As dermatites da fralda

Tudo o que precisa sobre o eritema, dermatites da fralda

A fralda é um elemento absolutamente essencial durante (pelo menos) o primeiro ano de vida do seu filho.

Ainda assim, infelizmente, estas são também um elemento causador de alguns transtornos. Um dos mais comuns é a dermatite da fralda.

Se o seu bebé apresenta vermelhidão na zona de contacto com a fraldinha, é provável que tal se deva às desconfortáveis dermatites da fralda.

Estas manchinhas levantam, geralmente, preocupação junto das mamãs, que se apressam a trocar a marca de fraldas ou se aventuram na procura de cremes, toalhitas ou sabonetes que possam ajudar o seu pequeno a prevenir ou tratar este tipo de eritema.

Dos hábitos que comummente se adquirem perante esta forma de dermatite, nem todos são certos. Na verdade, saber como agir perante esta lesão da pele será fundamental para a tratar e evitar futuras ocorrências.

Neste artigo iremos explorar a questão relacionada com as dermatites da fralda para que saiba o que são, como pode identificá-las e qual o tratamento adequado.

Dermatite da fralda

1. O que é as dermatites da fralda?

O seu bebé está, infelizmente, sujeito a vários tipos de dermatite.

A dermatite da fralda é o nome dado à vermelhidão que surge na pele, formando pequenas lesões na zona que contacta diretamente com a superfície da fraldinha.

Embora apresente semelhanças com outros tipos (como a dermatite de fricção, a dermatite fúngica ou a dermatite seborreica), esta distancia-se da mesma pela zona do corpo em que aparece e a tonalidade rubra que toma.

Esta forma de dermatite pode ter várias origens.

Algumas fraldas, toalhetes de limpeza ou cremes, bem como o pó de talco podem ser desencadeadores da vermelhidão.

Outro responsável poderá ser o tempo de muda entre uma fralda e outra, uma vez que algumas crianças são mais sensíveis do que outras.

Por norma, este tipo de dermatite não dura mais do que três dias, pelo que, em caso de notar progressão na inflamação durante mais tempo, deve consultar um especialista para garantir que não existe outra causa para a mesma.

Como tratar a dermatite da fralda

2. Como tratar a dermatite da fralda?

Ao deparar-se com a zona afetada pela vermelhidão, é importante que se dirija imediatamente às medidas necessárias para o seu tratamento.

Em primeiro lugar, será importante uma limpeza à pele na região afetada.

Para tal, deverá utilizar apenas água, sem recurso a quaisquer produtos ou sabonetes (lembre-se de que estes podem ter sido os causadores do problema, logo à partida).

A opção por fraldas mais absorventes e a troca frequente das mesmas será importante para garantir a melhoria da pele.

Para aliviar a comichão e desconforto, bem como para tratar a zona da vermelhidão, pode optar pelo uso de cremes ou pomadas de barreira.

A vaselina ou pomadas à base de óxido de zinco poderão ajudar mas, caso estas não funcionem, será necessário o recurso a pomadas que tenham, na sua composição, corticoides, sendo que, para estas, necessitará do conselho e receita de um dermatologista ou do médico pediatra.

Os mesmos especialistas poderão ainda recomendar outros produtos se desconfiarem de dermatite fúngica ou em casos nos quais ocorra ulceração.

3. Sempre atento

Mesmo depois do desaparecimento da sintomática, o acompanhamento destas lesões é recomendado durante cerca de uma semana, para garantir que estes não retornam nem pioram.

Por mais tentador que seja o uso de pomadas antibióticas ou antifúngicas, lembre-se de que não deve automedicar o seu filho. Neste caso, recorra a um especialista para saber a melhor forma de ação.

É natural que o aparecimento destas lesões e, caso aconteçam, lembre-se de que é fundamental que se dirija ao problema, mantendo a calma.

Com os conselhos do médico do seu filho e o seu cuidado, a vermelhidão não tardará a desaparecer.

Já passou por uma situação deste tipo? Como lidou com o problema?

Conte-nos tudo sobre a sua experiência pessoal!

ARTIGOS REMOMENDADOS

One Response

  1. Mari

Comente este artigo