10 plantas medicinais perigosas na gestação 

Existem plantas medicinais perigosas na gestação. Embora muitas vezes conheçamos as propriedades das plantas e saibamos como estas são benéficas para o organismo, durante a gravidez, elas podem constituir um risco.

Sabe quais são as plantas medicinais perigosas na gestação? Venha descobrir 10 delas com o Bebé a Bordo

As plantas medicinais servem para vários efeitos, ajudando o nosso organismo a reforçar o seu sistema imunitário, a combater doenças e a melhorar o seu funcionamento. 

Utilizadas desde os primórdios em práticas de curandeirismo, as plantas medicinais viriam a tornar-se, também, a base da medicina moderna, fazendo parte da composição de vários medicamentos e tendo a sua composição explorada e sintetizada para fins clínicos. 

Além disso, a sabedoria popular não deixou também morrer a tradição dos chás. E, por isso mesmo, continuamos a procurar os melhores chás para emagrecer, ou para resolver problemas como náuseas, dores físicas ou desconfortos pontuais. 

Na gestação nem todos os chás são permitidos – justamente porque nem todas as plantas medicinais são seguras – ainda assim, não deixa de se aclamar o papel de algumas infusões, tal como o chá de folhas de framboesa e todos os seus benefícios para o bebé e para a gestante. 

Por melhores que sejam os benefícios das plantas medicinais para o organismo, no entanto, haverá sempre cuidados extra a ter durante a gestação.

Vale a pena recordar que, nesta fase da vida, algumas plantas podem trazer consigo efeitos colaterais nocivos, que levem ao aborto espontâneo, ao parto prematuro ou a malformações fetais: situações que devem ser prevenidas, evitando-se o consumo de plantas potencialmente perigosas. 

Hoje, olharemos, por isso, para algumas das plantas medicinais a evitar na gravidez, para que saiba 10 plantas medicinais perigosas na gestação. 

plantas medicinais perigosas na gestação

1. Plantas medicinais perigosas na gestação: Aloe Vera

As propriedades e benefícios do Aloe Vera são muito aclamadas e o seu uso medicinal tem sido feito, ao longo dos anos, para ajudar a tratar e prevenir várias condições de saúde. 

Ainda assim, durante a gravidez, tal como alerta a Associação Americana de Gravidez, o Aloe Vera pode acarretar riscos desnecessários, razão pela qual o seu consumo é desaconselhado. 

Além de reduzir bastante os níveis de glicose no sangue, o Aloe Vera poderá provocar contrações uterinas, reduzir os níveis de eletrólitos e provocar problemas graves na gestação, incluindo o parto prematuro ou o aborto espontâneo. (1

2. Ruibarbo

ruibarbo é uma planta medicinal, muito utilizada na gastronomia internacional, embora com pouca expressão em Portugal. 

O seu consumo está associado à perda de peso, à melhoria da saúde visual, cardiovascular e da pele, sendo ainda clamadas as suas propriedades anti-inflamatórias, anticancerígenas e antioxidantes. 

Na gravidez, o ruibarbo é desaconselhado, já que pode promover espasmos uterinos e intestinais e problemas gastrointestinais severos. Piorando a absorção do potássio, este pode também agravar problemas como a retenção de líquidos

plantas medicinais perigosas na gestação

3. Salsa

A salsa é um dos temperos mais comuns na gastronomia lusitana. Esta planta medicinal é aclamada pelo seu papel diurético, regulador dos ciclos menstruais e também pela sua ação no combate à ansiedade e à depressão. É ainda um alimento aclamado para mulheres na menopausa

A presença do apiol na sua composição, no entanto, faz com que esta planta seja desaconselhada durante a gravidez, já que este composto se trata de um estimulante, que pode gerar contrações uterinas, levando a situações danosas, como o parto prematuro ou o aborto espontâneo. (2

4. Guaco

O guaco é uma planta medicinal muito utilizada em xaropes para a tosse e que, apesar dos seus benefícios para a saúde, pode ser muito perigoso na gestação. 
Durante a gravidez, a ingestão de guaco pode gerar hemorragias (devido à ação anticoagulante de um dos seus compostos, a cumarina) e problemas de desenvolvimento do bebé, sendo que os estudos existentes apontam para uma relação entre o consumo de guaco e o baixo peso no nascimento. Em casos mais severos, o seu consumo pode levar ao aborto. (3

5. Plantas medicinais perigosas na gestação: Sene

O sene é uma planta medicinal muito aclamada. As suas propriedades diuréticas e laxativas melhoram o funcionamento do organismo e fazem com que se diga que o chá de sene emagrece, aclamando-se as suas vantagens para o organismo. 

Embora, segundo a Associação Americada de Gravidez, mais de metade das gestantes sofram de prisão de ventre, o sene não será a melhor forma de promover a resolução do problema. 

O consumo de sene da gravidez pode provocar contrações uterinas que aumentam o risco de parto prematuro e podem levar a outras complicações gestacionais. 

6. Sálvia

A sálvia tem, também, muitos benefícios para a saúde, estando ainda associada a várias superstições. Os usos medicinais desta planta são muito aclamados e fazem dela uma boa opção no quotidiano. 

Ainda assim, durante a gestação, a sálvia é desaconselhada. A presença da tujona na sua composição pode agir como um estimulante uterino, levando ao aumento da hipertensão arterial e provocando um aborto espontâneo. 

A gestante pode consumir chá de boldo

7. Boldo

Embora aclamado pelos seus benefícios e pelas suas propriedades digestivas, laxativas e desintoxicantes, o boldo é desaconselhado na gestação. 

Esta planta apresenta um baixo índice de toxicidade que, na gravidez, pode ser responsável por problemas severos, incluindo malformações fetais. 
Além disto, o consumo de chá de boldo na gravidez pode ainda ser responsável por contrações uterinas e provocar um aborto espontâneo. 

8. Hera

A hera é uma erva medicinal muitas vezes utilizada para fazer infusões. Sobre esta, aclama-se o papel analgésico, cicatrizante, vasodilatador, calmante, expetorante e hidratante. 

Ainda assim, o seu consumo durante a gestação é totalmente desaconselhado, já que, apresentando níveis de toxicidade, este pode gerar malformações no feto. 

O consumo de hera na gestação pode ainda levar a contrações uterinas involuntárias ou provocar o aborto. 

9. Arruda

A arruda e, em particular o chá de arruda está fortemente associado à regulação do ciclo menstrual. 

Durante a gravidez, no entanto, este chá, cujos benefícios são diversos, pode ser perigoso. Além de promover contrações uterinas, a arruda pode provocar hemorragias e também o aborto. (4

Chá de tília na gravidez

10. Plantas medicinais perigosas na gestação: Tília

É uma das plantas medicinais mais conhecidas e utilizadas para fazer chá em Portugal. Embora os benefícios do chá de tília para o organismo sejam muito aclamados, sabe-se também, hoje, que o chá de tília na gravidez faz mal

Sabe-se, sobre esta planta, que possui alguns elementos químicos que podem apresentar um nível de toxicidade para as células e intoxicar o feto. (5

Além disso, quando tomado a par com determinados medicamentos, existe o risco de hipotensão, o que pode provocar vários problemas para a gestante e no desenvolvimento do bebé. 

Já conhecia estas plantas medicinais perigosas na gestação? Sabia o perigo que estas representavam nesta fase da vida? Partilhe a sua história ou opinião com as restantes leitoras do Bebé a Bordo. 

Poderá ser interessante ler também:

Maçã na gravidez será um alimento seguro?

Comente este artigo