Dicas para explicar às crianças o que é Covid-19

Com o aparecimento e disseminação do Covid-19, as escolas fecharam e as rotinas das crianças foram profundamente afetadas. Conheça, com o Bebé a Bordo, algumas dicas para explicar às crianças o que é o Covid-19 e a consequente necessidade de ficar em casa.

Existem coisas sobre a maternidade que ninguém lhe diz e outras que ninguém poderia ter-lhe dito, ainda que quisesse.

Lidar com o coronavírus na gravidez ou ter de perceber como o Covid-19 afeta as crianças faz parte da lista de coisas que não havia forma de prever e para as quais nenhuma mãe ou pai poderiam estar preparados.

Claro que as estratégias de uma parentalidade positiva podem aplicar-se a esta situação, principalmente no que respeita à comunicação que lhes é inerente.

Mas, afinal, como é que os pais podem explicar o Covid-19 às crianças, sem as assustar mas fornecendo-lhes informação realista sobre a gravidade da situação?

Embora existam várias formas de ter esta conversa com o seu filho, estas são as nossas dicas.

Dica 1: Explique a doença, usando narrativas de fantasia

Para explicar ao seu filho que existe uma doença pandémica, é importante que o faça de uma forma que a criança consiga entender.

Pode, por exemplo, comparar a doença a uma maldição dos contos de fadas que, gradualmente, foi atingindo mais e mais pessoas no planeta, até que muitas pessoas ficaram doentes.

Explique que existem heróis – nesse caso os cientistas, os profissionais de saúde e outros – que estão a tentar vencer esse problema. E que, para as famílias comuns, é muito importante não sair de casa, para que estejam seguros e sejam, também, heróis nessa história.

Dica 2: Faça do seu filho um dos heróis da história

Para promover os hábitos mais seguros – como a etiqueta respiratória ou a lavagem e desinfeção das mãos – pode explicar estes gestos como uma parte da luta contra o inimigo que está a afetar o mundo: o Covid-19.

Isto dará à criança um sentido de pertença e fará com que ela adote uma atitude mais ativa na promoção dos hábitos indicados pela Organização Mundial de Saúde.

Dica 3: Seja positivo e não atribua culpas a ninguém

Ainda que tenha uma opinião ou teorias sobre a forma como o surto tomou estas proporções, evite dizê-las ao seu filho.

Uma visão positiva do futuro é muito importante na comunicação da mensagem e, se atribuir culpas, por exemplo, à China, poderá promover futuramente atitudes racistas ou xenófobas face a asiáticos, o que deve ser evitado.


Uma mensagem de esperança, sempre ligada às normas de isolamento e de higiene, deve estar presente na forma como fala com o seu filho sobre esta pandemia.

O seu filho fez alguma pergunta sobre a pandemia atual do coronavírus? Qual? Como lidou com esta situação? Conte tudo aqui, no Bebé a Bordo.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo