in

A importância de contar histórias aos mais pequenos

A importância de contar histórias aos mais pequenos antes de dormir

A importância de contar histórias aos mais pequenos, quem conta um conto…

Era uma vez uma mamã e um papá que contavam histórias aos seus filhos, antes de dormir.

Podia começar assim uma história de encantar onde o sucesso e a felicidade da criança eram os protagonistas e o enredo se desenvolvia em torno da promoção de uma vida saudável, preenchida de sonhos, imaginação, criatividade e ambição.

A verdade é que uma história não é – e jamais será – simplesmente uma história.

Ao expormos os bebés a estas narrativas de sonho, na hora de dormir, o que estamos a apresentar, na realidade, são modelos de vida, princípios básicos de cidadania e educação, incentivos para a procura da plenitude e reforços para enfrentar o mundo em que vivemos.

Trata-se do momento em que serve ao seu filho o alimento que lhe permitirá construir um amanhã melhor.

Nos dias de hoje parece que o livro se encontra lentamente a morrer para dar espaço às tecnologias mas é muito importante que os pais promovam a sua ressurreição junto às camas dos seus pequenos rebentos, acordando-lhes a vontade de explorar o mundo das palavras, à procura dos significados e dos sonhos que moram nas suas entrelinhas.

Neste artigo vamos explorar a importância de contar e ler estas histórias às crianças, para que saiba a importância que este momento pode vir a ter na vida futura do seu filho.

1. Contar histórias, um sonho na hora de dormir

As histórias não terminam nas margens dos livros e passam, largamente, os limites da capa e da contracapa.

Cada conto fala das normas culturais, da importância da amizade e do amor, dos princípios sociais mais importantes e, em suma, do mundo em que vivemos.

É por isso que contar ao seu filho estas histórias faz muito mais do que embalar o seu sono.

Cada história serve para que o seu pequeno possa aprender uma lição sobre o mundo que o envolve, construir a sua personalidade e desenvolver um sem fim de ambições.

Os especialistas infantis referem que, no momento do conto, os pais estão a ensinar à criança mais sobre a comunidade que os envolve, fazendo-os construir mecanismos de adaptação e defesa relativamente ao mundo que os rodeia.

Quando acompanhada pelo prazer do momento de leitura, a criança será estimulada e passará a ver os livros e as histórias como parte das “brincadeiras” e das “coisas boas” do seu dia.

Mais tarde, isto poderá ser fundamental para que a criança opte por ler um livro em vez de se perder em frente aos monitores tecnológicos, o que impacta diretamente com o nível educacional da criança, a sua ambição e o seu sucesso na vida adulta.

Além disto, a partilha do momento com os pais, nesse momento de profunda intimidade e relaxamento, promove uma boa relação familiar e poderá favorecer a consolidação da confiança, fazendo com que esta exponha mais facilmente as suas dúvidas, medos e necessidades.

Este momento de partilha, na hora de deitar, pode ainda ajudar a promover uma vivência mais calma e feliz, tanto nos pais como nos seus filhos.

Pai a contar uma história ao seu filho para ele adormecer

2. Contar histórias, adiando o sonho

Levados pelo ritmo frenético da vida quotidiana, muitos pais poderão deixar para “amanhã” este momento de partilha.

Apoiados nas ferramentas digitais e tecnológicas, poderão relaxar, na crença de que o filho “ficará bem” se jogar um pouco ou assistir a um filme de animação.

No centro da vida moderna, esta é uma forma de os adultos conseguirem “comprar tempo” para organizarem a vida, a casa e descansarem um pouco, no final do dia.

O que pode ser esquecido, neste ritmo, é a importância da promoção de bons hábitos e boas relações.

Adiar a hora do conto e permitir a sua substituição não significa apenas o adiar de uma leitura… significa o adiar dos sonhos, dos princípios e dos momentos de partilha.

Segundo os especialistas, dez minutos de leitura diária fazem toda a diferença no sucesso futuro da criança, tanto a nível escolar como profissional e pessoal.

3. A promoção do “viveram felizes para sempre”

Claro, o propósito inicial de contar uma história é recreativo. Mas é uma semente de lazer da qual nascem árvores de educação, cultura, emotividade, imaginação, criatividade e, no fundo, caráter.

Uma criança exposta à realidade fantasiosa das histórias não terá apenas uma linguagem mais vasta, um vocabulário mais amplo e uma maior vontade de aprender; terá também uma personalidade mais forte, uma ambição mais implementada e, em geral, melhores ferramentas para enfrentar as dificuldades do quotidiano.

Ler histórias ao seu filho poderá melhorar o seu raciocínio lógico, a sua capacidade para pensar “fora da caixa”, uma maior ética pessoal e um melhor sentido de cidadania.

Todas as ferramentas base sobre as quais ele poderá construir um final feliz para a sua própria vida.

Ler e contar histórias de embalar aos bebés e crianças torna-se, assim, um momento de grande importância, tanto para as crianças como para os seus pais.

Como foi para si? Contava histórias aos seus filhos? Como é que estes viviam esse momento?

Não deixe de nos contar a sua história

Clique em uma estrela para avaliar.

Average rating 0 / 5. Votos: 0

ARTIGOS REMOMENDADOS

Escrito por Marina Ferraz

Marina Ferraz nasceu em Coimbra (Portugal) no ano 1989. Licenciada em Ciências da Comunicação pela Universidade do Minho e Mestre na mesma área, pela Universidade de Coimbra.
Autora pela Sociedade Portuguesa de Autores desde 2008

Blog - Facebook - Linkedin

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

GIPHY App Key not set. Please check settings

crianças e a Era Digital

As crianças e a Era Digital

A gravidez e o gato e a toxoplasmose

A gravidez e o gato