7 dicas financeiras para os pais de primeira viagem

Dicas financeiras para os pais de primeira viagem, saiba quais os aspetos financeiros a considerar antes do nascimento do seu filho para se preparar economicamente para a sua chegada.

No momento em que sabem que vão ser pais, tanto a gestante como o companheiro costumam experimentar uma sensação de contentamento que permanece, se espalha e constrói ao longo de 40 semanas.

Embora seja um momento fortemente pautado pela felicidade, a verdade é que, os papás de primeira viagem, se preparam para a maior aventura das suas vidas… e esta envolve, evidentemente, muitos gastos.

Contrariamente a quem já tem outros filhos e que, como tal, poderá aproveitar algumas peças e utensílios do filho mais velho, os pais de primeira viagem vêem-se a par com uma construção que se edifica do zero para conseguirem organizar-se para receber o bebé.

Para não comprometer a carteira dos futuros papás é, por isso mesmo, muito importante a criação de um plano que permita a boa gestão financeira e no qual estejam integradas as melhores escolhas e decisões.

Afinal, compras mal feitas e decisões imponderadas poderão sair caras a estes futuros papás.

Um estudo realizado no ano 2008 previa que, em média, um casal de classe média gastasse entre os 236 e os 678 euros com o filho, mensalmente.

Assim, embora evidentemente este valor possa sofrer variações, é conveniente que se tomem as melhores escolhas no momento de planear a chegada do seu bebé.

Hoje, deixamos 7 dicas financeiras para os pais de primeira viagem.

dicas financeiras para os pais de primeira viagem


1. Seja realista – (dicas financeiras para os pais de primeira viagem)

Saber com o que contar é essencial para saber o que fazer e, por isso mesmo, a primeira das dicas financeiras para os pais de primeira viagem é para que sejam realistas quanto aos valores recebidos e às despesas essenciais.

Um olhar atento sobre os gastos que tem mensalmente, antes do nascimento do bebé, poderá dar-lhe uma ideia sobre quais são os gastos necessários e os que podem ser eliminados.

Se tiver créditos, este será o momento de os renegociar e, quem sabe, até de os aglomerar, para conseguir mensalidades mais baixas.

2. Considere os benefícios sociais

Licença parental, subsídio parental; apoios para mensalidades de creches, amas ou ATL’s; abonos pré-natais, abonos de família; apoio a famílias monoparentais e incentivos à natalidade são alguns dos benefícios sociais aos quais poderá ter direito.

Informe-se sobre estas questões para poder considerar eventuais rendimentos extra nas suas contas, optimizando, assim, o cálculo de rendimentos e despesas mensais.

3. Pense no momento do parto

Ter o bebé numa maternidade ou hospital público será diferente de optar pelo privado.

Deverá garantir junto do hospital que tem toda a informação sobre os custos relativos ao parto e, caso tenha seguro, deverá confirmar se este cobre na totalidade as despesas inerentes à hora H.

Saber esta informação poderá ajudá-los a poupar algum dinheiro.

4. Considere também as “coisas pequenas”

Depois de comprar o carrinho, o berço ou de se mudar para uma casa maior, poderá parecer que aquisições como fraldas, brinquedos ou toalhetes são “coisas menores”.


Ainda assim, se fizer as contas por alto para ver quanto vai gastar em fraldas e toalhitas, depressa compreenderá que é importante que estas despesas estejam integradas nas suas contas, no momento de planear as economias familiares para depois do nascimento do bebé.

5. Peça ajuda e conselhos

O aconselhamento junto de da sua família, amigos e, claro, médicos, poderá ser importante nesta fase da sua vida.

Eles poderão ajudar a definir quais as aquisições mais importantes e quais as que pode dispensar ou recomendar algum tipo de plano que tenha funcionado bem anteriormente.

Por vezes, a organização de uma festinha de chá de bebé poderá ser útil para receber ajuda da parte destes, recebendo alguns presentes e utilidades para a criança.

Se alguém próximo a si tiver tido um bebé há pouco tempo, poderá aproveitar para adquirir alguns produtos de confiança em segunda mão ou, quem sabe, tê-los até emprestados.

6. Não tenha pressa de comprar tudo

Ao longo da gestação, haverá muito tempo para ir fazendo as suas compras.

Não tenha a tentação de comprar tudo ao mesmo tempo. Em vez disso, divida a despesa por vários meses, aproveitando as oportunidades que vão surgindo no que respeita a saldos e promoções.

Antes de fazer as compras procure comparar sempre preços em várias lojas e espaços antes de comprar. Por vezes, o mesmo produto tem preços distintos consoante o local em que o adquire.

7. Mantenha a calma e aproveite a gestação

Para os futuros papás, é muito importante que todo o processo de preparação para a chegada do bebé seja uma partilha calma.

O tempo em casal e os momentos dedicados ao fortalecimento da intimidade irão ajudar a promover o ambiente certo para uma tomada de decisões mais ponderada e fazer com que a gestação seja vivida de uma forma mais feliz.

Quais foram os planos feitos ao longo da gravidez para a chegada do bebé? Fez alguma alteração na sua rotina financeira? Não deixe de partilhar também as suas dicas financeiras para os pais de primeira viagem.

Algumas fontes:
publico
media.rtp
vilamulher
maenahoracerta
barrigasdeamor

ARTIGOS REMOMENDADOS

DEIXA UM COMENTÁRIO