O que é a doença mãos, pés e boca no bebé, será contagiosa?

A doença conhecida como mãos, pés e boca no bebé é bastante comum em crianças até aos 5 anos e preocupa mamãs pelo mundo fora.

Para que saiba tudo sobre ela, desde os principais sintomas, aos riscos de contágio e aos métodos de prevenção, convidamos para que embarque com o Bebé a Bordo na descoberta das formas de manifestação da doença mãos, pés e boca no bebé.

Mesmo perante o infinito amor e cuidado das mamãs, os bebés estão constantemente expostos a situações de risco no que diz respeito a doenças e viroses.

A tendência constante para levarem objetos à boca, bem como a permanência em espaços de convívio com outras crianças, faz com que o contágio seja uma realidade e as doenças acabem por se manifestar.

A doença mãos, pés e boca no bebé é um bom exemplo disto, tratando-se de uma doença geralmente causada por um enterovírus chamado Coxsackie.

Por norma, este tipo de vírus reside no sistema digestivo e é, também, responsável por algumas das aftas que surgem nas bocas dos bebés.

Tratando-se de uma doença contagiosa, a doença mãos, pés e boca no bebé torna-se mais comum nos bebés e crianças até 5 anos do que nos adultos, embora existam relatos de manifestações da mesma também em pessoas mais velhas.

Além disso, esta doença tem maior ocorrência durante o verão.

Hoje, voltamos a nossa atenção para a doença mãos, pés e boca no bebé para descobrirmos mais sobre o que é esta doença, como se manifesta, os seus sintomas e a forma de evitar/tratar esta condição.

Acompanhe-nos para saber mais sobre a doença mãos, pés e boca no bebé.


doença mãos, pés e boca no bebé

imagem retirada da internet

1. O que é a doença mãos, pés e boca no bebé?

Como referimos anteriormente, a doença mãos, pés e boca no bebé é uma condição vírica, causada por um vírus, sendo mais comum que se deva a uma das mutações do enterovírus Coxsackie.

A doença tem maior impacto nos bebés e crianças até 5 anos de idade, é contagiosa e tende a ter o seu pico epidémico durante os meses de Verão e no começo do Outono.

Este vírus entra no organismo da criança, onde se reproduz, contando com um período de incubação de cerca de 6 dias.

As primeiras manifestações apresentam-se, geralmente na boca, com a formação de pequenas chagas que podem causar dor; podendo passar também à palma das mãozinhas e à planta dos pés da criança.

Outras manifestações comuns da doença são a febre baixa, a dificuldade em comer e uma sensação de desconforto ou mal-estar.

2. Sintomas da doença mãos, pés e boca no bebé

As manifestações da infeção nem sempre são imediatamente patentes nesta virose. Ainda assim, quando começam a manifestar-se, os sintomas são vários e é importante que lhes seja prestada a devida atenção.

Por norma, os sintomas desta doença começam por assemelhar-se bastante aos da gripe, notando-se mal-estar, febres baixas, falta de apetite e, ocasionalmente, dores de garganta.

Posteriormente é comum que comecem a surgir lesões no interior da boca, que geram lesões algo dolorosas no bebé.

Outras regiões do corpo, como as mãos e pés (ou, mais raramente, as nádegas) podem também apresentar bolhas ou lesões que, por norma, não incomodam a criança.


Em algumas crianças, dá-se ainda, de forma não dolorosa, a queda das unhas dos pés e/ou das mãos. Estas voltam a crescer naturalmente, sem que a criança sinta desconforto.

3. A doença mãos, pés e boca no bebé é contagiosa?

Esta trata-se de uma doença epidémica e, como tal, ocorre justamente por contágio. Este contágio é feito, geralmente, entre crianças e pelo contacto dos pés ou das mãos com a boca.

Uma higiene precária ou a permanência em locais onde esta não seja mantida pode impulsionar o contágio por este vírus.

Devido ao tempo de permanência do vírus nas fezes da criança após a passagem dos sintomas, a doença mãos, pés e boca no bebé carateriza-se, ainda, por um período de contágio bastante alargado, que pode ascender a várias semanas.

Torna-se, por isso, necessário um cuidado redobrado com a higiene da criança.

4. Formas de tratamento e prevenção

Embora não exista um tratamento direcionado especificamente para esta virose, é possível minorar os sintomas de desconforto oferecendo ao bebé vários líquidos e procurando evitar os alimentos mais ácidos e rígidos.

Será ainda importante que contacte o médico do seu filho, principalmente se a febre e dor tiverem manifestações intensas. Um especialista irá, certamente, ajudar o seu bebé a ultrapassar a virose da melhor forma possível.

Além disso, para prevenir a doença, é importante que promova a higiene do bebé, nomeadamente garantindo que lava muito bem as suas mãozinhas e higieniza os objetos com que este brinca, já que existe a tendência para os levar à boca.

As roupas do bebé devem, igualmente, ser tratadas com um cuidado particular para evitar o contágio.

Já conhecia a doença mãos, pés e boca no bebé? O seu filho alguma vez contraiu esta virose? Conte-nos tudo sobre a sua experiência.

Algumas fontes: maemequer  revistacrescer  bebemamae

ARTIGOS REMOMENDADOS
ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo