QI pode se afetado por alimentação na infância

O desenvolvimento correto dos bebés e crianças pode impactar em toda a sua vida como adultos. A alimentação tem um papel muito importante em todos estes níveis de desenvolvimento. Saiba as consequências que uma má alimentação pode ter no QI de um indivíduo, com o Bebé a Bordo.

O desenvolvimento de uma criança dá-se a vários níveis: o desenvolvimento motor, emocional e também o desenvolvimento cognitivo são alguns dos elementos mais conhecidos.

Existem vários estudos que indicam que má alimentação reduz a inteligência e, entre estes, alguns relacionam justamente a alimentação feita na infância com a deterioração das funções cerebrais ao longo da vida.

Alguns dos estudos realizados tentaram compreender quais os efeitos de longo prazo que uma alimentação insuficiente ou incorreta (processada, rica em açúcares e gorduras) pode ter na vida de uma pessoa e nas suas funções cognitivas.

Venha com o Bebé a Bordo saber quais são os riscos de dar este tipo de dieta ao seu filho.

As dietas prejudiciais para as crianças

Dietas processadas, ricas em gordura e recheadas de açucares parecem estar a reduzir o QI das crianças, tanto a título imediato como a longo prazo. 

Um novo estudo, publicado na revista científica Journal of Epidemiology and Community Health, sugere que os hábitos alimentares incorretos durante o 3 anos de idade podem afetar a inteligência para toda a vida. (1)

Além de serem nocivas para o seu desenvolvimento físico e para a saúde, estas dietas processadas parecem estar também a afetar negativamente o desenvolvimento cognitivo, o que impacta na capacidade de aprendizagem e nas funções cerebrais na idade adulta.

O estudo realizado sobre alimentação infantil e QI

Um estudo realizado em Bristol teve em consideração um vasto número – perto de 14 mil – crianças britânicas e debruçou-se sobre o impacto que uma má alimentação pode ter na performance cerebral na idade adulta. Para tal, foram considerados questionários preenchidos pelos pais e analisada a função cerebral das crianças, numa infância mais tardia.

Este estudo sugere que uma má alimentação na infância pode ter um impacto negativo a longo prazo, incluindo na idade adulta, mesmo que a alimentação se altere e o indivíduo passe a fazer uma dieta saudável. (2)
Por outro lado, uma alimentação regrada, rica em vitaminas e minerais parece promover uma melhor atividade cerebral, melhorando os níveis de QI. (3)

Já conhecia o impacto da alimentação no desenvolvimento cognitivo da criança? E os seus efeitos na vida adulta? Conte a sua opinião aos restantes leitores do Bebé a Bordo.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo