7 dicas de como alimentar uma criança com obesidade infantil

Alimentar uma criança com obesidade infantil

Muitos pais têm de lidar diariamente com o problema de obesidade dos seus filhos, sem saberem qual a melhor forma de agir para ajudar a criança a criar hábitos mais saudáveis. Saiba como alimentar a criança com obesidade infantil.

Um dos problemas dos nossos dias é, sem dúvida, a obesidade infantil.

Num mundo onde a produção alimentícia privilegia os fatores da economia e do consumismo, são cada vez mais os alimentos que aliciam as nossas crianças a uma alimentação desregrada e pouco saudável, levando a um aumento indesejado do peso.

Por norma, a obesidade infantil advém do consumo excessivo de alimentos ricos em açúcares e gorduras, acompanhado de um sedentarismo provocado pelas atividades, cada vez mais digitais (como videojogos, ver televisão ou estar no computador), que criam na criança uma falta de vontade para gastar energia com atividades físicas.

Num índice bastante menor, são também causas deste problema os distúrbios hormonais e as doenças genéticas.

Os riscos da obesidade infantil são vários. A nível físico, esta condição pode levar ao aparecimento de vários tipos de doenças, incluindo a diabetes.

Socialmente, é geradora de desconforto e está largamente relacionada com o bullying nas escolas.

Desta forma alimentar a criança com obesidade infantil torna-se essencial para garantir o seu bem-estar em diferentes níveis.

Embora possa parecer difícil impor um regime alimentar saudável aos mais pequenos, a verdade é que existem 1001 dietas que lhe permitirão fazê-lo, de forma a que o seu filho goze dos benefícios dos melhores alimentos.


Acompanhe-nos para saber 7 dicas de como alimentar a criança com obesidade infantil.

1. Não prive a criança de alimentos

Pode parecer algo tentador, no momento de alimentar a criança com obesidade infantil, restringir os alimentos que lhe dá, para tentar que o seu filho coma menos. Isto poderá ser um erro!

O que precisa de ter em consideração é que a qualidade dos alimentos é mais importante do que a quantidade.

O seu filho, estando em fase de crescimento, não podendo ficar privada das calorias e proteínas responsáveis pelo desenvolvimento saudável.

Assim, o melhor é criar mudanças na alimentação da criança sem nunca deixar que esta sinta fome.

2. Promova várias refeições diárias

Ao alimentar uma criança com obesidade infantil, procure aumentar o número de refeições diárias, estabelecendo uma rotina para as mesmas.

Se a criança tiver acesso a quatro ou cinco refeições, esta não sentirá tanta fome durante o almoço e jantar, acabando por adequar as quantidades.

Estas refeições serão ainda uma garantia de que a criança recebe os nutrientes necessários para continuar a desenvolver-se física e intelectualmente.

3. Sirva porções regradas

Os pais devem, ao alimentar uma criança com obesidade infantil, evitar que esta repita o prato, ainda que seja do seu agrado.

Muitas vezes, as crianças não comem pela fome mas antes pelo prazer gustativo de um determinado alimento de que gostam. Procure cozinhar quantidades adequadas e servir os pratos.


Assim a criança sentirá menos a tentação de avançar para uma segunda dose.

4. Aposte nos vegetais e frutas verdes

Os vegetais e frutas verdes nem sempre são do agrado dos mais pequenos. Ainda assim, pensar em formas criativas de lhos apresentar poderá fazer com que se sintam menos avessos à ideia.

Uma salada de fruta ou vegetais salteados poderão fazer parte da rotina alimentar de uma criança com obesidade infantil, apelando, ainda assim, ao seu palato.

5. Evite tudo o que é industrializado

Para dificultar a tarefa de quem tem de alimentar uma criança com obesidade infantil, existe um mercado que promove, cada vez mais, a regra do facilitismo.

Alimentos embalados, processados, prontos a comer, com sabores que agradam à primeira prova e que são baratos na ótica do consumidor.

É aliciante para as crianças, prático para os pais, rentável para as empresas e péssimo para a saúde do seu filho.

Estes alimentos são, por norma, extremamente ricos em açúcares, sódio, condimentos, gorduras e conservantes que irão fazer com que a alimentação do seu filho não cumpra o seu papel nutritivo, engordando a criança sem lhe trazer qualquer benefício para o organismo.

6. Acompanhe com água

A água é essencial para que o corpo consiga cumprir as suas funções.

Assim, a par com um alimentação regrada e saudável, importa que o plano alimentar da criança com obesidade infantil inclua o consumo da mais pura das bebidas.

Refrigerantes e sumos, tal como os alimentos processados, irão fazer com que a criança engorde, tendo ainda a tendência para criar algum “vício”, fazendo com que a criança procure as bebidas açucaradas, deixando de beber as quantidades de água necessária.

Ocasionalmente, para variar um pouco, poderá servir um sumo de fruta natural.

7. Promova bons hábitos à mesa

Estudos comprovam que as crianças tendem a comer mais quando estão distraídas.

Assim, é importante que faça das refeições um momento familiar, onde estas não possam estar, em simultâneo, a ver televisão ou a jogar nos seus telemóveis e consolas portáteis.

Se a criança não tiver estas distrações, é provável que seja mais moderada na quantidade de alimentos ingeridos.

O seu filho sofre de obesidade infantil? Quais são as medidas que aplica para o ajudar a melhorar a sua alimentação? Conte-nos, também, as suas dicas.

Algumas fontes: plataformacontraaobesidade  guiainfantil  tuasaude alimentacaosaudavel

ARTIGOS REMOMENDADOS

DEIXA UM COMENTÁRIO