in ,

Grávida pode comer caracóis?

Grávida pode comer caracóis

A mulher grávida pode comer caracóis?

Em alguns países do mundo esta problemática parecerá estranha… noutros, parecerá bastante pertinente.

O caracol é uma iguaria, servida como refeição (ou petisco) em vários países, principalmente na Europa e em África.

Em Portugal, a época do caracol começa em Maio e estende-se até Agosto.

Durante este período são muitas as pessoas que gostam de aproveitar para passar momentos entre amigos e familiares, desfrutando do tradicional pires (ou travessa) de caracóis com a sua imperial (cerveja de pressão), numa esplanada soalheira junto ao litoral.

É um hábito bem português e que causa estranheza a muitos estrangeiros, aliciando outros a experimentar.

Claro está, chega o verão e a mulher, que tinha este hábito veraneante, vê-se proibida de desfrutar da frescura da cerveja mas… e os caracóis? Será que a grávida pode comer caracóis?

Esta é uma pergunta comum e que muitas vezes tem resposta ambígua e dúbia. Em torno desta, surgem vozes diversas e justificações assentes em mitos e ideias que se perpetuam desde a ancestralidade.

Hoje, pensando nas futuras mamãs a quem apetece mesmo este petisco, decidimos ir à descoberta para ficarmos a saber se a grávida pode comer caracóis e quais os cuidados que precisa de ter no momento de consumir esta iguaria.

Grávida pode comer caracóis

1. Grávida pode comer caracóis: as razões da dúvida

Diz o ditado popular que “tudo o que é bom faz mal, engorda ou é pecado”.

Não será apenas o ditado, mas também os medos mais razoáveis da gestação a fazer com que muitas mamãs se questionem sobre as desvantagens do consumo de caracóis durante os meses de gestação.

Entre os maiores medos da gestante, encontram-se as ligações entre este petisco e a toxoplasmose; as ideias perpetuadas ao longo dos anos e as descobertas de alguns estudos científicos mais recentes.

1.1. Caracóis e toxoplasmose

No que respeita à toxoplasmose, como vimos anteriormente, esta é apenas um risco para as futuras mamãs que não sejam, ainda, imunes ao toxoplasma.

O mito em torno da toxoplasmose não atinge apenas o caracol mas também o consumo de mel e a posse de gatos.

E, tal como o mel e a generalidade dos gatos, os caracóis poderão ser, também, inocentes deste crime.

Para que um caracol pudesse ser transmissor de toxoplasmose, seria necessário que tivesse consumido o toxoplasma e que a sua carne fosse ingerida crua.

Desta forma, o risco de uma futura mamã não imune à toxoplasmose contrair o vírus através do caracol não é diferente do que o risco de o contrair pela ingestão de qualquer outra carne mal cozinhada ou crua.

1.2. Os mitos

Além do mito de que o toxoplasma possa ser facilmente passado pelo consumo de caracol, existem outros que, em vários países do mundo, têm ganho expressão.

Na Nigéria, por exemplo, acredita-se que o consumo de caracóis durante a gravidez pode fazer com que a criança que vai nascer seja “lenta”, caraterística esta muito associada ao animal em questão.

Não existem quaisquer dados científicos que comprovem esta ideia.

1.3. As verdades

Outro dos medos – este mais justificado – no que respeita ao consumo de caracóis, diz respeito a eventuais químicos que possam ser passados pelo petisco, devido ao uso de pesticidas na agricultura.

Este medo tem razão de ser, uma vez que muitas pessoas não se preocupam com a proveniência dos caracóis ou os consomem em espaços (cafés, restaurantes, etc) que não divulgam esta informação.

A verdade é que os químicos provenientes dos produtos agrícolas e da própria poluição podem estar presentes na carne dos caracóis apanhados nos campos ou na cidade e ter efeitos nocivos na gestação.

2. Dos mitos aos cuidados

Mais importante do que focar os mitos e as problemáticas é pensar nas soluções, para que a gestante possa livremente experimentar os sabores do seu petisco veraneante.

A grávida pode comer caracóis, se tiver alguns cuidados. Primeiramente, durante a gestação, a futura mamã deverá comer esta iguaria apenas em locais de confiança, onde saiba que os caracóis são de viveiro e que estes são bem lavados e bem cozinhados.

Comer a iguaria num café que conhece bem ou prepará-la em casa poderão ser as melhores opções nesta fase da sua vida.

Em segundo lugar, é necessário que a carne do caracol esteja bem cozinhada já que, estando crua, existe uma probabilidade (ainda que ínfima) de que uma gestante não imune ao toxoplasma possa ter o azar de contrair o vírus.

Além disto, a gestante deve confirmar sempre que os caracóis não foram apanhados ao ar livre, no campo, para não correr o risco de ingerir químicos e produtos tóxicos para o feto.

Por fim, o consumo de caracóis não deve ser feito sem antes falar com o seu médico sobre o assunto.

Em alguns casos (como, por exemplo, alergia a marisco) o especialista que a segue poderá desaconselhar este consumo.

3. Vantagens nutricionais

Se o médico liberar o consumo de caracóis, a gestante irá encontrar neste várias vantagens nutricionais.

Para começar, o caracol tem uma carne magra e que ajuda na regulação do peso na gestação, tendo um índice calórico de 90 calorias por cada 100 gramas, aproximadamente.

Esta é uma carne imensamente rica em proteínas, saciante e com poucos hidratos de carbono.

Da sua composição fazem parte minerais e vitaminas importantes para o desenvolvimento do bebé e também o magnésio e potássio (que ajudarão a evitar as cãibras) e o ferro, que ajuda a prevenir a anemia.

Falou com o seu médico sobre esta questão? Comeu caracóis durante a sua gravidez?

Não deixe de partilhar connosco a sua história.

Fontes:
momjunction
vendadecaracois.blogspot.pt
bbc.com
publico

Clique em uma estrela para avaliar.

Average rating 5 / 5. Votos: 1

ARTIGOS REMOMENDADOS

Escrito por Bebé a Bordo

Saiba mais sobre maternidade, gravidez, bebé e desenvolvimento infantil, com os nossos artigos. Traga o bebé a bordo e veja o que preparamos para si!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

GIPHY App Key not set. Please check settings

One Comment

  1. Boa tarde
    Já viu algum viveiro de caracois? Se já onde?
    Os únicos que existem, criam exclusivamente a espécie máxcima aspersa, e estes caracois não chegam às mesas dos portugueses, 99% dos caracóis consumidos são selvagens e vem de Marrocos.
    Era só para esclarecer.

Frutas que a grávida deve comer no verão

7 frutas que a grávida deve comer no verão, come alguma?

Grávida pode comer sardinhas

Grávida pode comer sardinhas?