Soluços: qual o seu impacto no cérebro do bebé?

Não é incomum que o bebé tenha soluços e, muitas vezes, tal era encarado com algum medo ou desconforto por parte dos pais. A ciência, no entanto, parece ter descoberto que o impacto dos soluços no cérebro dos bebés não é negativo. Saiba mais com o Bebé a Bordo.

Os pais – principalmente quando se trata do primeiro bebé – têm inúmeras questões sobre o que pode ser perigoso ou benéfico para a criança.

Desde a amamentação à vacinação e passando, também, pelos aspetos relacionados com atividades como o SPA para bebés, as questões são diversas.

Uma pergunta gerada pela observação da criança é se é normal quando o bebé tem soluços

Embora pouco apreciado pelos pais, este fenómeno fisiológico regular nos bebés poderá ter uma razão para acontecer. Na verdade, os estudos científicos poderão ter descoberto que este é fulcral para a criança.

Venha descobrir qual é o impacto dos soluços para o desenvolvimento cerebral do seu filho.

O que dizem os estudos sobre os soluços do bebé?

Estudos recentes parecem ter relacionado a atividade cerebral do bebé e a sua respiração com um dos fenómenos fisiológicos comuns nas crianças mais pequenas: os soluços.

O estudo britânico, levado a cabo por uma equipa do University College London terá sido publicado na revista científica Clinical Neurophysiology. (1)

Tendo uma amostra de 13 bebés, estes cientistas realizaram várias eletroencefalografias para observar as alterações que os soluços provocavam nas ondas cerebrais das crianças. O estudo contava com bebés recém-nascidos e prematuros.

As conclusões do estudo

Kimberley Whitehead, uma das investigadoras envolvidas no estudo explicou que, apesar de existirem ainda poucos dados para justificar totalmente a existência de tantos soluços nos bebés, a pesquisa realizada aponta para que possa existir uma função relacionada com o desenvolvimento da criança. (2)

Um dos dados que aponta para que assim seja prende-se com o facto de que bebés prematuros tendem a soluçar de forma menos espaçada e mais frequente.

Além disso, relembra que os soluços se iniciam antes mesmo do nascimento, tendo este fenómeno inicio ainda no útero materno e estando relacionado com a respiração.

Em termos científicos, o soluço equivalia a respostas do córtex nos bebés e a vastas ondas cerebrais. Na perspetiva dos envolvidos no estudo, pode haver uma relação entre o ato de soluçar e a aprendizagem do controlo sobre os músculos respiratórios. (3)

Imaginava que os soluços pudessem ter um papel importante para os bebés? Qual a sua opinião sobre os resultados deste novo estudo? Partilhe os seus pensamentos com os restantes leitores do Bebé a Bordo.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo