Grávida pode comer pimenta, faz mal ao bebé?

Saber se a grávida pode comer pimenta é uma das preocupações das mamãs, que temem que esta especiaria possa, de alguma forma, afetar o seu bebé. Conhecendo esta preocupação, decidimos olhar esta especiaria e conhecer os benefícios e riscos do seu consumo.

Se também quer descobrir se a grávida pode comer pimenta, parta à descoberta com o Bebé a Bordo.

Durante a gestação, vários cuidados alimentares são adotados pelas mulheres grávidas, para garantir que tudo corre conforme o esperado. Neste sentido, são muitas as perguntas que surgem nas mentes das gestantes, que dão por si a questionar os diversos alimentos, bebidas e especiarias que consomem.

Perguntas relativas à segurança do consumo da carne de porco na gravidez ou a procura por dicas para retirar o sal da alimentação na gravidez, juntam-se à pesquisa pelos chás seguros e inseguros na gestação e à busca pelo conhecimento relativamente aos melhores condimentos para utilizar nesta fase da vida.

Uma desvantagem da vastidão informativa do nosso século, no entanto, é que se torna possível, em simultâneo, a perpetuação de mitos e a consulta de informação válida e significativa. Neste sentido, é mais importante do que nunca a desmitificação de algumas temáticas relativas a ingredientes alimentares.

Um dos condimentos que levanta várias questões entre as gestantes é a pimenta e, hoje, é sobre esta especiaria que nos debruçaremos, para lhe dizermos se a grávida pode comer pimenta, quais os eventuais constrangimentos deste consumo e se é verdade ou um mito que este consumo pode ser prejudicial para o bebé.

Se também quer saber se a grávida pode comer pimenta, venha connosco nesta viagem.

1. O que é a pimenta? pimenta

A pimenta – geralmente conhecida, em Portugal, como Pimenta Preta e, no Brasil, como Pimenta-do-Reino – trata-se de um condimento antigo, proveniente da Índia.

Esta especiaria é geralmente consumida sob a forma de grãos secos, usualmente moídos e conferem aos alimentos um toque especiado e levemente picante, derivado da piperina, um dos elementos da sua composição.

Entre os temperos utilizados na cozinha portuguesa e brasileira, a pimenta é um dos mais comuns, razão pela qual, muitas vezes, o seu uso é questionado. Ainda assim, a ideia de que a pimenta poderia causar malformações fetais acabou por ser promovida e tornou-se uma ideia comum entre as gestantes. Mas será que a grávida pode comer pimenta ou esta faz mal ao bebé? É a esta questão que responderemos de seguida.


2. A grávida pode comer pimenta durante a gestação?

Sim! A grávida pode comer pimenta. O seu consumo, dentro de doses moderadas e equilibradas é, na verdade, considerado benéfico para a gestação; havendo apenas constrangimentos em casos muito particulares se saúde e quando o seu consumo é excessivo.

O corte completo com a especiaria não é necessário na gravidez. Já a sua moderação é recomendada, uma vez que, em grandes quantidades, esta especiaria pode promover a acidez estomacal, levando a uma sensação de azia ou o agravamento de situações de hemorróidas.

Ainda assim, a verdade é que, devido às suas propriedades (nomeadamente anti-inflamatórias e antioxidantes), bem como à presença de fibras, de vitamina C, de vitamina K, de ácido fólico, de ferro, de cálcio, de potássio e de magnésio; esta especiaria pode, na verdade, ser uma adição muito saudável na alimentação da gestante.

Quais os benefícios do consumo de pimenta na gravidez?

Entre os principais motivos pelos quais a grávida pode comer pimenta encontram-se benefícios como:

– Melhoria da digestão;
– Alívio de inchaços e gases intestinais;
– Prevenção de doenças cancerígenas;
– Prevenção e tratamento de problemas cutâneos gestacionais;
– Melhoria do sistema imunitário;
– Tratamento de constipações;
– Ação antidepressiva;
– Apoio na formação do tubo neuronal do bebé (devido à presença de ácido fólico);
– Controlo da pressão arterial.

Quais os riscos do consumo de pimenta na gravidez?

Começando por combater o mito: a pimenta não é responsável por malformações fetais ou situações abortivas. Na verdade, os estudos realizados não só não encontram evidências que sustentem esta ideia, como encontram vários benefícios no consumo deste ingrediente.

Ainda assim, como seria expectável, como qualquer outro alimento ou especiaria, o seu consumo pode também acarretar alguns riscos, se extrapolada a dose recomendada ou quando o seu consumo é feito a par com alguns problemas de saúde.

Os principais riscos de consumo de pimenta por parte de gestantes são:

– Sensação de azia e refluxo;
– Aumento da retenção de líquidos;
– Agravamento de situações de hemorróidas;
– Promoção de um sistema intestinal mais lento;
– Eventuais inflamações gástricas.

Além disto, vale ainda a pena salientar que as gestantes que sentiram, anteriormente à gravidez, algum sintoma que possa indicar alergia à pimenta, deverão evitá-la nesta fase das suas vidas.


3. A pimenta pode fazer mal ao bebé?

Existia, de facto, o mito de que o consumo de pimenta poderia ser nocivo para o bebé. Ainda assim, ao longo dos anos, nenhum dos estudos efetuados comprovou a relação entre este consumo e as malformações fetais.

Assim, acredita-se que a grávida pode comer pimenta sem que isto tenha qualquer tipo de impacto negativo no desenvolvimento do feto.

Recomenda-se, no entanto, que o consumo de pimenta seja sempre moderado e integrado de forma equilibrada na alimentação da mulher grávida. Em caso de dúvidas, convém ainda ouvir o aconselhamento do médico que a acompanha.

Alguma vez questionou se a grávida pode comer pimenta? Fez este consumo durante a sua gestação? Conte a sua experiência pessoal às restantes gestantes que lêem o Bebé a Bordo.

Algumas fontes: momjunction  iythealth parenting.firstcry  famivita  vix  livestrong

ARTIGOS REMOMENDADOS
ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo