7 dicas para a aplicação de repelentes

A aplicação de repelentes pode parecer bastante simples mas, principalmente quando este produto é aplicado na pele do seu filho, importa que saiba as melhores formas de aplicação.

Se também quer conhecer as dicas para a aplicação de repelentes, embarque nesta viagem com o Bebé a Bordo. 

É verdade que falar de verão e repelentes já faz parte da rotina anual. Quando chegam os dias mais quentes e perante o aparecimento de uma maior quantidade de mosquitos e insetos, esta é uma preocupação natural. 

Os momentos ao ar livre, em família, podem ser verdadeiramente importantes para criar filhos bem adaptados e saudáveis mas isto significa, também, como os noticiários internacionais nos relembram com frequência, o contacto com várias espécies de inseto, incluindo os responsáveis por doenças tão severas como o dengue ou zika ou mesmo a malária

Saber se pode usar repelentes na gravidez ou saber as principais respostas sobre repelentes de insetos em crianças poderá ser fundamental para garantir que escolhe o produto ideal e para evitar situações prejudiciais relacionadas com a proliferação de mosquitos. 

Mas, além de conhecer estas respostas, é também muito importante que, depois de adquirir os produtos certos, tenha o cuidado de descobrir a sua correta forma de aplicação. 

Se quer conhecer as melhores dicas para a aplicação de repelentes, para garantir a sua máxima eficácia e a sua segurança, não deixe de conferir a lista que hoje lhe trazemos. 

aplicação de repelentes

1. Dicas para a aplicação de repelentes: Leia sempre as instruções

Pode parecer algo óbvio. Ainda assim, este é um passo que, com frequência, muitas pessoas ignoram, acreditando que conseguem fazer, de forma intuitiva, a aplicação, mesmo sem ler as instruções do produto. 

Não é totalmente mentira que o uso dos produtos seja algo evidente, visto que, mediante o seu formato (loção, gel, pulseira, spray) o uso costuma ser bastante claro. 

Ainda assim, uma leitura atenta das instruções do repelente ajudará a saber alguns aspetos importantes. Por exemplo: sabe qual a distância certa de vaporização do spray? Sabe quais as regiões do corpo a evitar? Conhece o tempo de duração e eficácia da pulseira repelente? Estas são questões às quais pode responder seguindo as dicas para a aplicação de repelentes e lendo as instruções dos produtos. 

2. Aplique um protetor solar

Garantir a saúde da pele implica alguns cuidados antes da aplicação do repelente. Assim, se souber que vai estar em exposição solar, o melhor será fazer a aplicação de um protetor solar antes de colocar o repelente. 

Caso faça esta aplicação, deve recordar que o repelente de insetos só deve ser aplicado depois de a pele ter absorvido o protetor solar. (1

Embora existam alguns produtos combinem estas duas caraterísticas – assumindo-se como produtos de proteção solar e repelentes em simultâneo – estes não são, por norma, a melhor opção para si. 

3. Evite excessos

É compreensível que as notícias criem algum medo relativamente às doenças causadas pelas picadas de inseto e é, de facto, importante que coloque um repelente para evitar este tipo de picada. 

Ainda assim, embora seja fulcral uma colocação uniforme do produto sobre a sua pele, para garantir que esta se encontra totalmente protegida, não é necessário que exceda as doses ou que coloque várias camadas do produto. 

Siga cautelosamente as indicações sobre a quantidade a utilizar.

Usualmente, não passará de uma camada fina sobre a pele ou de algumas vaporizações sobre a roupa. (2

4. Dicas para a aplicação de repelentes: cuidado com as zonas sensíveis

Algumas regiões do nosso corpo são particularmente sensíveis. O rosto, o pescoço e a região da pele junto às orelhas são exemplos de zonas cutâneas sensíveis e que merecem atenção extra, também, por estarem perto dos olhos. (3

Nestas zonas, o melhor curso de ação será a aplicação do produto nas mãos e posteriormente na pele, em vez da aplicação direta. 

É ainda importante que, na aplicação de repelentes, sejam evitadas as zonas da pele onde tenha feridas, queimaduras ou outro tipo de lesões. 

5. Não esqueça partes chave do corpo

Não é raro que, no processo de aplicação do repelente, fiquem esquecidas regiões do corpo como os pés, os joelhos ou os tornozelos. 

É fundamental, para evitar picadas e decorrentes doenças, que estas zonas do corpo não sejam esquecidas no momento de vaporizar ou espalhar o seu repelente de insetos. 

6. Cuidado com os mais pequenos

pele do bebé é particularmente sensível, sendo inclusivamente comum que o bebé tenha uma pele atópica

Desta forma, quando falamos dos mais pequenos, é necessário reforçar a importância dos cuidados extra na aplicação de repelentes. 

Para começar, crianças com menos de 2 meses de idade não poderão utilizar repelentes e, mesmo em bebés mais crescidos, é importante a escolha de produtos adequados, sendo que estes deverão ser aplicados nas suas roupinhas e não sobre a sua pele. (4

Para as regiões do corpo do bebé que não estejam cobertas, poderá fazer a aplicação nas suas mãos e, depois, indiretamente na sua pele exposta.

Tenha o cuidado de evitar os olhos e a boca do bebé. 

repelentes ztop

7. Dicas para a aplicação de repelentes: Não faça aplicações desnecessárias

Se colocou repelente, não precisará de voltar a fazê-lo durante o tempo de duração do mesmo. 

A grande maioria de tipos e marcas de repelentes de inseto tem uma proteção com uma duração prolongada, de várias horas. A reaplicação do produto não o tornará mais eficaz e pode ser desvantajosa para a pele. 

Uma vez que a maior parte dos repelentes não é à prova de água, no entanto, poderá precisar de aplicar uma nova camada depois de ir ao mar, à piscina ou se suar muito. 

Já conhecia todas estas dicas para a aplicação de repelentes? Costuma seguir todos estes passos? Conte às restantes mamãs do Bebé a Bordo quais são os seus cuidados na aplicação de repelentes de insetos. 

Poderá ser interessante também:

Zica e Dengue: Previna-se contra as doenças

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo