Alimentação na gravidez trimestre a trimestre

Gestação rima com alimentação… e poderá não ser um acaso. Uma dieta saudável, durante a gravidez, é fundamental para que cada passo da gestação corra bem e para garantir a saúde da futura mamã e o bom desenvolvimento do feto. Conheça as recomendações da alimentação na gravidez trimestre a trimestre.

Durante a gravidez, as mamãs precisam de ter alguns cuidados particulares com a forma como preenchem o prato.

O cuidado alimentar, a par com uma rotina equilibrada e saudável, é um dos principais aspetos a considerar quando se visa garantir que cada momento proporciona, à mãe e ao bebé, tudo o que é necessário para uma gravidez salutar.

Ainda que os alimentos não alterem as suas funções ou os seus índices nutritivos, é necessário considerar que um corpo grávido é um corpo em mutação.

Desta mudança, ao longo dos nove meses da gestação, decorrem alterações também no que respeita às necessidades alimentares da futura mamã.

Poderíamos considerar (porque é verdade) que esta alteração ocorre de semana para semana, juntamente com o desenvolvimento do bebé.

Ainda assim, numa redução algo grosseira mas que não é, de todo, despropositada, podemos considerar três fases para as necessidades alimentares. Falamos, pois, dos três trimestres gestacionais.

Embora a leitura deste artigo não dispense a consulta de um médico ou nutricionista, convidamos para que venha connosco conhecer a alimentação na gravidez trimestre a trimestre.

1. Alimentação na gravidez trimestre a trimestre: os três primeiros meses

O 1º trimestre é, para muitas mulheres, um verdadeiro desafio no que diz respeito à alimentação.

Ainda que a tendência seja para uma readaptação alimentar imediata, no sentido de tornar o prato mais saudável e promover um bom começo para a gestação, os enjoos matinais nem sempre permitem que as refeições fiquem no estômago e é muito comum que as mulheres comecem a sentir-se tentadas para reduzir a sua alimentação aos ingredientes que parecem afetá-las menos (são exemplos as bolachas, o pão ou sumos de limão).

Nesta fase, o mais importante será tentar diversificar a alimentação para incluir os melhores alimentos sem, no entanto, se deixar cair na ansiedade do não cumprimento estrito das regras da dieta saudável.

Lembre-se de que, no caso de não estar a conseguir alimentar-se corretamente devido aos enjoos, o próprio médico poderá recomendar-lhe suplementos para superar as suas carências alimentares.

No que diz respeito à alimentação na gravidez trimestre a trimestre: o primeiro trimestre é a fase na qual o consumo de alimentos ricos em ácido fólico, de vitaminas (C e D), de ferro, de proteínas e de cálcio têm uma importância extrema, servindo para apoiar o desenvolvimento ósseo e neuronal do bebé.

Para ingerir estes nutrientes, além de banhos de sol ocasionais, recomenda-se que a gestante procure alimentar-se de pratos variados e coloridos, evitando os hidratos de carbono processados e escolhendo as opções integrais e os cereais.

Para combater os enjoos, as mamãs poderão, nesta fase, optar por fazer várias refeições leves, em vez de se limitarem a três refeições, mais recheadas e calóricas.

O consumo de água é, também de extrema importância, já que será esta a fazer o aporte dos nutrientes até ao meio celular e a promover as reações metabólicas orgânicas.

2. Nutrição na gravidez trimestre a trimestre: do quarto ao sexto mês

O 2º trimestre é marcado pela necessidade de garantir o cumprimento das necessidades nutricionais da mamã, tendo em vista o crescimento do bebé, sendo que grande parte da energia que o organismo materno produz serve este propósito.

Nesta fase, é importante que a gestante modere a ingestão de açúcares e comece a reduzir o sal da alimentação na gravidez.

A mamã deve recordar que tanto a diabetes gestacional como a hipertensão gestacional são comuns nesta fase, precavendo-se das mesmas através das boas escolhas alimentares.

Neste trimestre, a gestante deverá garantir a ingestão do ómega 3, ácido gordo que ajudará a garantir a absorção de várias vitaminas fulcrais (como a A, D, K e E) e a melhorar o desenvolvimento neuronal e ocular do bebé.

Da mesma forma, o ferro e o cálcio são essenciais, pelo que a mamã deve, nesta fase, apostar na carne vermelha (sempre bem cozinhada), nos vegetais de folha verde escura como por exemplo os brócolos, e nas saladas (também tendo o cuidado de serem bem higienizadas e evitando o seu consumo fora de casa).

Além disto, é ainda importante que a futura mãe invista em alimentos ricos em fibras, já que estes irão promover o bom funcionamento dos intestinos, evitando situações tão desagradáveis como a obstipação ou as hemorróidas gestacionais.

Mais uma vez, para que esta alimentação cumpra o seu papel nutricional, não poderá dispensar o consumo de água.

3. Alimentação na gravidez trimestre a trimestre: do sétimo mês à Hora H

Por fim, a partir do sétimo mês e até chegar a hora do parto, é necessário que a gestante adapte a sua alimentação às necessidades nutricionais do 3º trimestre.

Durante este, a mamã terá uma maior necessidade no que diz respeito à nutrição, uma vez que o crescimento do feto, nesta fase, é bastante célere.

Esta maior necessidade nutricional é, muitas vezes, acompanhada por uma sensação de menos fome, promovida pelo cansaço (sendo este pior nos casos em que a gestante sofre de anemia).

Se este for o seu caso, pondere falar com o seu médico sobre a toma de eventuais suplementos, de forma a garantir que ingere todos os nutrientes necessários.

Durante o 3º trimestre deve fazer um consumo regular de hidratos de carbono como arroz, massa ou pão, garantindo ainda um consumo frequente de fibras (presentes, por exemplo, nos cereais, nas sementes ou nos legumes) e de proteínas (através de peixe, carne ou ovos).

Lembre-se, ainda, de que o consumo de água é, também nesta fase, fulcral.

Uma regra comum, na alimentação na gravidez trimestre a trimestre, é a de que, perante qualquer dúvida, deve de imediato consultar o seu nutricionista ou o médico que acompanha a sua gestação.

Estas serão as melhores pessoas para avaliar o seu caso específico e decidir se deve, ou não, incluir suplementos na sua rotina alimentar.

Deve ainda, antes de tudo o resto, excluir da sua alimentação quaisquer alimentos aos quais seja alérgica ou que lhe provoquem algum tipo de intolerância alimentar.

Como foi a sua alimentação em cada um dos trimestres da gravidez? O seu médico fez alguma recomendação em particular? Conte-nos tudo sobre a sua experiência pessoal.

Poderá ter interesse em ler também:

–  Chá de limão na gravidez, posso tomar?

–  Depressão na gravidez, porque estou deprimida?

 

Algumas fontes: brasil.babycenter  maemequer cordvida  mundomulheres maemequer aminhagravidez

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo