3 fases de trabalho de parto, sabe quais são?

Chega o momento esperado. A concretização de 9 meses onde construiu o sonho. E o sonho está prestes a ser a sua realidade: finalmente vai ter o seu bebé nos braços.

Antes de agarrar o bebé, no entanto, é necessário passar pelo momento do parto.

Dar à luz um bebé é algo maravilhoso. Sabia, no entanto, que este não é um momento único? Na verdade, o parto natural é um momento faseado, dividido em três partes muito concretas e importantes.

Depois da preparação para o parto e de ter já definido se o bebé nasceria por parto natural ou cesariana, é necessário avançar com confiança para a hora H.

E é por isso que, hoje, nos debruçamos sobre as três fases de trabalho de parto, para que saiba o que esperar quando vai trazer o seu filho ao mundo, através de parto normal.

 

1. A primeira fase

A primeira das fases de trabalho de parto é a dilatação do colo do útero.

Este é um processo que, por norma, dura entre 12 e 48 horas e é definido pela dilatação da região do cérvix, que se prepara para permitir a passagem do feto pelo canal.

Esta é uma fase que, por si, pode ser dividida em duas outras, sendo elas a fase latente e a fase ativa.

A fase latente da dilatação do colo do útero começa no momento em que se inicia o trabalho de parto e acontece entre o momento em que a dilatação se inicia, ainda nula, indo até aos 3 ou 4 centímetros de dilatação.

Nesta fase, a gestante irá, já, sentir contrações mas estas serão pouco regulares e menos intensas, começando, progressivamente, a tornar-se mais frequentes.

Quando se inicia esta rotina de contrações – que, a dada altura terão uma frequência de 2 ou 3 por cada 10 minutos, saberá que é o momento de pegar na sua mala de maternidade e sair.

O bebé está prestes a nascer!

Entramos, depois, na fase ativa. Aqui, o colo do útero já terá uma dilatação de cerca de 4 centímetros, esperando-se que aumente mais 6, até atingir o limite de dilatação do colo do útero, os 10 centímetros.

Com recurso à cardiotocogradia (CTG), os especialistas de saúde irão acompanhar a frequência cardíaca do bebé, ao longo deste processo de dilatação.

A frequência e intensidade das contrações serão, também, monitorizadas. Caso a mamã queira receber a epidural, este será o momento de colocar o cateter na região da coluna lombar.

Com contrações mais frequentes – em intervalos de 2 a 3 minutos, a gestante notará um aumento da intensidade da dor e, no caso de a sua bolsa amniótica não ter rompido de forma natural, este será o momento em que o médico fará com que tal aconteça.

A pressão do bebé na região da pélvis irá criar na futura mamã a necessidade de “empurrar o bebé”, fazendo força.

Quando tal acontece antes de a gestante atingir a dilatação completa, os especialistas (médico ou parteira) costumam tentar evitar que a grávida o faça, uma vez que a força exercida poderá, antes de se atingir os 10 centímetros de dilatação, provocar complicações, hemorragias ou outro tipo de lesão.

2. A segunda fase

A segunda das fases de trabalho de parto é a expulsão do bebé.

Esta fase costuma ter uma duração entre 1 e 2 horas, tendo o seu início no momento em que a gestante atinge a dilatação completa e culminando com o efetivo nascimento do bebé recém-nascido.

Durante esta fase do parto, as contrações são frequentes e intensas, tendo uma duração de aproximadamente 1 minuto.

Estas contrações são acompanhadas pela pressão do bebé na região pélvica, momentos acompanhados pelo médico que dirá quando será o momento ideal para fazer força e empurrar o bebé.

Neste momento, aplicará algumas das técnicas de respiração que aprendeu durante a preparação para o parto.

Neste momento, se o médico notar que existe alguma dificuldade na saída da cabeça do bebé, este poderá fazer um pequeno corte na região do períneo – a episiotomia – para evitar que esta zona se “rasgue” durante a expulsão do bebé.

Este processo não é incomum e parece algo assustador, tratando-se de um corte no espaço entre a vagina e o ânus.

A maioria das gestantes, no entanto, afirma que, no momento do parto, não sentiu o momento em que tal procedimento foi realizado.

Quando a cabeça do bebé sai, o resto do seu corpinho é expulso com facilidade, sendo este o momento de clampar o cordão umbilical e de cortar o mesmo.

O médico irá, neste momento, observar o bebé e entregá-lo à mãe, que o agarrará pela primeira vez.

3. A terceira fase

Embora o bebé já tenha nascido, sobra ainda uma fase do parto.

A terceira das fases de trabalho de parto é, pois, a dequitação ou expulsão da placenta, fase que não durará mais do que uma hora, podendo, na maioria dos casos, durar bastante menos.

Esta última etapa começa imediatamente após o nascimento do bebé e define-se pela saída da placenta após o desprendimento da mesma.

Este acontecimento é, por norma, muito natural, já que o útero continuará a contrair-se, fazendo com que a placenta saia pelo canal vaginal.

O médico irá, nesta fase, avaliar a mamã para garantir que não ficam resíduos na cavidade do útero ou no canal do parto. Verificará, também, se existem hemorragias e procederá as suturas que julgar necessárias.

Como foi o seu parto? Aconteceu tudo de forma natural ou houve necessidade de alguma outra intervenção?

Conte-nos tudo sobre a sua experiência! Ela será muito útil para as restantes mamãs.

ARTIGOS REMOMENDADOS

One Response

  1. Daiane Poletto

Comente este artigo