in ,

Bebé com falta de apetite, de 1 aos 5 anos

Bebé de com falta de apetite

Bebé com falta de apetite

Nos primeiros anos de vida do bebé, é natural que as mamãs assistam a uma fase de falta de apetite nos seus bebés.

Embora preocupe os cuidadores, a verdade é que este é um fenómeno recorrente nas crianças destas idades.

Saiba mais sobre o bebé com falta de apetite.

Por vezes, parece vir do nada. De um momento para o outro, as horas de refeição transformam-se em pequenos infernos familiares, perante a recusa do bebé em alimentar-se.

Começando, em média, por volta dos 12 meses de idade, esta fase pode arrastar-se até aos 5 anos e diz respeito a uma época na qual o bebé vai desenvolvendo o gosto, começando a apreciar alguns alimentos mais do que outros e a tornar-se muito pouco recetivo a algumas comidas.

A alteração do palato, nesta fase pode, inclusivamente, criar novos padrões de gosto, sendo comum que a criança deixe de gostar de alguns alimentos que tolerava bem.

Ora, esta fase em que o bebé com falta de apetite começa a “saber” o que quer comer, costuma degenerar uma época algo complicada para os cuidadores, que se preocupam com a dificuldade em alimentar a criança e com a perda de peso que quase sempre a acompanha.

Além do palato, outros fatores podem, ainda, contribuir largamente para um bebé com falta de apetite.

Eventuais desconfortos criados pelos dentinhos ou a sensação de calor no verão são alguns dos que podemos enumerar.

Desta forma, julgamos pertinente mergulhar na temática do bebé com falta de apetite, acompanhando-o dos 12 meses até aos 5 anos de idade, nesta difícil jornada alimentar que tanto preocupa os pais.
Venha connosco saber mais sobre o bebé com falta de apetite.

1. Bebé de 1 a 2 anos com falta de apetite

bebé com falta de apetite Com 1 ano de idade, a alimentação do seu filho já começa a apresentar semelhanças com a sua e, provavelmente, até já nota que ele tem uma predileção particular por alguns alimentos (e uma forma bem expressiva de a demonstrar).

Nesta fase, o seu bebé irá pedir ou recusar comida recorrendo a expressões simples mas que denunciam bem a sua vontade.

Infelizmente, para alguns papás, a palavra/expressão mais comum no momento da refeição é o “não” ou o “não quero”.

Está, neste caso, perante um bebé com falta de apetite.

Quando a falta de apetite se manifesta, os papás começam, rapidamente, a sentir falta do antigo cenário da comida espalhada e da sopa por todo o lado.

A dificuldade em alimentar a criança pode gerar verdadeiros cenários de irritação e preocupação nos cuidadores do bebé.

Neste momento, é importante que tenha em atenção que o bebé está numa fase de crescimento dentário.

Na verdade, com um ano, o bebé estará prestes a ver rebentar os molares. Este é um momento de desconforto e que pode resultar num bebé com falta de apetite.

Em muitas crianças entre os 12 meses e os 2 anos, esta falta de apetite manifesta, frequentemente, quase “nojo” perante a comida. É, por isso mesmo, muito importante que tenha paciência no momento das refeições.

Para ajudar a nutrir o bebé, pode (e deve!) optar por fazer várias refeições saudáveis ao longo do dia, em vez de se focar apenas nas três principais.

Pedacinhos de fruta, bocadinhos de queijo ou mesmo palitinhos de cenoura são opções geralmente bem recebidas e saudáveis que ajudarão a garantir a nutrição da criança.

Além disso, recorrendo à ideia de que “os olhos também comem”, pode tentar criar soluções divertidas com a comida, decorando-a de forma apelativa.

Por exemplo: que tal usar um corante natural para transformar um bolo num verdadeiro paraíso fantasioso?

Estes são alguns truques que poderão fazer a criança comer, ainda que numa fase de falta de apetite.

2. Bebé de 2 a 3 anos com falta de apetite

Com 2 anos, o bebé já pode comer diversos tipos de alimentos, estando recetivo, inclusivamente, a novas texturas, combinações e paladares.

Ainda que o bebé com falta de apetite continue, nesta fase, a recusar várias comidas, a verdade é que se tornará mais simples escolher alimentos dos quais ele goste, uma vez que o leque de opções vai aumentando à medida que o bebé cresce.

Conte, nesta fase, com uma atitude ainda mais crítica do bebé perante a comida, já que o seu sentido de gosto continua, também, a evoluir.

Além dos conselhos já deixados para o período anterior, que se mantém, claro, válidas para a criança entre os 2 e 3 anos, os papás poderão, nesta fase, recorrer também ao facto de que esta é uma idade na qual a criança tenta, mais do que antes, agradar aos seus pais.

Assim, o incentivo pela positiva, com elogios quando a criança se alimenta melhor, poderão estimular no bebé o desejo de comer, ainda que não lhe apeteça.

Procure ainda fazer da refeição um momento de convívio, incluindo a criança nas refeições familiares. Lembre-se de que os bebés desta idade aprendem grandemente pela imitação dos seus adultos significativos.

3. Bebé de 3 a 4 anos com falta de apetite

Nesta jornada da falta de apetite, o bebé chega aos 3 anos. Nesta fase, a introdução de hábitos alimentares regrados e saudáveis é mais importante do que nunca. Garantir que o bebé se alimenta bem, oferecendo-lhe uma grande variedade de texturas, cores e sabores é fundamental para instituir uma rotina alimentar positiva.

Perante um bebé com falta de apetite, a criação deste tipo de norma alimentar pode parecer difícil.

Os pais podem mesmo sentir-se tentados a dar à criança qualquer alimento que esta aceite, mesmo que seja pouco saudável.

É muito importante que não faça isto!

Ainda que necessite de experimentar receitas que a criança tolere melhor, uma alimentação salutar é realmente essencial para o bebé, sendo que as comidas mais açucaradas ou processadas não irão, de todo, cumprir o papel nutritivo necessário.

No sentido de ajudar a tornar esta experiência mais simples para si e para o seu bebé, tente brincar com a criança e fazer das refeições um momento mais divertido.

4. Bebé de 4 a 5 anos com falta de apetite

Aos 4 anos, infelizmente, ainda há muitos pais a lidar com um bebé com falta de apetite.

Nesta fase, além de todos os constrangimentos anteriores, muitas crianças sentem dificuldade em parar de brincar para irem comer e, como tal, evitam ao máximo fazê-lo.

O discernimento dos pais é, obviamente, muito importante para que a alimentação da criança não fique para segundo plano.

Uma rotina fixa e regrada, onde os horários sejam cumpridos, poderá ser útil para que a criança associe as refeições a momentos específicos do dia e, como tal, seja mais recetiva a estas.

Além disso, os pais devem deixar claro para a criança que esta tem de se alimentar para poder, depois, brincar, ver televisão, desenhar ou fazer quaisquer outras atividades lúdicas que lhe agradem.

Por mais desesperante que seja lidar com o bebé com falta de apetite entre os 4 e os 5 anos, os pais não devem, nunca, usar os alimentos como forma de premiar ações.

Por exemplo, não diga que “dá um chocolate” se a criança arrumar os brinquedos. Isto fará com que a criança faça associações entre a comida e um “prémio” e se torne ainda mais difícil de alimentar.

O seu filho foi um bebé com falta de apetite? Como conseguiu gerir as suas refeições. Contar a sua experiência irá, certamente, ajudar outras mamãs a lidar melhor com esta problemática.

Algumas fontes: vix  famivita abcdobebe  fortissima

Clique em uma estrela para avaliar.

Average rating 0 / 5. Votos: 0

ARTIGOS REMOMENDADOS

Escrito por Ana Sofia Calha

Ana Sofia Silva Calha nasceu em Leiria (Portugal) no ano 1980. Licenciada em Antropologia pela Universidade de Coimbra desde 2007 e Dietética pelo Politécnico de Leiria, sendo Nutricionista desde 2015.
Facebook - Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.

GIPHY App Key not set. Please check settings

bebé tem lombrigas

Como saber se o bebé tem lombrigas?

Grávida pode comer queijo fresco

Grávida pode comer queijo fresco?