Maquilhagem para crianças, será segura?

Maquilhagem para crianças

No momento de comprar um estojo de maquilhagem para crianças – seja de brincar ou não – são muitas as mamãs que se questionam sobre as eventuais consequências dessa aquisição.

Venha saber se a maquilhagem para crianças é segura ou se tem algum efeito nocivo que deva considerar.

Serão, talvez, principalmente as mães de meninas a notar isto, embora cada vez mais se comece a assistir a um fascínio de ambos os géneros pela questão: a maquilhagem está inevitavelmente presente no nosso quotidiano.

Dos anúncios de televisão, passando pelas revistas, pelas prateleiras dos supermercados e lojas e até pela própria forma como os artistas se apresentam, tudo faz com que nos tornemos consumidoras e usuárias frequentes desta forma de embelezamento.

E, quando somos mamãs, é comum notarmos que, à medida que nos vestimos, nos enfeitamos e nos maquilhamos em frente ao espelho, começa a nascer, também nos mais pequenos uma busca pelo universo da beleza e pelo cuidado com a aparência.

Claro que, se no que respeita a alguns detalhes, como a compra de roupinhas a seu gosto ou a aposta em acessórios, tudo parece relativamente simples; no momento de deixar a criança furar as orelhas ou maquilhar-se, podem surgir algumas questões.

Na maioria dos casos, para que os seus próprios produtos de maquilhagem, (provavelmente dispendiosos) não sejam arruinados em brincadeiras de faz-de-conta, as mamãs acabam por procurar produtos direcionados aos mais novos. Mas existem, ainda, algumas dúvidas no ar sobre a segurança que estes possam ter para as crianças.

Por isso, hoje, olharemos o mundo da maquilhagem para crianças para tentar dar resposta à pergunta-chave da questão: será que é segura?

Maquilhagem para crianças

1. A arte da imitação

As crianças vêem nos adultos significativos que a rodeiam verdadeiros modelos a seguir. O fascínio e atenção que depositam nos pais, irmãos mais velhos ou outros familiares ou tutores faz com que exista, muitas vezes, um engajamento na arte da imitação.

Seja em gestos, trejeitos, formas de andar, de vestir ou em traços de rotina, as crianças gostam de sentir que são “parecidas” com as pessoas que admiram e tentam, de todas as formas, conquistar essa sensação.

Assim, uma criança que esteja habituada a ver a mamã a maquilhar-se ou cuja artista favorita apareça num vídeo ou num anúncio sobre maquilhagem, quererá, por certo, poder usar também esses produtos.

2. A resposta do mercado

Sabendo desta necessidade infantil pela imitação e seguindo o rumo dos tempos em que nos enquadramos, a indústria de beleza dedicou-se à criação de produtos que apelam às crianças, tanto pela sua forma como pela própria introdução de personagens de filmes de animação ou que apelem ao universo da imaginação, como fadas, princesas ou sereias.

A criação destes produtos tornou-se quase massiva e depressa se assistiu à passagem destas “caixinhas” de pintura das perfumarias aos supermercados e destes às lojinhas de utilidades que preenchem as nossas ruas.

Encontrar estes produtos – supostamente adequados para crianças – tornou-se cada vez mais simples e vulgar.

Ainda assim, como diz o provérbio, “nem tudo o que luz é ouro”.

3. Os perigos da maquilhagem para crianças

A vulgarização da maquilhagem infantil fez com que a própria comunidade cientifica lançasse sobre esta o olhar.

Analisando produtos diversos, como sombras de olhos, bases ou máscaras de pestanas, estudos como o desenvolvido pelo grupo de trabalho do The Environmental descobriram que o uso de maquilhagem – principalmente quando iniciado em tenra idade e sem atenção aos ingredientes dos produtos – poderá ser responsável por situações como desregulação hormonal, cancro e infertilidade.

Em Portugal, a Deco preocupou-se, também, com esta questão, salientando que, mesmo em cenários menos graves, existe o risco de irritação alérgica cutânea devido à presença de químicos nos produtos de maquilhagem para crianças.

A presença destes ingredientes potencialmente nocivos (nem todos aprovados pela INFARMED) deve-se, principalmente a dois fatores: a parca fiscalização fora dos mercados especializados, isto é, fora das perfumarias e lojas de maquilhagem (como em lojas de roupa, de brinquedos ou as chamadas “lojas chinesas”); e a ausência de estudos que garantam, de forma manifesta a relação entre o uso de determinadas substâncias presentes nestes produtos e as condições de saúde posteriormente adquiridas.

4. A importância do rótulo

Saber que existem ingredientes a evitar no momento de cumprir o desejo da criança é muito importante… mas não significa que não possa comprar-lhe maquilhagem.

A recomendação é apenas para que leia o rótulo, evitando todos os produtos que contenham os ingredientes potencialmente nocivos e/ou tóxicos.

As palavras-chave que deverá usar como sinal de alarme são: parabenos (buthylparaben e propylparaben); cyclotetrasiloxane; e butylated hydroxyanisole (ou simplesmente BHA). Evite ainda produtos sem rótulo ou que não tenham lista de ingredientes.

5. Uma brincadeira segura

Depois de passar a fase da leitura de rótulos, será mais simples escolher os melhores produtos para a criança “brincar” a esse jogo de imitações.

Aposte em maquilhagem fácil de remover, evitando todos os produtos à prova de água. Evite também os produtos aromatizados, principalmente com aromas frutados, uma vez que existe a tendência para a criança tentar ingeri-los.

Além disto, prefira produtos hipoalergénicos e verifique sempre o prazo de validade do produto. No que respeita a vernizes, experimente as variantes à base de água, uma vez que não necessitam de acetona para que seja feita a sua remoção.

Por fim, tenha atenção à embalagem. Por norma, os produtos mais seguros têm um sistema de dosagem que impede a libertação de produto em demasia. A embalagem deve ainda ser segura para ser manuseada por uma criança, não devendo ter arestas que possam provocar ferimentos ou cortes.

Embora assim seja, as mamãs deverão sempre manter-se atentas ao potencial aparecimento de sintomas alérgicos. Neste caso, o melhor será consultar um especialista da área da saúde.

Costuma comprar maquilhagem para crianças aos seus filhos? Quais foram as suas questões e receios? Conte-nos como vive esta experiência.

Algumas fontes:
deco.proteste
telegraph.co.uk
clinicacrepaldi

ARTIGOS REMOMENDADOS
DEIXA UM COMENTÁRIO