Devemos obrigar criança a comer, sim ou não?

Devemos obrigar criança a comer

Alimentar os nossos filhos nem sempre é fácil e, por isso, é comum o recurso a estratégias para aliciar ou obrigara criança a comer. Mas será esta uma boa forma de ação? Será que devemos realmente obrigar a criança a comer?

Venha saber a resposta com o Bebé a Bordo.

Todo o processo de alimentação da criança, desde o primeiro aleitamento e até que a criança se torne adolescente, passa por diversas fases.

Cada fase traz as suas maravilhas e as suas questões, havendo inúmeras perguntas associadas a cada momento.

Desde a introdução dos primeiros alimentos, questões relacionadas com a melhor forma de fazer a introdução das frutas, quais os alimentos que o bebé não deve comer até ter um ano de idade ou sobre o que fazer perante um bebé com falta de apetite começam a surgir.

Mais tarde, o medo de permitir que as crianças comam determinados alimentos – como doces ou gomas – surge também, sendo comum a procura pela perceção dos riscos efetivos destes produtos e como evitar o seu consumo, num mundo onde a publicidade e a própria exposição destes alimentos “maus” os torna tão aliciantes para os mais jovens.

Embora os pais tenham medo dos alimentos que os filhos querem comer e não devem, no entanto, parece que o maior medo se prende com a ideia exatamente oposta: quando as crianças não querem comer os alimentos que efetivamente são importantes para a sua nutrição.

Nesta situação, os medos dos pais podem levar a que estes tomem decisões precipitadas, obrigando as crianças a comer tudo o que têm no prato, com chantagem, aliciamento ou ameaças de castigo.

Mas será esta a melhor forma de atingir os objetivos desejados?

Esta é a questão sobre a qual hoje nos debruçamos. Venha descobrir se devemos obrigar a criança a comer.

1. Da falta de apetite aos truques dos cuidadores

Se no prato do seu filho fica sempre comida e lhe parece que não há nada a fazer para que ele deixe o prato limpo, saiba que não é a única nesta situação.

Da mesma maneira, se já viu escapar dos seus lábios “come tudo que depois podes ir brincar” ou “se não comeres não podes ver televisão”, não pense que está sozinha.

É realmente desesperante lidar com uma criança com falta de apetite.

A pressão para ter de comer, no entanto, tem sido analisada por muitos especialistas da área da psicologia e da nutrição, havendo ainda uma preocupação junto dos pediatras para compreender o impacto deste tipo de ação na criança.

É sabido que, tanto nas escolas e creches como na própria casa, a pressão para que a criança se alimente de forma correta e deixe “o prato limpo” é comum. Eventuais punições ou castigos estão frequentemente associadas a esta pressão.

Isto leva-nos à questão que nos transporta até aqui: ainda que ofereça resultados… será esta uma boa ideia?

2. Devemos obrigar a criança a comer?

Segundo especialistas das mais diversas áreas, obrigar uma criança a comer é errado, sendo mais importante a promoção de bons hábitos alimentares do que qualquer tipo de pressão para que a criança coma tudo o que tem do prato.

Segundo os especialistas, a educação alimentar deve começar cedo, devendo promover-se, na criança, uma visão não caprichosa sobre a alimentação, na qual aprendam a encarar com naturalidade as escolhas dos pais para as refeições e saibam que terão de comer aquilo que têm sobre a mesa.

Esta ideia não exclui o facto, bem conhecido, de que as crianças criam gostos alimentares e de que poderá haver um ou outro alimento ao qual resistam e cujo sabor não consigam realmente tolerar.

Ainda assim, a criação de bons hábitos será fundamental para garantir que estes alimentos são exceções e não uma regra, sem que os momentos da refeição se tornem numa guerra que culmine em punições caso a criança não coma.

Segundo muitos especialistas, a recusa da criança comer associa-se, muitas vezes, a uma estratégia da própria criança, que sabe que, caso não coma o que tem no prato, cedo ou tarde acabará por lhe ser dado um alimento do qual goste mais.

Assim, uma boa forma de promover a educação alimentar da criança será eliminar totalmente da despensa da casa os alimentos pouco saudáveis, para que estes não sejam, aos olhos da criança, uma alternativa.

Muitos especialistas defendem ainda que a criança, como os restantes seres vivos, não recusará comida caso tenha fome, havendo mesmo médicos que afirmam que esta estratégia da criança só pode ser aplicada justamente porque ela tem energia suficiente para tal, já que um estado de subnutrição geraria uma letargia que impossibilitaria este “braço de ferro” de recusa alimentar.

Assim, para evitar ceder a este “jogo”, os pais não devem forçar as crianças a comer nem dar-lhes alimentos alternativos, de menor qualidade e com menor teor nutritivo. Na verdade, obrigar a criança irá ainda aumentar a rejeição aos alimentos saudáveis e agravar a situação.

3. Dicas e sugestões

Embora obrigar a criança a comer seja uma má ideia, isto não significa que não possa promover a alimentação saudável do seu filho de outras formas.

Para começar, deve recordar-se que as crianças aprendem por exemplo e, assim, se deseja que a criança coma de forma saudável, deverá fazer o mesmo.

Em segundo lugar, deve garantir que, em sua casa, não existem alternativas pouco saudáveis que a criança possa desejar em vez dos alimentos servidos na hora da refeição. Será mais simples dar a sopa a uma criança que saiba que não existe um armário cheio de chocolates e gomas.

Manter horários fixos para as refeições será também uma boa ajuda para garantir que, na hora de comer, estas tenham apetite.

Por fim, apesar de tudo, os pais devem recordar que os gostos pessoais existem e as intolerâncias também, devendo ser compreensivos quanto a eventuais aversões alimentares que a criança possa ter e procurando alternativas saudáveis para estes alimentos.

Tem dificuldade em alimentar o seu filho? Nota que ele não quer comer? Alguma vez tentou obrigá-lo a terminar uma refeição? Conte-nos a sua experiência pessoal sobre esta questão.

Algumas fontes: beingtheparent  observador  blog.homemade-baby-food-recipes  folha.uol  huggies  soumamae
pequenada

ARTIGOS REMOMENDADOS
ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo