O que é a amniocentese, conheça este exame gestacional

A amniocentese é um dos exames gestacionais que mais questões levanta junto das futuras mamãs. Quer saber o que é a amniocentese, para que serve e em que situações se realiza este procedimento?

Então, venha com o Bebé a Bordo saber tudo sobre a amniocentese. 

Durante a gravidez, a saúde da mulher é mais importante do que nunca. Uma vez que a sua condição física afeta o desenvolvimento do feto, as visitas ao médico tornam-se mais frequentes e vários testes e exames poderão ser feitos. 

O despiste de problemas de saúde na gestante, como a toxoplasmose, a hipertensão gestacional ou a diabetes são fundamentais e, da mesma forma, garantir que o desenvolvimento do bebé decorre com normalidade e fazer o despiste de condições como a síndrome de Down

Assim, os exames de acompanhamento na gestação tornam-se muito importantes para garantir que tudo está bem com a mamã e com o bebé e permitir que o médico consiga analisar os vários aspetos da saúde da gestante e identificar eventuais problemas no bebé. 

Um dos exames que nem todas as gestantes realizam durante a gravidez é, no entanto, um dos que levanta maiores dúvidas e questionamento: falamos da amniocentese. 

Sobre este procedimento colocam-se várias questões, nomeadamente no que diz respeito à segurança do mesmo, ao momento da sua realização e à sua efetiva necessidade. 

Hoje, olharemos para este exame gestacional para lhe dizermos o que é a amniocentese, quando pode realizar este procedimento, quais os seus benefícios e quais os riscos associados. 

Se quer saber, em concreto, o que é este procedimento, encontrou o artigo ideal para si. 

O que é a amniocentese

1. O que é a amniocentese?

A amniocentese apresenta-se como um exame gestacional no qual é realizada a colheita de uma amostra de líquido amniótico mediante a inserção de uma agulha através da parede abdominal da mulher grávida. 

Este exame gestacional é realizado com controlo por ecografia e a amostra recolhida visa analisar as células recolhidas para determinar se existe alguma anomalia cromossómica no feto. 

O exame é possível na medida em que as células presentes no líquido amniótico recolhido contam com o mesmo número de cromossomas que o bebé em desenvolvimento. (1

A quantidade de líquido amniótico removido durante este procedimento demorará apenas algumas horas a ser reposta pelo organismo materno, sendo este um procedimento usualmente indolor e que demora apenas alguns minutos. (2

Em que fase da gestação se realiza a amniocentese?

Embora, em algumas situações, o médico possa recomendar o procedimento mais cedo, existe uma preferência para que o exame se realize entre a 16ª semana de gestação e a semana 18 de gravidez. A grávida também poderá realizar este exame posteriormente. 

2. Para que serve a amniocentese?

A amniocentese serve para fazer uma deteção rigorosa de anomalias nos cromossomas do feto. Esta pode ser recomendada em vários tipos de condições, incluindo: 

– Se a gestante tiver mais do que 35 anos; 
– Se for necessário realizar um exame de paternidade; 
– Se houver suspeita de anomalia cromossómica; 
– Se um dos pais (ou um filho anterior) tiver uma anomalia cromossómica; 
– Se o rastreio combinado foi positivo; 
– Se existe uma restrição de desenvolvimento fetal em fase precoce; 
– Se for necessário diagnosticar uma infeção fetal. 

Além disso, este procedimento é ainda realizado nos casos em que é necessário reduzir a quantidade de líquido amniótico ou avaliar o estado de desenvolvimento dos pulmões do bebé. (3

3. Quais os riscos associados à amniocentese?

A amniocentese é um procedimento que acarreta alguns riscos. Estima-se que entre 0,5% e 1% das mulheres abortem devido a este procedimento.

Embora o aborto seja o maior temor (e o maior risco) deste procedimento, a verdade é que, em clínicas especializadas e com profissionais competentes, é raro que esta situação ocorra. 

Outro risco associado à amniocentese é a de causar traumas, ferimentos ou infeções fetais durante o procedimento, sendo que se soma, a estas situações, ainda o risco de rotura da membrana. 

Neste procedimento pode ainda ocorrer a fuga de líquido amniótico ou a indução do parto, em fase precoce. Estas situações são, no entanto, bastante raras. (4)

Será que os benefícios deste exame compensam os seus riscos?

A amniocentese é um procedimento que dá à gestante uma informação 100% segura sobre a condição do feto no que diz respeito a eventuais problemas congénitos. 

Este exame permitirá saber se o bebé tem problemas como a espinha bífida ou a síndrome de Down e permitirá tomar decisões mais informadas sobre as formas de tratamento ou o desejo de pôr termo à gestação. 

Muitas mulheres tencionam levar a gravidez até ao fim independentemente de eventuais problemas graves de saúde do bebé e, nestes casos, os resultados da amniocentese poderão não impactar na sua decisão. 

Assim, a gestante deverá falar com o seu médico e tomar a decisão quanto à realização deste exame considerando as suas preferências, o aconselhamento clínico e as suas próprias filosofias morais. 

Realizou uma amniocentese durante a gestação? Conte às restantes mamãs do Bebé a Bordo como foi esta experiência e quais os seus maiores medos. 

Poderá ter interesse também em:

Alimentação na gravidez trimestre a trimestre

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo