Quando devo dar suplementos para a resistência invernal da criança?

Quando devo dar suplementos para a resistência invernal da criança

Com o fim do verão, a cabeça das mamãs começa, de imediato, a gerar um novo tipo de preocupações, relacionadas com a resistência invernal da criança. Saiba se e quando deve dar suplementos ao seu filho.

O verão chega ao fim e o outono, lá fora, ainda nem deu ares da sua graça. O sol ainda brilha.

Mas o coração de mãe faz com que, mesmo antes dos primeiros dias de frio e chuva, o inverno comece a instalar-se, aos poucos, no seu pensamento, juntamente com as preocupações relativas às doenças da estação fria.

Preocupadas com os seus filhos, estas mamãs ancoram, muitas vezes, o seu instinto protetor na sabedoria ancestral que, desde há muitos séculos, insiste em promover o bom funcionamento das defesas imunitária da criança através do recurso à suplementação.

As nossas avós costumavam promover a resistência invernal da criança dando-lhe óleo de fígado.

As evoluções científicas alargaram bastante as hipóteses das mamãs contemporâneas, permitindo que exista um maior acesso a comprimidos, drageias, xaropes e chás cuja função é idêntica.

Apesar disto, o uso de suplementos para a resistência invernal da criança está longe de ser consensual, levantando-se questões diversas.

Por esta razão, decidimos debruçar-nos sobre o tema, para que saiba quando deve dar suplementos para a resistência invernal da criança.

1. Cuidados ao chegar o inverno

Quando se aproxima o tempo frio, a preocupação com as doenças de inverno (ou, como são conhecidas, as doenças de infantário) aumentam.


Nesta fase, é comum que as mamãs pensem na resistência invernal da criança e queiram promovê-la, recorrendo a suplementos alimentares.

Por norma, mesmo perante crianças saudáveis e cheias de vida, as mamãs procuram, junto dos especialistas as típicas “vitaminas”, acreditando que estas poderão ajudar a garantir que a criança passa pelo inverno com menos problemas de saúde.

A discussão em torno do recurso a suplementos, no entanto, gera alguma ambiguidade. Algumas mamãs olham esta suplementação como parte integrante e essencial da alimentação da criança na estação fria.

Já outras, acreditam que melhor solução é garantir, através da correta nutrição do pequeno, que este recebe todos os elementos necessários para o correto funcionamento do sistema imunitário.

2. Promoção da resistência invernal da criança

Levanta-se, assim, a questão: quem terá mais razão nesta discussão? E a resposta poderá muito bem ser “ambas”.

Por um lado, é muito importante considerar o papel fulcral da alimentação saudável para que se promova a resistência invernal da criança.

Na verdade, os avanços ao nível da ciência da nutrição têm feito com que, cada vez mais, o recurso aos suplementos vitamínicos seja minorado.

Por outro lado, o recurso às vitaminas e outros suplementos continua, também, a ser uma recomendação de muitos especialistas de saúde, destacando-se, por exemplo, a vitamina D, cujo consumo é muito frequente, em forma de suplemento, principalmente ao longo do primeiro ano da vida da criança.

No caso dos bebés que se encontram numa fase de aleitamento materno, é incomum que os pediatras recomendem outro suplemento além da vitamina D, uma vez que todos os outros são, por norma, fornecidos através do leite da mãe.

Em casos excepcionais, no entanto, a vitamina C poderá, também, ser recomendada pelo especialista.


A intenção do consumo destes suplementos passa, pois, pelo reforço do sistema imunológico da criança, para que esta esteja menos suscetível a contrair doenças de inverno, prevenindo, assim, gripes, constipações e outras “doenças de infantário”.

3. Quando recorrer aos suplementos

O aconselhamento médico é o primeiro passo antes de dar ao seu filho qualquer tipo de medicação, incluindo suplementos.

Embora se encontrem e adquiram com facilidade chás, xaropes e comprimidos de reforço da resistência invernal da criança, a verdade é que estes poderão não ser adequados às necessidades do seu filho, sendo fundamental ouvir as palavras do especialista que o acompanha.

Além disso, no momento de comprar estes suplementos, deve ler a sua bula com atenção, uma vez que, enquanto alguns podem ser dados logo no primeiro ano de vida da criança, outros só são aconselhados para crianças com mais de 2 ou 3 anos de idade.

De referir, ainda, que em casos particulares (como bebés prematuros ou que sigam uma dieta vegetariana) os médicos poderão recomendar outro tipo de suplementação.

Tem por hábito dar suplementos alimentares ao seu filho durante o inverno? Falou com o seu médico antes de iniciar esta rotina? Conte-nos tudo sobre esta questão.

Algumas fontes: blog.vitaminddrops maemequer  wholesomebabyfood  news24 dailymail

ARTIGOS REMOMENDADOS

DEIXA UM COMENTÁRIO