O que é o resguardo após o parto?

Resguardo após o parto, o que é?

A gestação, como temos visto, é uma fase da vida da mulher na qual, além de muitas alegrias, existem também muitas dúvidas e questões.

A verdade é que, mesmo depois do parto, quando diminui a ansiedade sobre a hora H, as mamãs mantém sempre algumas questões sobre o que é permitido ou não no seu quotidiano, querendo garantir que fazem as melhores escolhas para garantir a sua saúde e a do seu bebé.

Uma das questões que frequentemente estas recém mamãs têm diz respeito à fase de resguardo no pós-parto, ao que esta significa e às regras que devem seguir enquanto o seu corpo recupera da gestação.

Entre as dúvidas mais comuns, encontram-se algumas sobre o que acontece a nível físico durante este tempo, se podem realizar todo o tipo de atividades, se devem envolver-se sexualmente com o parceiro ou se será possível engravidar durante o resguardo.

Sendo esta uma altura repleta de dúvidas para as mamãs, hoje debruçamo-nos sobre esta questão para saber tudo sobre o resguardo.

O que é o resguardo após o parto

1. Fase do resguardo após o parto: o que é?

O resguardo após o parto, também conhecido como puerpério ou quarentena, diz respeito ao período de aproximadamente 40 dias ao longo do qual o corpo feminino começa a recuperar do período da gestação.

Ao longo deste período, dá-se a recuperação dos tecidos uterinos e a reestruturação hormonal.

Este período inicia-se com a expulsão da placenta e costuma durar até o corpo sarar por completo, processo que demora, por norma, até 8 semanas.

Nesta fase, tal como tinha acontecido durante a gestação, a mulher vive alterações emocionais e físicas, sendo que, à medida que o corpo sara, a sua mente e a sua rotina começam a adaptar-se a uma nova forma de experienciar o mundo: enquanto mãe.

2. Caraterísticas do resguardo

Sendo uma fase emocionalmente forte e fisicamente exigente, o resguardo após o parto é uma fase na qual a mulher se encontra, por norma, bastante sensível.

A sua vulnerabilidade torna o apoio da família e do companheiro fundamental para o seu bem-estar.

É ainda natural, quer pela sua condição física como emocional, que a mulher se sinta bastante cansada.

Embora isto seja natural, se a exaustão se mostrar demasiado intensa ou permanente, é importante consultar um médico, já que tal pode indicar que está com uma depressão pós-parto.

3. Condição física

Durante a fase de resguardo após o parto, o corpo da mulher vive, como dissemos, diversas alterações.

Nesta fase, a mamã viverá a involução do útero (contrações uterinas que acontecem depois do parto, durante alguns dias, e que garantem a firmeza e reestruturação do útero); o aumento do peito (à medida que começa a segregar o colostro e o leite) e o aparecimento de lóquios (corrimento vaginal através do qual é libertado o sangue e resíduos do revestimento uterino, que será cada vez menos intenso ao longo do tempo, até desaparecer por completo).

Além disto, é provável que a mamã sinta cólicas, à medida que o útero retoma a forma e tamanho e que tenha, temporariamente, alguma incontinência urinária ou sinta alterações no controlo intestinal.

Por fim, no caso das mamãs que viveram um parto normal, é natural que exista algum desconforto na região do períneo decorrente da incisão nessa região durante o parto ou, no caso das mamãs que fizeram cesariana, que sinta desconforto na região da cicatriz abdominal.

4. A consulta médica

Por norma, durante esta fase de transição até o corpo estar sarado, o seu médico terá recomendado alguns cuidados.

Repousar, evitar fazer esforços desnecessários e não manter relações sexuais são, provavelmente, algumas das sugestões durante o resguardo.

No caso de um parto normal, entre um mês e mês e meio depois do parto, terá uma consulta médica de revisão (também conhecida como consulta do puerpério) na qual o médico reavaliará o seu estado e lhe dará (ou não) luz verde para avançar para a sua rotina normal.

Como foi, para si, a fase de resguardo após o parto? Quais foram as principais sensações físicas e emocionais que viveu nesta fase? Conte-nos como viveu o puerpério.

Algumas fontes:
redstarmedica
guiadobebe
famivita

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo