Cólera, a palavra quase proibida

A cólera tem sido temática comum nos media e, mesmo na voz de especialistas, soa sempre a uma palavra quase proibida. Mas, afinal, o que é a cólera? E quais as suas causas e tratamentos?

Venha saber mais sobre esta doença com o Bebé a Bordo. 

As doenças são sempre uma preocupação mas, para quem está grávida ou tem filhos mais pequenos, as notícias sobre surtos de doenças perigosas parecem ainda mais impactantes. 

Do citomegalovírus na gravidez, passando pelas sífilis e chegando às crianças e até às doenças mais comuns nos infantários, as perguntas destas mães sobre os problemas de saúde parecem nunca mais ter fim. 

Evidentemente, quando as notícias nos trazem a notícia de um surto de cólera, o questionamento é necessário e premente. Esta situação, motivada pelo ciclone Idai, em Moçambique, resultou, até ao momento em 2500 casos conhecidos da doença. (1

A própria OMS (Organização Mundial de Saúde) iniciou já, face a esta situação, uma campanha de vacinação. (2

Evidentemente, a ideia da cólera em Moçambique preocupa as mamãs que, apesar da empatia, poderão não saber em concreto o que é esta doença, de que forma ela afeta crianças e gestantes ou qual o motivo pelo qual cólera parece sempre ser uma palavra quase proibida. 

Hoje, iremos debruçar-nos sobre esta doença para dar resposta às principais questões que as mamãs e futuras mamãs têm sobre a cólera. 

Cólera, a palavra quase proibida

1. O que é a cólera?

A cólera apresenta-se como uma infeção aguda, sob a forma de diarreia.

Esta é provocada pela bactéria Vibrio Choleraee pode levar à morte em apenas algumas horas. 

A bactéria é responsável pela produção, no intestino delgado, de grandes quantidades de um fluído rico em minerais e sais, que gera diarreias severas.(3

A OMS estima que existam, anualmente cerca de 5 milhões de casos desta doença, sendo que mais de 100 mil destes resulta no perecimento da pessoa afetada. 

Entre os principais fatores de risco para a contração de cólera encontram-se as más condições de saneamento, o consumo de águas sem tratamento, uma higiene pessoal insuficiente, o consumo de alimentos não higienizados, crus ou mal cozinhados. 

O que causa a cólera?

Tal como referimos, a Vibrio Cholerae é a bactéria responsável pela doença.

Esta pode ser eliminada pelo ácido estomacal e, por isso, pessoas com défice do mesmo podem estar mais sujeitas a contrair cólera. 

Como se transmite a cólera?

A transmissão da cólera pode acontecer de várias formas: a ingestão de alimentos contaminados, a ingestão de água imprópria para consumo ou a contaminação através de contágio por outra pessoa. (4

O consumo de peixes e mariscos mal cozinhados está também muito associado à transmissão da cólera. 

2. Quais são os sintomas da cólera?

Embora a bactéria possa ser encontrada nas fezes após o período infeccioso (entre 7 a 14 dias), na maioria das situações – 75% a 80% – não existem sintomas. Isto facilita, portanto, o contágio. 

Ainda assim, outros casos, os sintomas podem iniciar-se alguns dias depois da infeção, sendo que as suas manifestações mais comuns são: 

– Diarreias intensas; 
– Vómitos e náuseas; 
– Desidratação; 
– Letargia; 
– Secura na boca e na pele; 
– Irritabilidade; 
– Pressão arterial baixa; 
– Arritmia; 
– Perda de minerais no sangue. 

A grande maioria destes sintomas decorre justamente da desidratação promovida pelos vómitos e diarreias. 

Quais os maiores perigos da cólera?

A cólera é uma doença muito perigosa e que, em apenas algumas horas, pode levar à morte. Em idosos, crianças, diabéticos, pessoas com HIV ou doenças cardíacas e gestantes, ela é ainda mais perigosa. 

Alguns dos perigos da cólera são a necrose renal, a redução do sangue que circula no corpo (choque hipovolémico), o aparecimento de arritmias, as convulsões e coma (mais comuns em crianças), a fraqueza intestinal e também o aborto e o parto prematuro em mulheres grávidas. 

3. Como é feito o diagnóstico da cólera?

A colera é essencialmente diagnosticada por exames clínicos. Usualmente, é feito um teste laboratorial às fezes ou em amostras retiradas do reto. 

Os exames laboratoriais irão isolar a bactéria nestas amostras e confirmar que se trate de um caso de cólera. 

A cólera tem tratamento? Qual?

A hidratação por via oral é responsável pelo tratamento de 80% dos casos de cólera, evitando alguns dos sintomas mais perigosos da doença e as consequências mais severas da mesma. 

A aplicação de um antibiótico – usualmente a tretraciclina – é utilizada para interromper a diarreia. 

O tratamento célere da doença pode reduzir o índice de mortalidade de 50% para 1%. (5

É possível prevenir surtos de cólera?

Sim. A vacinação oral e o fornecimento de condições alimentares e de saneamento apropriadas é importante para a prevenção da cólera e pode evitar o aparecimento de surtos da doença. 

Já conhecia a cólera? Qual é a sua opinião sobre o surto que atualmente está a manifestar-se em Moçambique? Conte aos restantes leitores do Bebé a Bordo quais os seus pensamentos sobre esta questão. 

Poderá ter interesse também em:

5 sinais de desidratação nas crianças, o seu bebé tem algum?

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo