Anestesia epidural dói?

Epidural dói❓

Quando a hora H se aproxima, muitas gestantes começam a sentir a tensão aumentar e começam a pensar cada vez mais sobre a hora do parto.

A ansiedade é, nesta altura, mãe de muitas questões. Isto é perfeitamente natural!

Nesta fase, a gestante sente a necessidade de fazer perguntas sobre a experiência que está prestes a viver e é muito importante que as duas dúvidas sejam esclarecidas, para que o parto – um momento que deve ser vivido com alegria – não pareça tão assustador.

Nesta fase, uma das perguntas mais frequentes diz respeito à anestesia epidural e são muitas as grávidas que se questionam se a anestesia epidural dói.

Neste artigo, é sobre esta questão que nos vamos debruçar, para compreender melhor o que é esta anestesia e se sofrerá muito no momento de a levar.

epidural doi

1. A aproximação da hora H

Quando o parto está próximo, é natural que a gestante fale com o seu médico ou com o anestesista sobre a anestesia que levará, se assim o desejar, durante o parto.

A anestesia é uma temática controversa e existem muitas mulheres que guardam, sobre esta, algumas inseguranças.

Neste momento da vida da gestante, o médico será a pessoa mais indicada para falar sobre o assunto e explicar se a anestesia é viável e de que forma a sentirá, e se a epidural dói.

2. Anestesia epidural: o que é

A anestesia epidural trata-se de uma anestesia aplicada na região lombar, na coluna da gestante.

Esta anestesia é dada no espaço onde circula o líquido cefalorraquidiano (ou fluído espinhal) e irá fazer um efeito amortecedor, fazendo com que alguns resíduos metabólicos sejam removidos do tecido nervoso e fornecendo nutrientes para o mesmo.

Esta anestesia trata-se de uma anestesia local e tem como principal objetivo fazer com que a dor não seja tão intensa.

Ainda assim, esta não retira por completo a dor, uma vez que a gestante não deve perder toda a sensibilidade.

Contrariamente a outro tipo de anestesias, que entrariam na corrente sanguínea e chegariam ao bebé, a epidural limita-se, portanto, a agir sobre a espinal medula inferior, e a fazer um bloqueio dos impulsos nervosos da mesma.

3. Aplicação da epidural

Para que se consiga o efeito amortecedor desta anestesia, será colocado um fino cateter no espaço entre duas membranas, com recurso a uma agulha condutora, na região lombar da gestante.

Este processo ocorrerá junto às vértebras L3 e L4 e irá funcionar pela injeção da anestesia junto às inserções neuronais.

A aplicação de alguns dos fluidos intravenosos pode ser feita antes mesmo que o trabalho de parto comece.

Muitas vezes, antes da mesma, é aplicada uma pequena dose de anestesia local para que, posteriormente, o cateter possa ser colocada com a ajuda de uma agulha.

4. Anestesia epidural dói? – A dor e a anestesia

A forma como a epidural é aplicada cria, nas futuras mamãs, algum medo. Estas temem, pois, que o momento de levar a anestesia possa ser, também ele, bastante doloroso.

A localização de inserção do cateter seria indicativa disso mesmo.

Ainda assim, o local onde é feita a aplicação é, previamente, anestesiado localmente, sendo que, no momento em que leva a anestesia, a gestante sentirá principalmente pressão e um calor a percorrer os membros inferiores.

Desta forma, para a maioria das gestantes, a aplicação da epidural causa apenas algum desconforto e não dor.

Optou por receber a anestesia epidural no parto? Sentiu algum tipo de dor no momento da aplicação da mesma?

Não deixe de nos contar como viveu este momento.

Poderá ter interesse também em:

–  Gravidez e maquilhagem

–  Faixa pós-parto uma ajuda para a mamã?

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo