Alimentos sólidos dos 6 meses a 1 ano do bebé, mês a mês

Alimentos sólidos dos 6 meses a 1 ano do bebé

Os alimentos sólidos começam a fazer parte do dia-a-dia do bebé a partir da introdução das primeiras sopas, aos 6 meses de idade. Daí em diante, novas aventuras alimentares se aproximam e, com elas, novas dúvidas e questões. Sabe como vai ser a introdução dos alimentos sólidos dos 6 meses a 1 ano?

Venha fazer esta viagem, mês a mês, com o Bebé a Bordo.

Até agora, o seu bebé alimentou-se apenas a leite. De repente (tão mais depressa do que pensou), passaram 6 meses e chega o momento de introduzir os primeiros alimentos.

As primeiras sopinhas do bebé são dadas e geram-se as fotos da praxe, onde sempre há risos misturados com um rosto alaranjado e expressivo pela novidade.

Daqui em diante, o bebé começará a entrar no mundo dos alimentos sólidos.

A diversificação alimentar, levada a cabo com a introdução da alimentação complementar ao leite, faz parte do desenvolvimento do bebé e é um passo importantíssimo na vida deste.

A introdução dos alimentos sólidos dos 6 meses a 1 ano marca, pois, uma passagem que permitirá ao bebé adaptar-se, de forma gradual, à alimentação, até chegar ao ponto (geralmente pelos 12 meses), em que estará integrada na rotina alimentar da sua família.

Considerando a importância deste processo no desenvolvimento infantil e o papel fulcral dos nutrientes presentes nos alimentos para garantir a saúde e o correto crescimento da criança, dedicamos, hoje, o presente artigo à introdução de alimentos sólidos dos 6 meses a 1 ano, mês a mês.

Acompanhe-nos nesta viagem semestral ao mundo da introdução da alimentação complementar.


1. Alimentos sólidos aos 6 meses

A primeira sopinha do bebé é bem conhecida como o primeiro alimento a introduzir.

Esta sopinha trata-se, por norma de um creme (ou puré) de legumes e tem, por norma, uma base onde se encontra a batata, a abóbora e/ou a cenoura, podendo ainda incluir alface, brócolos, couve, cebola e courgette.

Este primeiro caldo não deverá conter sal, embora possa ter um pouco de azeite cru (nunca numa quantidade superior a 5 ml).

Por norma, as mamãs começam por introduzir caldos mais líquidos, espessando estas sopas à medida que o tempo vai avançando para, desta forma, variar, não só os sabores, mas também as texturas dos alimentos do bebé.

Nesta fase pode também ser introduzida a papa (não lácteas, que podem ser preparadas com o leite materno, se assim o desejar; ou lácteas, preparadas com água).

Estas papas têm sabores diversos e são, por norma, bem aceites pelos bebés devido ao seu sabor adocicado. É conveniente, nesta fase, a escolha de papas sem glúten.

2. Alimentos sólidos aos 7 meses

Faz parte da introdução de alimentos sólidos dos 6 meses a 1 ano, nesta fase, também a introdução da fruta.

Embora seja mais comum a sua introdução aos 7 meses, algumas mamãs conseguem integrar, já, este alimento na rotina alimentar do bebé de 6 meses.

A introdução da fruta deve ser feita recorrendo a fruta fresca e da época, sendo servida enquanto sobremesa.

Nas primeiras experiências e durante alguns meses, as frutas permitidas na alimentação da criança serão a banana, a maçã, a pêra e a papaia, podendo estas ser cozidas ou cruas.


Muitas crianças reagem particularmente bem aos purés destas frutas cozidas. As restantes frutas, devido ao risco de alergias, serão introduzidas de forma mais tardia, tal como os sumos de fruta.

3. Alimentos sólidos aos 8 meses

Chegamos à introdução de novos nutrientes, mais proteicos, à medida que a carne e o peixe passam, também, a constar na lista de ingredientes da comida do bebé.

Mais uma vez, embora os 8 meses sirvam como marco, é comum que a introdução destes alimentos seja feita precocemente, aos 7 meses de idade.

Por norma, a introdução da carne e do peixe começa pela sua integração nos cremes do bebé.

Inicialmente, o creme de legumes poderá conter cerca de 15 gramas de carne (preferencialmente peru ou frango), aumentando esta quantidade até aos 30 gramas, à medida que também a carne de cabrito, vitela e coelho passam a integrar a sopinha.

Da mesma forma, os primeiros peixes a integrar serão os mais magros: pescada, peixe-espada ou pargo poderão ser integrados, sendo 15 gramas a quantidade adequada a acrescentar à sopa do bebé.

4. Alimentos sólidos aos 9 meses

O iogurte é, por norma, integrado na alimentação do bebé aos 9 meses. Nesta fase, o ideal será servir iogurte natural, evitando as variantes aromatizadas, bem como a adição de açúcar ou outros adoçantes.

Esta é uma boa opção para alternar com a papa, eventualmente na hora do lanchinho do bebé.
Nesta fase introduz-se ainda a gema do ovo.

Esta começa por ser integrada na quantidade de meia gema durante algumas semanas; passando a 1 gema ao final desse período.

5. Alimentos sólidos aos 10 meses

A introdução de alimentos sólidos dos 6 meses a 1 ano chega, pelos 10 meses (ocasionalmente um pouco antes), às leguminosas.

Quando o bebé tem esta idade, alimentos como ervilhas, grão ou feijão serão uma adição muito importante, uma vez que se tratam de alimentos ricos em fibras, proteínas vegetais e carbohidratos.

Inicialmente, estes alimentos podem ser integrados na sopa do bebé mas poderão, à medida que o tempo avança, ser servidos cozidos, como acompanhamento da carne ou peixe.

6. Alimentos sólidos aos 11 meses

Embora algumas crianças comecem a consumi-las um pouco antes, esta é a fase ideal para integrar o arroz em bago ou a massa branca na alimentação do bebé.

Inicialmente, tal como os restantes alimentos, esta introdução é feita através da sopa mas, se estiverem muito bem cozidos, poderá dá-los ao seu filho sem que sejam passados.

Recorde que, mesmo antes dos primeiros dentinhos, é importante promover o ato de mastigação na criança.

7. Alimentos sólidos aos 12 meses

É pelos 12 meses do bebé que a introdução completa dos ovos se dá. Contrariamente à gema, que integra as refeições do bebé desde os 9 meses, a clara começa, por norma, a ser integrada aos 12 meses.

O ovo irá ajudar a fornecer proteínas ao bebé, dando-lhe energia e fortalecendo os seus músculos.

De que forma fez a integração de alimentos sólidos dos 6 meses a 1 ano no caso do seu filho? Quais foram as maiores dificuldades? Queremos saber mais sobre a sua experiência pessoal.

Algumas fontes: maemequer tuasaude  todopapas br.guiainfantil  maemequer

ARTIGOS REMOMENDADOS

DEIXA UM COMENTÁRIO