O pai deve assistir ao parto do filho?

O parto no masculino, pai deve assistir ao parto do filho?

Dar vida a um filho será, certamente, um dos momentos mais importantes na vida dos seus pais.

Trata-se do culminar de meses de espera, a aguardar o instante em que o amor se concretiza numa pequena pessoa que – mais do que pessoa – é um pouco de nós.

Nesse momento, tão completo e importante, sabemos que a mãe estará na sala de parto, a dar à luz essa felicidade permanente. O pai, no entanto, poderá estar ou não presente para assistir ao nascimento.

Enquanto alguns optam por permanecer à cabeceira, apoiando a mulher e passando com ela todos os momentos – os mais dolorosos e os mais belos – outros preferem esperar no corredor e palmilhá-lo como se fosse uma maratona entre paredes, dando mil passos de nervosismo à espera do momento de conhecer o seu bebé.

São duas posturas igualmente certas e que não podem ser desvalorizadas.

Lembremos, até, que muitas vezes são as próprias mulheres que preferem não ter os companheiros na sala para assistir ao parto.

Certas ou erradas, as opiniões dividem-se no que a este assunto diz respeito.

Levanta-se a questão: o pai deve assistir ao parto?

Neste artigo procuraremos explorar um pouco esta temática e explanar as vantagens e desvantagens da presença paterna na sala onde tudo acontece.


 

Deve o pai assistir ao parto do filho

 

Pai deve assistir ao parto: vantagens e desvantagens

A gravidez é um processo que ambos os pais acompanham em todos os momentos.

Desde a concepção da criança, passando pelas ecografias, pela preparação do parto, a preparação de um ambiente seguro para o bebé em casa, as compras de roupinhas e acessórios, a decoração do quartinho…

Cada passo pode – e deve – ser dado em conjunto.

Ainda assim, a forma como cada mamã e papá marca presença nestes momentos, tal como no nascimento em si, depende muito da dinâmica do casal e das opções por este tomadas.

Cada casal é um casal e as decisões tomadas por uns poderão não ser as melhores para outros. Para alguns casais, a presença masculina durante o nascimento é importantíssima.

Estes salientam as vantagens desta presença na cabeceira: o apoio dado durante o momento onde dor e amor se misturam; a possibilidade de ouvir o primeiro choro do bebé; o sentimento de ter ao colo os filhos nos primeiros momentos da sua vida; cortar o cordão umbilical.

Tudo isto faz parte de uma realidade que alguns papás não perderiam por nada.


Outros casais, no entanto, falam do lado mais “negro” da presença paterna, salientando a dificuldade deste momento.

Alguns argumentos em desfavor são a dificuldade de alguns homens lidarem com a dor da companheira, o cenário (nem sempre bonito) de sangue, suor e lágrimas; a intervenção médica, que sempre envolve mãos ensanguentadas e um ambiente de stress.

Além destes argumentos, alguns especialistas da área notaram, também, que existe uma percentagem de homens que considera que assistir ao nascimento do filho fez com que o seu interesse sexual na mulher diminuísse.

Ainda assim, no que diz respeito a esta última, é igualmente defendido que, se a presença masculina for feita junto à cabeceira da cama – e não na perspetiva mais crua do médico – será improvável que tal aconteça.

Momento de alegria a dois

Apesar de muito discutida, esta temática gira em torno de si mesma, sem que se chegue a uma conclusão sobre qual a postura mais certa a tomar.

Trata-se, pois, de um momento muito pessoal e para o qual não é necessário que exista uma regra concreta.

O mais importante, para o casal, é a comunicação.

Falar sobre este momento, partilhar anseios e desejos será uma excelente forma de decidir se um pai deve, ou não, estar dentro da sala no momento em que a companheira dá à luz.

É importante recordar que, por muito bom que possa ser o apoio prestado pelo homem no momento, nem todos se sentirão preparados para o dar.

No fundo, acabará por ser melhor um abraço calmo depois do nascimento da criança do que uma presença em pânico, a sentir-se mal durante o mesmo.

Cada caso é um caso.

Respire fundo e fale com a sua companheira.

Partilhe as suas opiniões e ouça as dela.

Independentemente do local onde esteja durante o primeiro choro do seu bebé, lembre-se de que este será um dos melhores momentos da sua vida.

E a paternidade é uma dádiva que acontece… esteja onde estiver!

Qual a sua opinião sobre se o pai deve assistir ao parto?

ARTIGOS REMOMENDADOS

DEIXA UM COMENTÁRIO