Como criar crianças felizes

Como criar crianças felizes, algumas ideias

Ver os nossos filhos sorrir é uma felicidade inexplicável e, embora não possamos cumprir todos os seus desejos e vontades, queremos que essa luz no olhar e esse sorriso nos olhos nunca esmoreçam. Saiba como criar uma criança feliz.

As mamãs e papás têm todos a sua forma de educar e de viver a experiência da parentalidade. Não existe, de facto, uma forma mais correta de o fazer, de o sentir, de o viver.

Cada um sabe como avançar para esse desafio e tem os seus objetivos delineados e presentes a cada passo dado na construção do quotidiano.

Por mais diferentes que sejam os papás e mamãs, no entanto, há algo que é unânime: quando se pergunta qual o maior sonho ou desejo que têm para a criança, a resposta costuma ser a mesma, independentemente dos traços semânticos que a alterem: querem que o seu filho seja feliz.

A felicidade de uma criança pode parecer muito simples de atingir mas é também exigente, já que não se trata de algo que possa adquirir numa loja e embrulhar, feito presente, para oferecer ao seu filho.

E, se não a pode comprar, como pode fazer do seu filho uma criança feliz? Ora bem… a felicidade não se compra… mas constrói-se.

Tudo o que precisa para criar crianças felizes está ao seu dispor. Não é preciso muito para ver uma criança sorrir.

Hoje, apresentamos 5 fórmulas (não mágicas mas realistas) sobre como criar crianças felizes.

mãe e crianças felizes

1. Amor: a fórmula para criar crianças felizes

Pode parecer óbvio. O amor faz parte da maternidade e da paternidade. Ainda assim, se formos honestos, a expressão do amor não passa sempre por carinho.

Educar é uma forma de amor. Ouvir é uma forma de amor. Falar é uma forma de amor. Ralhar, acredite ou não, pode ser uma forma de amor.

Todas as crianças se portam mal às vezes e amar o seu filho não significa que não deva repreendê-lo. Zangue-se, se for necessário, ainda que isso o leve às lágrimas. O importante será mostrar que, mesmo quando se zanga, o ama da mesma forma.

Essa sensação de que, mesmo perante os erros, o amor dos pais será uma constante nas suas vidas ajuda a criar crianças mais fortes, mais seguras, mais independentes e, no limite, mais felizes.

2. Não exija perfeição

Risque a palavra “perfeição” do seu dicionário e, faça o que fizer, não a impinja ao seu filho. Não existem pessoas perfeitas no mundo e pôr este tipo de pressão sobre uma criança poderá inibi-la, fazendo-a sentir-se inferior e desapontada consigo mesma.

A busca pela perfeição cria, na maioria das vezes, eternos insatisfeitos com a vida e esta é uma sensação que irá, sem dúvida, impedir uma felicidade intensa e duradoura.

O incentivo para que o seu filho conquiste os resultados desejados e lute pelos sonhos é bem-vindo e muito desejado. Ainda assim, tal não deve ser feito de uma forma que pressione a criança a atingir um patamar específico e, por vezes, demasiado elevado para as suas capacidades.

Uma postura mais calma, de motivação e apoio irá, certamente, criar uma criança mais autoconfiante, realizada, motivada e, claro, feliz.

menina feliz em espaço verde

3. Garanta que tem tempo para eles

Por mais coisas que ofereça ao seu filho, no limite, ele quererá uma coisa de si… sim, apenas uma! Quererá o seu tempo.

O tempo, que hoje sabemos tão bem como é escasso e se esgota na corrida dos ponteiros irrequietos do relógio, é a melhor dádiva que se pode dar a uma criança.

Tirar o tempo para brincar com o seu filho ou para fazer um passeio com ele irá, por certo, fazê-lo feliz.

Mas este ato fará muito mais do que simplesmente criar uma felicidade instantânea, ele irá ajudar a criar, na criança, a certeza de que não está só e de que pode contar consigo.

E esta é uma forma de felicidade que permanece além dos limites da infância.

4. Estimule a sua força de vontade e criatividade

Poderá ser sobre o desenho que fez, a história que contou ou simplesmente a primeira vez que conseguiu andar de bicicleta sem rodinhas.

Não importa qual foi o momento. Importa que, naquele instante, a criança teve uma pequena vitória ou se exprimiu criativamente. É o momento ideal para a elogiar e incentivar a continuar a fazer um bom trabalho.

Este é um processo ao qual deve assistir, de perto, mas com a distância necessária para permitir que erros sejam cometidos.

A criança poderá cair algumas vezes antes de se equilibrar na bicicleta ou borratar alguns desenhos antes de conseguir o resultado desejado. Permita-lhe o erro.

Lembre-se de que a felicidade nasce da sensação de conquista que vem quando, finalmente, tudo corre como ela deseja.

5. Ajude-o a construir relacionamentos

O relacionamento da criança com as outras pessoas – sejam outras crianças, adultos ou até mesmo estranhos – é muito importante.

O respeito, que começa em atitudes tão simples quanto agradecer ou pedir desculpa, são alicerces para a construção de uma das mais importantes caraterísticas de qualquer pessoa: a empatia.

Ser capaz de sentir esta empatia fará com que o seu filho desenvolva competências pessoais e sociais importantíssimas e com que se torne, ao longo do tempo, não só uma criança mais feliz… mas também uma melhor pessoa.

Quais são, na sua opinião, as melhores formas para criar crianças felizes? Costuma pôr em prática as ações que sugerimos? Conte-nos como faz para criar crianças felizes.

Algumas fontes: maemequer guiainfantil time uptokids

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo