Micose cutânea no bebé: saiba mais sobre a tinha

A micose cutânea no bebé é um problema de pele que levanta diversas questões. Muito comum nos mais pequenos, importa saber de que se trata este problema e como podemos identificá-lo. Se também quer saber mais sobre a micose cutânea no bebé, venha descobrir com o Bebé a Bordo. 

A pele do bebé é frágil e sensível. Por isso, ao longo dos primeiros anos de vida, a contração de problemas cutâneos é bastante comum. 

Embora sejam situações algo recorrentes, no entanto, os principais problemas de pele parecem gerar inúmeras questões nos pais, que temem nomes como a dermatite de contacto, a verruga no bebé ou a sarna

Independentemente de se tratarem de problemas mais ou menos severos, a verdade é que as manifestações cutâneas – através de erupções, manchas, bolhas ou borbulhas – parecem sempre motivo de preocupação. 

Um dos problemas cutâneos que também deixa os pais sob alerta é a micose cutânea (ou tinha infantil). Sabendo como é importante conhecer os principais sinais das doenças para, assim, facilitar a sua identificação e tratamento, iremos hoje debruçar-nos sobre este problema de pele. 

Se também quer saber o que á a micose cutânea no bebé; quais os principais sintomas da tinha infantil e como pode fazer o tratamento desta condição de pele, encontrou o artigo certo para si. 

Micose cutânea no bebé

1. O que é a micose cutânea?

A micose cutânea, também conhecida como tinha, é um problema de pele contagioso que tende a afetar principalmente as crianças, embora possa ocorrer em qualquer idade. 

A micose cutânea é uma doença fúngica – ou seja, causada por fungos dermatófitos. Estes fungos alojam-se nos tecidos mortos da pele e tende a proliferar, podendo passar de uma pessoa para outra ou para diferentes regiões do corpo. (1

Os três tipos mais comuns de micose cutânea é a micose no pé (pé de atleta), a micose na virilha e a micose corporal. Esta última pode afetar diversas regiões do corpo, sendo que a manifestação mais comum é nos membros, no couro cabeludo e no peito. 

A época veraneante é particularmente atreita a este tipo de problema, uma vez que as praias e as piscinas são locais propícios para o contágio, sendo a humidade um ambiente prolífero para os fungos. 

Quais são as causas da micose cutânea no bebé?

Usualmente, a micose cutânea deriva de uma infeção causada por fungos dermatófitos. A sua transmissão pode ser feita pelo contacto com uma pessoa ou animal contaminada com o fungo ou apenas pelo contacto com roupas, superfícies e objetos contaminados. 

Uma vez que a humidade é um meio que facilita a proliferação dos fungos, uma potencial causa da micose cutânea é uma humidade excessiva ou prolongada da pele, o que pode acontecer devido ao suor ou por se utilizar prolongadamente roupa húmida (por exemplo, um fato de banho). 

2. Quais são os sinais da micose cutânea?

A micose cutânea no bebé pode apresentar vários sinais. Por se tratarem de sintomas semelhantes às erupções cutâneas mas causados por fungos, é importante que o diagnóstico seja feito pelo pediatra. (2

Os principais sintomas de micose cutânea no bebé são: 

– Aparecimento de placas cutâneas, de tonalidades entre o vermelho e o branco; 
– Aparecimento de descamação cutânea; 
– Perda de cabelo (no caso de se tratar de micose no couro cabeludo); 
– Sensibilidade nas zonas de manifestação; 
– Comichão intensa; 
– Irritabilidade. 

Como é feito o diagnóstico da tinha no bebé?

Perante a manifestação dos sintomas descritos, torna-se importante que se leve a criança ao médico, para que este possa proceder ao diagnóstico do problema. 

Por norma, o quadro clínico de micose cutânea é confirmado através de um exame micológico, no qual se faz uma pequena raspagem da zona afetada e se avalia a presença do fungo na amostra recolhida. (3

3. Como tratar a micose cutânea no bebé?

O tratamento da tinha infantil dependerá da extensão de pele afetada e da gravidade efetiva das lesões. (4

O médico irá analisar, caso a caso, a situação. Consoante a sua análise, poderá então prescrever cremes antifúngicos, a aplicar com a pele devidamente limpa e seca; ou recomendar medicação oral. 

No caso de a criança precisar de recorrer a fármacos orais, a sua dosagem será determinada pelo peso e idade da criança. 

Como prevenir a micose cutânea?

Melhor do que tratar uma micose cutânea no bebé, no entanto, é prevenir esta situação. Algumas dicas para prevenir a tinha infantil são: 

– Seque sempre bem a pele da criança após o banho; 
– Troque as roupas do bebé, se as notar suadas; 
– Na praia, evite que o seu filho fique com o fato de banho molhado; 
– Nas piscinas e balneários, evite que o seu filho ande descalço. 

Já tinha ouvido falar da tinha infantil? Conhecia os sintomas da micose cutânea no bebé? Partilhe a sua experiência pessoal com os restantes leitores do Bebé a Bordo. 

Poderá ter interesse também em:

Dermatite de contacto no bebé: aprenda a identificar os sinais

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo