todos os pais seja criar crianças felizes para terem filhos bem adaptados e saudáveis, a verdade é que nem sempre se compreende que as principais normas sociais e emocionais, incluindo as questões do respeito, da empatia e da reciprocidade, se iniciam com pequenos gestos… e em tenra idade.

O papel de palavras como “obrigado”, “por favor”, “com licença” ou “bom dia” é maior do que se imagina para promover um crescimento sadio da criança e promover a sua integração social.

A inclusão destes hábitos, desde jovem, pode alterar toda a dinâmica das suas interações futuras. Venha conhecer a importância do ensino destes valores ao seu filho.

1. Valores a transmitir às crianças: as palavras-chave

As palavras podem parecer simplesmente palavras para algumas pessoas mas, na verdade, constituem importantes ferramentas para a transmissão de valores às crianças.

Insistir com a criança para que inicie o contacto com outrem usando “bom dia” ou ensinar que deve pedir “por favor” e dizer “obrigado” no final não se trata apenas de uma convenção social ou de um traço de educação. Este ensinamento trata-se de uma forma de garantir o próprio desenvolvimento social e emocional, fomentando a adaptação e a reciprocidade. (1)

Descobertas na área da psicologia e da sociologia têm vindo a demonstrar que estas palavras-chave e a promoção do seu uso desde tenra infância pode contribuir para a edificação de sociedades mais cívicas e respeitadoras, onde as interações sociais aconteçam de forma mais harmoniosa e tolerante.

Quando devem ensinar-se estas palavras às crianças?

A construção deste tipo de hábito deve ser fomentada desde muito cedo. A cortesia de expressões como “obrigado” ou “por favor” pode começar a ser incutida mesmo quando o bebé ainda está a iniciar a fala.

Na verdade, alguns estudos demonstram que, nesta fase, o bebé é bastante recetivo a este tipo de estímulo.

Segundo os especialistas, a melhor fase para que estes valores sejam incutidos acontece entre os 2 e os 7 anos, sendo esta uma fase em que, de forma muito natural e quase inadvertida, a criança começa a tomar atenção a questões como o respeito, a justiça, a empatia e a partilha.

2. O papel do agradecimento na formação das crianças

Segundo os estudiosos da área da neurologia, os cérebros das crianças estão preparados para ser “cérebros sociais”. Isto é, a criança tem uma grande capacidade de se conectar com o outro.

Desta forma, a maneira como a criança interage afeta a forma como as suas interações sociais acontecem, não só na infância, mas também na idade adulta.

Existe, portanto, uma forte conexão entre as práticas como o agradecimento e as respostas emocionais de um indivíduo ao longo da sua vida.

Ensinando hábitos como agradecer às crianças – através de algo tão simples quanto dizer “obrigado” – torna-se possível a aplicação de estímulo positivo poderoso que ajudarão a criança a compreender a importância do respeito e da educação num meio social. (2)

Evidentemente, se os pais começarem a ensinar a criança nos primeiros anos de vida, esta não irá, pelo menos de forma consciente, apreender de imediato qual é o valor efetivo das mesmas nem o papel que estas têm na reciprocidade. Ainda assim, serão edificados os alicerces que permitirão esta construção ao longo da vida da criança.

Expressões de cortesia e a construção da reciprocidade

As fórmulas que podem levar à construção de um mundo mais equilibrado, equitativo e justo iniciam-se com a educação de uma criança. As crianças são os adultos do futuro e, como tal, aqueles onde podemos depositar a esperança de um amanhã melhor.

Ensinar a dizer “obrigado”, “bom dia” e “por favor” não faz apenas parte da educação de uma pessoa singular mas de uma forma de promover a melhoria do mundo.

Tratando-se de ferramentas que promovem o respeito pelo outro, as expressões de cortesia podem ajudar, desde os primeiros anos, a criança a compreender a importância da consideração e apreço pelos outros. Assim, promove a construção da reciprocidade, uma das mais importantes estruturas sociais e emocionais. (3)

Saber que a amizade e o respeito se conquistam quando se dão é um ensinamento que ajudará a garantir um crescimento mais sadio para a criança, melhorando as suas interações sociais e facilitando a sua integração.

Já tinha considerado a forma como as expressões de cortesia, como “obrigado”, “por favor” ou “bom dia” irão afetar o futuro do seu filho? Como tenta incutir estes hábitos ao seu filho? Conte a sua experiência pessoal às restantes mamãs do Bebé a Bordo.

Poderá ter interesse também em:

Funcho na gravidez: quais os riscos para o bebé

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo