Anel vaginal vs Pílula, vantagens e desvantagens

Anel vaginal vs Pílula, vantagens e desvantagens, qual será o contracetivo mais indicado para si

A procura pelo contracetivo nem sempre é simples e conhecer melhor as opções disponíveis torna-se fundamental para garantir que faz a escolha certa. O anel vaginal e a pílula são duas opções que pode fazer. Conhece estes métodos? Está familiarizada com a diferença entre ambos?

Venha conhecer melhor o anel vaginal e a pílula com o Bebé a Bordo.

Muitas mulheres anseiam pela maternidade e lançam-se inclusivamente, no cálculo do período fértil para garantir que aumentam as suas chances de ser mães.

Por outro lado, no entanto, existem mulheres que, por não sentirem que é o momento certo ou por não desejarem a maternidade, procuram algo diferente: contracetivos que lhes permitam viver uma normal sexualidade com o seu parceiro, sem o risco de engravidarem.

No que diz respeito aos contracetivos existem cada vez mais questões.

Por um lado, a imensidão de opções – como o DIU, o adesivo contracetivo, a pílula ou o anel vaginal – fazem questionar qual é a melhor escolha.

Por outro, a existência de problemáticas associadas à escolha realizada faz com que surja outro tipo de questão, como, por exemplo, “o que devo fazer se me esquecer de tomar a pílula?”

Antes que surjam estas questões, no entanto, a escolha de um método de proteção é fundamental. E, sabendo disto mesmo, hoje lançámos o olhar sobre dois dos mais aclamados métodos anticoncepcionais: o anel vaginal e a pílula.

Sequer saber mais sobre as vantagens e desvantagens da pílula e do anel vaginal, este artigo é mesmo para si!

1. Métodos contracetivos: o anel vaginal e a pílula?

A lista de métodos contracetivos é imensa. Hoje em dia, além do preservativo, encontramos opções como a pílula, o implante hormonal, o DIU ou o anel vaginal. Entre as várias opções, a verdade é que, muitas vezes, as mulheres acabam por ficar com dúvidas quanto à melhor forma de prevenir uma gravidez indesejada.

Hoje, lançaremos o olhar sobre os métodos contracetivos, focando dois dos mais populares: a pílula e o anel vaginal.

O que é o anel vaginal?

O anel vaginal trata-se de um contracetivo que, como o próprio nome indica, assume um formato anelar. Este anel é feito de silicone e tem cerca de 5 centímetros de diâmetro, podendo descrever-se como flexível e suave.

Quando colocado no canal vaginal, este liberta na via sanguínea hormonas (nomeadamente progestagénio e estrogénios) que impedem a ovulação e, como tal, também a gestação.

Trata-se de um método contracetivo com uma eficácia de 99% e que se utiliza durante 3 semanas consecutivas com uma de paragem.

A maioria das mulheres consideram que este método confortável, já que o seu material maleável permite uma adaptação completa à região de inserção.

O que é a pílula?

A pílula apresenta-se como um método contracetivo de via oral, com alta eficácia e que é, atualmente, um dos principais métodos anticoncepcionais escolhidos pelas mulheres.

O grau de eficácia da pílula contracetiva é de 99% quando tomada da forma indicada: 3 semanas de toma ininterrupta para uma semana de paragem.

Este método contracetivo funciona pelo fornecimento, ao corpo feminino, de hormonas sintéticas equivalentes às produzidas pelos ovários, nomeadamente o estrogénio e a progesterona.

2. As vantagens e desvantagens destes contracetivos

Apesar do seu índice de eficácia ser bastante elevado e da sua toma (ou aplicação) parecer bastante simples, a verdade é que todos os métodos contracetivos apresentam vantagens e desvantagens.

Na verdade, ainda que conheça alguém que utiliza um método e obtém, por ele, bons resultados; tal não significa que esse mesmo método se adeque a si, às suas necessidades e às suas caraterísticas pessoais.

Quais as vantagens do anel vaginal?

Entre as principais vantagens do anel vaginal encontramos:

– Facilidade de aplicação;
– Conforto durante o dia e durante o ato sexual;
– Utilização contínua durante 3 semanas e troca meramente mensal;
– Seguro e com uma extensão de 3 horas de eficácia além do tempo previsto;
– Eficácia de 99% na prevenção de gravidez;
– Adequado para as mulheres que não conseguem tomar contracetivos orais.
– Alívio das dores menstruais;
– Regulação da menstruação.

Quais as desvantagens do anel vaginal?

Por outro lado, entre as principais desvantagens relacionadas com este método encontramos:
– Apresentação de efeitos secundários em algumas mulheres (destacando-se náuseas, acne, dor de cabeça e aumento de peso);
– Efeito dependente do cumprimento das regras inerentes, incluindo horário de colocação e remoção;
– Ausência de proteção no que respeita a doenças sexualmente transmissíveis;
– Método não adaptável a todas as pessoas (por exemplo, pessoas com problemas hepáticos ou de tensão não podem utilizá-lo).

Quais as vantagens da pílula?

As principais vantagens da pílula são:

– Índice elevado de eficácia na prevenção da gestação;
– Regulação do ciclo menstrual;
– Alívio do TPM e das dores menstruais;
– Ausência de interferência com o ato sexual;
– Redução do risco de doenças como a DIP (Doença inflamatória pélvica), o cancro do endométrio e o cancro do ovário;
– Prevenção de quistos ovarinos;
– Ausência de impacto negativo na fertilidade feminina.

Quais as desvantagens da pílula?

Por outro lado, entre as principais desvantagens da pílula encontramos:

– Necessidade de toma diária;
– Dificuldade de gestão da regularidade da toma;
– Ausência de proteção contra doenças sexualmente transmissíveis;
– Desadequada para pessoas com alguns quadros clínicos (como, por exemplo, epilepsia, diabetes ou hipertensão);
– Provoca efeitos secundários em algumas pessoas (náuseas, aumento de peso, sensibilidade mamária).

Como posso saber o melhor contracetivo para o meu caso específico?

A melhor forma de garantir uma escolha acertada de contracetivo será sempre a consulta do seu ginecologista ou médico de família.

Embora seja possível que qualquer um destes dois métodos – o anel vaginal e a pílula – se adaptem a si e a protejam de uma eventual gravidez, a verdade é que os traços particulares do seu histórico clínico poderão afetar efetivamente a escolha.

Antes de começar a tomar ou a usar um contracetivo é importante que consulte um especialista de saúde.

Qual é o método contracetivo que utiliza? Alguma vez usou o anel vaginal ou a pílula? Conte às restantes leitoras do Bebé a Bordo como foi a sua experiência pessoal.

Algumas fontes: nhs  familyplanning  apf nhs plannedparenthood arevistadamulher apf

ARTIGOS REMOMENDADOS
ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo