Maionese na gravidez: poderá causar infeções por Salmonella?

A maionese na gravidez gera inúmeras questões. Muitas pessoas associam este consumo às infeções por Salmonella. Será que a maionese na gravidez é segura? Poderá realmente causar salmonelose? Venha saber a resposta com o Bebé a Bordo.

Os alimentos podem ser fortes aliados da gestante mas, em alguns casos, podem também constituir um perigo para a saúde da mãe, para o desenvolvimento do feto ou mesmo para o salutar decurso da gestação.

Por esta razão, muitas mulheres grávidas tornam-se verdadeiramente cautelosas durante os 9 meses de gestação, para garantirem que não ingerem nenhum alimento que possa ser prejudicial.

Os temperos e molhos fazem parte do questionamento destas mulheres que querem saber o papel do sal na gravidez, as vantagens da pimenta ou do caril e ainda se a grávida pode comer mostarda.

Não são parcas as questões que surgem durante os três trimestres de gestação no que diz respeito aos condimentos e, evidentemente, sendo um dos molhos mais utilizados, a maionese não podia deixar de integrar as questões destas mulheres.

Saber quais os riscos do consumo da maionese na gravidez, bem como qual a probabilidade de que este consumo possa levar a infeções por Salmonella está na ordem do dia.

Assim, hoje, iremos abordar esta temática para saber, em concreto, se a grávida pode comer maionese e quais as razões que tornam esta uma das mais comuns questões sobre a dieta na gestação.

Se também quer saber mais sobre a maionese na gravidez, encontrou o artigo ideal para dar resposta a todas as suas perguntas.

maionese na gravidez

1. O que é a maionese?

A maionese é um molho muito conceituado e que tem a sua origem disputada por vários países, embora se acredite que seja originária das ilhas Baleares. 

Este molho é preparado como uma emulsão, a frio, tendo como principais ingredientes o óleo e os ovos. Vários condimentos podem ser acrescentados, a gosto.

Usualmente, a maionese é utilizada em sandes e saladas, embora também sejam incluída noutro tipo de pratos, incluindo alguns dos mais tradicionais pratos de bacalhau, em Portugal.

Quais são os ingredientes da maionese?

Não existe apenas uma receita de maionese e, como tal, os ingredientes utilizados variam. Em quase todas as receitas os ingredientes mais comuns são o ovo, o óleo (ou azeite), o limão, o sal e o vinagre.

Ainda assim, muitos condimentos podem ser acrescentados à maionese. Os mais comuns serão, provavelmente, o alho, a mostarda e a pimenta.

2. A grávida pode comer maionese na gravidez?

Depende. As maioneses caseiras são, por norma, feitas com ovos não pasteurizados e, por isso, devem ser totalmente removidas do cardápio da gestante. Estes ovos podem causar problemas severos, podendo transportar bactérias extremamente nocivas para a gestação.

Em teoria, o consumo de maioneses industrializadas ou feitas com ovos pasteurizados são seguras. Ainda assim, este consumo é também desaconselhado, já que os produtos processados não são, também, boas opções alimentares para uma dieta saudável. (1)

Existe o risco de a maionese causar infeções por Salmonella?

Sim, o risco de a maionese causar infeções por Salmonella existe e é ainda mais premente nos casos da maionese caseira.

Uma vez que a maionese é preparada com ovos crus, a frio, é possível que os ovos carreguem consigo a bactéria responsável pela Salmonelose: a Salmonella. Esta bactéria pode ser muito perigosa, provocando doenças que podem ir desde a gastroenterite à septicemia e mesmo à febre entérica.

Na gestação, a salmonelose pode ser ainda mais perigosa, podendo gerar desidratação, levar à Síndrome de Reiter ou mesmo atravessar a placenta, causando problemas de saúde no feto ou mesmo o seu perecimento. (2)

Neste caso particular – e embora se desaconselhe o consumo de produtos industrializados e processados – a variante de compra de maionese tende a ser mais segura, já que é feita com ovos pasteurizados e que são usados conservantes na sua produção. (3)

Existem outros riscos associados ao consumo de maionese na gravidez?

Sim, além da infeção por Salmonella, a maionese é ainda um molho bastante calórico e com um grande índice de gordura, podendo contribuir para um aumento excessivo do peso na gravidez.

Os níveis de açúcar e sal deste molho podem também apresentar-se como potencialmente perigosos, principalmente pelo risco de que a gestante venha a ter diabetes gestacional ou problemas de hipertensão. O sal poderá, ainda, provocar uma maior retenção de líquidos.


Além disso, as variantes processadas que, como vimos, são as mais seguras, contam ainda com vários produtos de conservação de origem química e que podem ser nocivos para a saúde da mãe e do bebé. (4)


Além disso, as variantes processadas que, como vimos, são as mais seguras, contam ainda com vários produtos de conservação de origem química e que podem ser nocivos para a saúde da mãe e do bebé. (4)

3. É possível fazer uma maionese que a gestante possa comer?

Se quiser mesmo fazer uma maionese caseira durante a gestação e garantir a sua segurança, a única forma será garantir que faz uma maionese sem ovos. 

Embora os ovos sejam um dos principais ingredientes deste molho, hoje em dia surgem já algumas alternativas, graças ao aumento do número de pessoas a seguir uma dieta vegan. 

Para fazer uma maionese vegan irá precisar de:

– ½ chávena de leite de soja (à temperatura ambiente);
– ½ chávena de azeite;
– 2 colheres de sopa de vinagre de maçã;
– ½ colher de chá de alho em pó;
– oregãos secos (opcional e a gosto)
– sal q.b.

Preparação:

Misture o leite de soja com os temperos. Acrescente o azeite e o vinagre e crie a emulsão recorrendo a uma varinha mágica, misturando durante cerca de minuto e meio.

Caso a mistura continue muito líquida, pode acrescentar um pouco de sumo de limão e bater durante mais algum tempo.
Sirva de imediato.

Já conhecia os riscos da maionese na gravidez? Consumiu este molho durante a sua gestação? Partilhe as suas alternativas favoritas com as restantes leitoras do Bebé a Bordo.

Poderá gostar de ler também este artigo:

Será que a lua influencia a gravidez?

Comente este artigo