Corrimento na gravidez, é normal?

Muitas mulheres têm corrimento na gravidez e questionam se devem preocupar-se. As respostas são múltiplas e prendem-se, em grande medida, com a tonalidade e o aroma desse corrimento. Quer saber se o corrimento na gravidez é normal?

Então, está na hora de descobrir com o Bebé a Bordo.

Independentemente de quão comum seja uma determinada situação no quotidiano de uma mulher, quando esta engravida, é natural que as preocupações adensem.

As mulheres costumam lidar, frequentemente, com o corrimento vaginal e, noutra fase das suas vidas, este poderia não ser alarmante. Ainda assim, durante a gravidez, quando surge este tipo de situação, ela vem acompanhada de um sem fim de questões.

Perguntas como: “deverei mudar a forma como faço a higiene íntima na gravidez?”, “Será que a tonalidade do meu corrimento é normal?”, ou “Poderá o meu corrimento na gravidez ser sinónimo de candidíase?” tornam-se comuns.

Hoje, as questões relativas a corrimento e gravidez são justamente as que nos ocupam e é para lhes dar resposta que deixamos este artigo.

Se deseja saber se é normal o corrimento na gravidez e quais os sinais de alarme aos quais deve estar atenta, este texto foi feito a pensar em si.

O corrimento na gravidez é normal? Corrimento na gravidez

O corrimento na gravidez é normal em algumas situações e apresenta-se como um sinal de alarme noutras. No fundo, dependendo das suas caraterísticas, o corrimento na gravidez poderá ser meramente uma secreção natural ou um sintoma de uma doença ou infeção.

Por esta razão é importante que a futura mamã se mantenha atenta a pormenores do corrimento na gravidez como a sua coloração ou odor.

Embora a tonalidade e aroma do corrimento varie consoante a pessoa, as alterações bruscas poderão indiciar que o corpo está sujeito a uma infeção. Iremos, por isso mesmo, olhar as várias tonalidades de corrimento na gravidez, para lhe dar a conhecer os sinais aos quais deve estar atenta.


Corrimento branco durante a gravidez: será preocupante?

Não. Normalmente, o corrimento branco na gravidez é normal e não indicia qualquer tipo de problema de saúde. Este tem, por norma, uma textura gelatinosa e não tem odor.

Durante a gestação, a progesterona pode fazer com que este corrimento se torne ligeiramente mais espesso, criando uma secreção que poderá manchar o tecido das cuecas (ou calcinha, em português do Brasil).

Existem sinais de alarme relativamente ao corrimento branco durante a gravidez?

Sim! A futura mamã deverá estar atenta a duas situações distintas. Em primeiro lugar, se este corrimento for muito espesso e abundante, será importante a consulta de um médico.

Esta situação será também potencialmente preocupante se notar que o corrimento na gravidez se faz acompanhar de um odor intenso.

Corrimento amarelado na gravidez: é normal?

Sim. Tal como o corrimento branco, o corrimento amarelado poderá não indiciar nenhum problema de saúde.

Quando não tem odores intensos, este tipo de corrimento significa, por norma, apenas a expulsão vaginal de células mortas e muco, agindo como um lubrificante vaginal. Este corrimento amarelo na gravidez serve, fundamentalmente, para proteger o canal vaginal de eventuais infeções.

Ainda assim, em algumas situações, este tipo de corrimento poderá indicar que a mulher está a passar por alterações hormonais ou apresentar-se como sintoma de eventuais infeções.

Devo preocupar-me com o corrimento amarelo na gravidez?

O corrimento amarelado na gravidez poderá não ser normal. Por norma, quando não o é, este faz-se acompanhar de um aroma intenso e de uma maior abundância.


Nestes casos, o corrimento amarelo poderá indicar alguma alergia (nomeadamente a produtos de higiene, como perfume, sabonetes, preservativos ou pensos higiénicos); a presença de fungos e bactérias (como a responsável pela candidíase) ou ainda por doenças como a gonorreia, a clamídia, a herpes genital ou o cancro do colo do útero.

Será normal ter corrimento marrom na gravidez?

O corrimento castanho (ou corrimento marrom, em português do Brasil) é mais incomum na gestação, embora várias mulheres acabem por lidar com esta situação.

Em alguns casos (e em pequenas quantidades) o corrimento marrom na gravidez poderá não ser sinal de alarme.

Ainda assim, é importante estar atenta a este, já que pode também enunciar infeções, dilatação do colo uterino ou alterações no pH da região íntima.

O corrimento marrom claro na gravidez, de textura gelatinosa é menos preocupante do que corrimento escuro na gravidez, sendo que, principalmente quando acompanhado de um odor intenso, este poderá ser bastante preocupante.

Principais causas

As principais causas do corrimento castanho na gestação são as mudanças no pH genital da mulher, a realização de esforços intensos ou a realização de atividades domésticas. Além disso, no final da gestação, o corrimento marrom pode ser um indicador da proximidade do parto.

Quais os fatores de alarme?

A mulher deverá estar atenta ao corrimento marrom na gestação e procurar ajuda médica se:

– o corrimento for intenso e frequente;
– o corrimento se fizer acompanhar de um aroma intenso;
– sentir dor na região vaginal;
– sentir ardor ou comichão na região vaginal.

Nestas situações, o corrimento marrom na gestação poderá ser um sintoma de situações tão graves como infeções, gravidez ectópica, infeção no colo uterino ou mesmo risco de aborto espontâneo.

Em grandes quantidades, este pode ainda estar relacionado com a perda de sangue e indicar que existiu uma rutura na placenta ou outro tipo de complicações gestacionais.

O ideal será que visite o médico sempre que tenha este tipo de corrimento, para garantir a completa segurança do bebé e da gestação.

Corrimento esverdeado na gravidez o que pode ser?

O corrimento esverdeado na gravidez poderá ser sinónimo de eventuais problemas na região íntima feminina, que podem afetar negativamente o decurso da gestação. O corrimento na gravidez com esta tonalidade é, geralmente causado por uma de três situações distintas.

– Infeção fúngica

O corrimento na gravidez de tonalidade esverdeada poderá acontecer pela presença de fungos na região vaginal, que promovam uma infeção. Esta situação exige a consulta com um especialista e é geralmente tratado com recurso a um gel, a óvulos vaginais ou a um creme específico para a situação. Ainda que já tenha tido anteriormente uma infeção vaginal, nesta fase da vida é importantíssimo que não se automedique.

– Tricomoníase

Esta é uma infeção provocada pela presença de um micróbio (Tricomonas Vaginalis). Este protozoário deriva, por norma, de atividade sexual desprotegida, sendo considerado uma DST.

Neste caso, é comum que o corrimento esverdeado na gravidez se faça acompanhar de outros sintomas como um aroma intenso, dor no ato de urinar e durante as relações sexuais e comichão na região íntima.
Esta situação também exige cuidados médicos, sendo geralmente tratada com a administração regulada de antibióticos.

– Vulvovaginite

O corrimento esverdeado na gravidez terá, neste caso, uma caraterística grumosa, fazendo-se acompanhar um aroma intenso e pungente, por um inchaço e vermelhidão na região íntima e também pela sensação de ardor ao urinar. A candidíase é uma das formas que a vulvovaginite poderá tomar, não sendo, no entanto, a única situação possível dentro deste leque de doenças.

Durante a gravidez passou por alguma destas situações? Sentiu-se preocupada com o corrimento na gravidez? Conte a sua história e ajude as restantes mamãs do Bebé a Bordo a esclarecerem as suas dúvidas.

Algumas fontes: whattoexpect  americanpregnancy  livingandloving  famivita  gestacaobebe checkpregnancy  mdsaude infobaby

ARTIGOS REMOMENDADOS
ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo