Quais são as gestantes mais propensas a terem um bebé com Síndrome de Down

O bebé com Síndrome de Down é uma das preocupações frequentes das gestantes. Bastante frequente, esta mutação genética é uma das que mais assusta casais em todo o mundo. Se quer saber mais sobre a Síndrome de Down na gravidez e descobrir quais são os fatores de risco que tornam a gestante mais propensa a ter um bebé com esta condição de saúde, venha descobrir com o Bebé a Bordo.

Embora todas as mamãs e papás sejam diferentes, uma coisa tende a manter-se comum: todos querem garantir, durante a gestação, que o feto se desenvolve corretamente e que terão, depois, um bebé saudável nos braços.

A preocupação com a criança leva, muitas vezes, a que os pais se dediquem criteriosamente a cumprir os exames de acompanhamento na gravidez e adquiram, até, depois do nascimento, um seguro de saúde para o bebé.

De facto, garantir que o filho está saudável é uma prioridade para os pais que, por isso mesmo, não deixam de lado as preocupações relativas ao mais variado tipo de doenças e malformações que podem ocorrer durante o período gestacional.

As preocupações com a Síndrome de Down na gravidez são um bom exemplo da forma como as mais diversas condições preocupam os casais. Por isso mesmo, hoje, debruçámo-nos sobre o bebé com Síndrome de Down para lhe falarmos sobre esta mutação genética, as suas caraterísticas e os seus fatores de risco.

Venha descorir quais são as gestantes mais propensas a terem um bebé com Síndrome de Down.

1. O que é a síndrome de Down? Síndrome de Down na gravidez

A síndrome de Down, também conhecida como Trissomia 21, é uma mutação genética que se carateriza pela presença de um cromossoma a mais nas células do bebé. A presença deste cromossoma extra é responsável por diversos problemas de saúde, modificando a forma como o organismo reage e alterando o desenvolvimento cognitivo e físico.

Esta síndrome é uma das condições mais comuns derivadas de mutação genética, sendo que, mundialmente, se estima que 1 em cada 700 bebés nasça com este problema.

Não existe uma diferença estatística significativa na distribuição deste problema por sexo, sendo esta igualmente comum em meninos e meninas.

Esta situação não deriva de práticas erróneas por parte dos pais, sendo que, na maior parte dos casos, a sua ocorrência parte de uma combinação genética aleatória. Ainda assim, alguns fatores relacionados com a hereditariedade e a faixa etária estão estatisticamente associadas à propensão para ter um bebé com Síndrome de Down.

Quais as caraterísticas de uma pessoa com Trissomia 21?

Um bebé com Síndrome de Down, tal como outro bebé, terá traços dos seus progenitores. Ainda assim, por norma, estes desenvolvem traços caraterísticos de pessoas com a condição, entre os quais se destaca:

– Baixa estatura;
– Rosto com uma forma arredondada;
– Olhos de formato amendoado;
– Pescoço, pés e mãos pequenos;
– Personalidade inibida mas afetuosa.

Quais os riscos do bebé com Síndrome de Down? Síndrome de Down

Um bebe com Síndrome de Down terá maior propensão para contrair algumas doenças e/ou para conviver com dificuldades específicas.

Por norma, ao longo do crescimento, o bebé com Síndrome de Down apresentará um atraso no seu desenvolvimento cognitivo, sendo o nível desta perturbação variável de criança para criança.

Além disso, uma grande parte de bebés com o problema apresentam problemas cardíacos, problemas de comunicação ao nível da fala; dificuldades respiratórias, problemas de motricidade e problemas oculares.

É ainda comum que bebés com o problema apresentem falta de força nos músculos e distúrbios relacionados com o sono.

Qual a incidência deste problema em Portugal e no Brasil?

Em Portugal 🇵🇹, estima-se que existam aproximadamente 15 mil pessoas com este problema e que, anualmente, nasçam cerca de 100 bebés com Síndrome de Down.

No Brasil 🇧🇷, o número de pessoas com o problema ascende a cerca de 300 mil pessoas.

2. Quais são as gestantes mais propensas a terem um bebé com Síndrome de Down?

Antes de mais, é necessário salientar que qualquer gestante pode ter um bebé com Sínfrome de Down. Ainda assim, a verdade é que existem, estatisticamente, alguns fatores de risco, que tornam algumas gestantes mais propensas a viver esta situação.

A idade da mãe é o primeiro destes fatores, sendo que os óvulos da mulher, estando mais envelhecidos, estão mais propensos à ocorrência de mutações e erros no momento da divisão dos cromossomas.

Pelos 35 anos, a probabilidade de ter um bebé com Síndrome de Down é de 1 em 350. Numa gestação tardia, pelos 45 anos, esta probabilidade terá já aumentado para um risco de 1 em 30.

Além da idade, terá também maiores hipóteses de Síndrome de Down na gravidez a mulher que já tenha tido um filho com esta condição ou que seja portadora da uma eventual translocação do gene.

3. Como se pode identificar a Síndrome de Down na gravidez?

A Síndrome de Down na gravidez pode ser diagnosticada mediante um rastreio, durante o primeiro trimestre gestacional. Este irá avaliar os riscos de que o bebé tenha a mutação cromossómica responsável pela Trissomia 21.

Em alguns casos, o teste necessita de uma intervenção algo arriscada, já que se faz mediante a realização de uma amniocentese ou de uma biopsia das vilosidades coriónicas, procedimentos mais invasivos.

Sabia quais as gestantes mais propensas a terem um bebé com Síndrome de Down? Esta condição foi uma das suas preocupações na gravidez? Conte a sua história aos restantes leitores do Bebé a Bordo.

Algumas fontes: americanpregnancy downs-syndrome saudecuf gauchazh.clicrbs pregnancybirthbaby minutosaudavel

ARTIGOS REMOMENDADOS
ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo