Terrores noturnos: o que são e como lidar com a situação

 Muitas crianças, a partir de determinada idade, começam a manifestar terrores noturnos que, por vezes, as acompanham durante alguns anos. Venha com o Bebé a Bordo saber o que são os terrores noturnos e como pode lidar com a situação.

As questões relacionadas com a hora de dormir das crianças começam muito cedo. Entre estas, os pais costumam ter questões sobre o sono do recém-nascido ou sobre até que idade deve o bebé dormir com a mãe.
Ainda que consigam as respostas para estas questões, é natural que, com o crescimento da criança, novas questões surjam, já que a mudança é contínua e progressiva.

Em alguns casos, depois dos dois anos (e usualmente antes dos 5), as crianças começam a sofrer de algo comummente apelidado de “terrores noturnos”. Para ajudá-las, os pais costumam procurar as melhores formas de ajudar a criança a combater os medos mas isto pode não ser suficiente face a este problema.

Venha saber o que são os terrores noturnos, como se manifestam e como pode lidar com a situação.

1. O que são os terrores noturnos?

Os terrores noturnos são uma perturbação do sono que se enquadra no subtipo das parassónias. Estes são muito comuns em crianças entre os 2 anos e os 5 anos.

Os terrores noturnos caraterizam-se pelo despertar súbito da criança, que usualmente manifesta ansiedade, agitação e grita. (1)

Manifestando-se, por norma, nas primeiras horas de sono, o terror noturno pode durar alguns segundos ou vários minutos, sendo que usualmente a criança não se recorda, depois, do que sucedeu.

Uma mesma criança pode ter vários terrores noturnos na mesma noite e, a longo prazo, isto pode traduzir-se em problemas severos, como a privação de sono e respetivos sintomas, incluindo a baixa imunidade, a irritação e a sonolência.

2. Quais as causas dos terrores noturnos?

Não se sabe exatamente qual o motivo pelo qual a criança tem este tipo de distúrbio do sono, acreditando-se que o mesmo possa relacionar-se com estímulos excessivos no sistema nervoso central durante as primeiras horas de sono. (2)

Outros problemas, como privação se sono, stress, estímulos sonoros ou luminosos externos e histórico familiar são outras das causas prováveis para o problema.

3. Como lidar com esta situação?

Por norma, os terrores noturnos tendem a desaparecer com o avanço da idade, cessando por completo quando a criança entra na adolescência. Ainda assim, isto não significa que os pais não devam ter alguns aspetos em atenção.

Para começar, será importante que os pais evitem que a criança tenha, antes de se deitar, atividades estimulantes, que potenciem o terror noturno.
Caso a criança se movimente durante o terror noturno, é ainda importante que torne a casa segura, trancando janelas e portas e removendo objetos do caminho.

Não deverá, ainda, tentar acordar a criança, recomendando-se que, se quiser estar presente, se mantenha ao lado da criança, em silêncio, para que esta não se assuste quando acordar.
Evite falar sobre o sucedido com a criança já que, não se recordando do que se passou, isto apenas irá confundi-la e assusta-la, sem resolver o problema. (3)

O seu filho tem terrores noturnos? Como se manifestam? Conte a sua experiência aos demais leitores do Bebé a Bordo.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo