Aplicações móveis para creches, acompanhar os filhos na era digital

AAs aplicações móveis para creches vieram revolucionar a forma de acompanhar as crianças na escolinha. Esta e outras medidas aproximam a experiência educativa e familiar da era digital, o que apresenta vantagens e desafios. Já conhece as aplicações móveis para creches? Então, venha saber mais sobre elas com o Bebé a Bordo. 

Não há dúvidas de que o mundo se encontra em mudança. Hoje em dia, já não cozinhamos sem ver primeiro as melhores receitas das papinhas de fruta no Google nem vamos correr sem as apps de running

Atualmente, muitos dos papás poderão ter-se conhecido em aplicações de telemóvel ou nas redes sociais; a medicina desenvolve fórmulas e tecnologias novas que permitem uma mais fácil monitorização do estado de saúde do bebé (por exemplo, mediante o recurso a formas de medir a temperatura do bebé) e utensílios diversos (como intercomunicadores específicos para o bebé ou câmaras para controlo de atividade da criança) começam a fazer parte dos kits de parentalidade. 


Claro que o mundo digital em que vivemos não traz apenas vantagens. Muitos problemas têm sido encontrados, tanto no que diz respeito à privacidade e à segurança, como à saúde. Estudos diversos têm vindo a provar isto mesmo, lançando afirmações perturbadoras que relacionam as tecnologias com diversas doenças, como é o exemplo da infertilidade masculina por guardar o telemóvel no bolso


Entre constrangimentos e benefícios, no entanto, o que é inegável é que, cada vez mais, os instrumentos tecnológicos fazem, inegavelmente, parte dos nossos dias. A extensão das suas capacidades e os seus âmbitos de ação são cada vez maiores e, agora, chegam até às creches, aos infantários e às escolas das crianças. 


A criação de aplicações móveis para creches é a nova forma de acompanhar os filhos em plena era digital. Estas poderão surgir como uma forma de aproximação entre os pais e as instituições e permitir um acompanhamento mais próximo das atividades. 


Já ouviu falar das aplicações móveis para creches? Então, encontrou o artigo certo para descobrir mais sobre este tema. 

1. Aplicações móveis para creches: porque surgiram?

Algumas pessoas aceitam-no e aclamam-no. Outras pessoas demonstram resistência face à mesma. Independentemente do posicionamento, no entanto, não há como negar que vivemos num mundo tecnológico. 

A adaptação das várias vertentes da vida à tecnologia e ao digital é inevitável e está acontecer de uma forma célere, alterando a forma como se olha, se interpreta e se vive o nosso quotidiano. 


Os estudos realizados em torno das aplicações da tecnologia em momentos práticos da vida não poderiam, por isso mesmo, deixar de chegar até aos infantários, alterando a forma de atuar dos educadores; os métodos de ensino; e a forma como os pais interagem com todo este processo. 

Muitos têm considerado, inclusivamente, que seria contraproducente para todos os envolvidos no processo ignorar o papel fortíssimo que as tecnologias mantêm na atualidade e a sua importância no desenvolvimento e aprendizagem da criança. (1


Desta forma, as aplicações móveis para creches têm vindo a ser desenvolvidas para o ensino público e privado, um pouco por todo o mundo, criando novas formas de gestão de infantários e novas acompanhamento das crianças do século XXI. 

2. Para que servem as aplicações móveis para creches?

As aplicações móveis para creches têm várias utilidades, que servem todos os indivíduos envolvidos no processo: os pais ou encarregados de educação, as crianças e, claro, os próprios educadores. 


No fundo, estas aplicações permitem um maior conhecimento sobre o dia-a-dia da criança e uma melhor gestão da sua educação, através do uso do smartphone, tablet ou computador. 


Na sua estrutura é fundamentalmente considerado o encarregado de educação e o responsável pela criança dentro da instituição, sendo que, entre outras coisas, estas aplicações servem como um método de constante interação entre ambas as partes. (2

As aplicações móveis dos educadores

No que diz respeito aos responsáveis pelas crianças em meio institucional – os professores ou educadores – este tipo de aplicação apresenta diversas funcionalidades. Incluem-se, neste leque: 

– Possibilidade de partilhar momentos do quotidiano da criança com os encarregados de educação; 
– Facilidade de comunicação de mensagens com os pais; 
– Melhor gestão da assiduidade dos alunos; 
– Melhor gestão da sala, 
– Maior facilidade na atribuição de avaliações; 
– Maior facilidade na denúncia de comportamentos indesejáveis ou prejudiciais; 
– Criação de alertas e pedidos relativos a materiais necessários. 

As aplicações móveis dos educadores

Por outro lado, também os pais terão vantagens na instalação deste tipo de aplicação. Entre as principais, encontram-se as seguintes: 


– Facilidade de comunicação com os educadores do filho; 
– Maior acompanhamento da criança; 
– Mais conhecimentos sobre os hábitos quotidianos da criança na creche; 
– Garantia de presença e de cumprimento de horários de refeição; 
– Facilidade na receção de fotos da criança; 
– Facilidade na receção de informação sobre o comportamento e avaliações; 
– Possibilidade de visualizar momentos do dia do filho; 
– Gestão de pedidos de materiais e outras necessidades. 

3. Algumas das aplicações móveis para creches?

Cada vez mais empresas se dedicam à criação deste tipo de estrutura e, como tal, não é estranho que os nomes destas aplicações comecem a ser difundidos, um pouco por todo o mundo. 


Estas aplicações fazem, usualmente, acordos com as instituições e é prática comum que impliquem um pagamento por parte das mesmas e/ou por parte dos encarregados de educação, usualmente através de pequenas mensalidades. 


Algumas das aplicações móveis para creches e infantários que já estão disponíveis e são utilizadas por diversas instituições de ensino pré-primário públicas e privadas são: 


– Child Diary (3
– EDUCABIZ (4
– Daily Connect (5
– HiMamma (6
– OnCare(7

Já conhecia as aplicações móveis para creches? O que acha desta forma de acompanhar os filhos na era digital. Partilhe com os restantes leitores do Bebé a Bordo as suas opiniões sobre esta temática. 

Poderá interessar também:

Comente este artigo