A criança foi picada por um peixe-aranha? Saiba o que fazer

Se o seu filho foi picado por um peixe-aranha, não precisa de entrar em pânico. Esta situação é muito comum no verão e pode ser solucionada com relativa eficácia e rapidez. Venha com o Bebé a Bordo saber o que fazer se a criança foi picada por um peixe-aranha.

O verão levanta muitas questões em todas as pessoas. Numa fase onde a saúde e o bem-estar são preocupações predominantes, não faltam questões para colocar quando chega o tempo de aproveitar o sol e a praia.

Pessoas envolvidas em dietas questionam, por exemplo, como fazer exercício no Verão e superar os desafios nos dias quentes; as gestantes querem saber quais são os cuidados essenciais para a grávida na praia e as recém-mamãs questionam a partir de que idade levar o bebé à praia.

Não faltam questões veraneantes, relacionadas com a vida sadia e o bem-estar do corpo. Estas questões fazem todo o sentido quando consideramos os benefícios de fazer praia mas é necessário também que se questionem os riscos… e eles também existem.

Alguns animais de contacto mais indesejado também gostam de visitar a nossa costa. Alforrecas e peixes-aranha constituem um potencial problema no momento de se banhar – ou deixar que os seus filhos se banhem – nas águas atlânticas. 

De facto, não é incomum que as crianças sejam picadas por peixes-aranha, o que resulta, como bem sabemos, numa dor intolerável e que facilmente deixa os pais em pânico.

Hoje, iremos explorar esta questão para que fique a saber o que fazer se a criança foi picada por um peixe-aranha.

Venha connosco à descoberta das melhores formas de solucionar este problema, tão comum nas nossas praias.

criança foi picada por um peixe-aranha

1. Como identificar que a criança foi picada por um peixe-aranha?

O peixe-aranha não é um animal particularmente perigoso nem que tenda a atacar sem ser provocado. Ainda assim, uma vez que se esconde, sob a areia, na orla costeira, para apanhar as suas presas, este acaba por picar as pessoas que os pisam. (1)

Quando pisado, atacando, o peixe-aranha introduz o veneno, que tem nos espinhos das suas barbatanas. Este veneno, que não é letal, tem, no entanto, uma toxina que provoca uma dor bastante intensa em algumas pessoas, embora outras possam sentir apenas desconforto. (2)

O cuidado com o peixe aranha é fundamental, sendo que, em Portugal, este é mais comum nas praias da região sul e se encontra, por norma, em águas pouco profundas, onde se encontram os crustáceos dos quais se alimenta. (3)

O que fazer se a criança foi picada por um peixe-aranha?

Se a criança foi picada por um peixe-aranha e identificou o problema, o mais importante será que não entre em pânico. Uma ação rápida e calma é essencial. Assim, os passos que recomendamos são: (4)

– Procure um nadador-salvador, ele terá a formação indicada para o ajudar;
– Se vir espinhos na região da picada, tente removê-los (será indicado o uso de luvas, que pode pedir, também, ao vigilante);
– Esprema a maior quantidade de veneno que conseguir, espremendo a região;
– De seguida, tente colocar o pé da criança em água quente (idealmente acima dos 40ºC) durante meia-hora;
– Caso não tenha acesso a água quente, procure aproximar um isqueiro (a cerca de 3 centímetros de distância) ou levar a criança numa caminhada pelo areal escaldante. 

Fundamentalmente, a temperatura quente é, portanto, o que irá ajudar a decompor o veneno do peixe e a eliminar a sensação de dor que acomete a criança.

É preciso levar a criança ao hospital?

Normalmente não. O problema costuma ficar solucionado com as fórmulas que acima lhe indicámos. Ainda assim, não é totalmente impossível que exista uma manifestação de hipersensibilidade a este veneno. 

Nestas situações, a criança irá permanecer com dores, queixar-se de náuseas ou tonturas; apresentar-se febril, suar e queixar-se de dores de cabeça.

Além disso, a criança também terá de ir ao médico com urgência caso note que esta tem falta de ar, convulsões, manchas vermelhas na pele, dores no peito ou perda de consciência.

E os métodos populares? Funcionam?

Duas fórmulas – ou, para melhor dizer, mezinhas – que se associam à picada do peixe-aranha são fazer xixi em cima da região afetada ou usar cloreto de etilo.

Estas formas de resolver a picada de peixe-aranha não têm comprovação científica, sendo que o cloreto de etilo está mesmo contra-indicado e que a urina não tem uma temperatura suficientemente elevada para resolver o problema.

É possível prevenir a picada do peixe-aranha?

A atenção é sempre importante nestas alturas mas, como sabemos, é improvável que a criança vá fazê-lo.

Assim, a recomendação é para que, em momentos de passeio à beira-mar ou quando levarem os filhos a banhar-se, os próprios pais se mantenham atentos, para evitarem que a criança pise um peixe-aranha. (5)

Além disso, a compra de sapatos plásticos, adaptados para esta situação, poderá ser uma boa forma de evitar a picada nos seus filhos.

O seu filho alguma vez foi picado por um peixe-aranha? Que curso de ação recomenda aos pais de outras crianças picadas por este peixe? Partilhe a sua experiência com os restantes leitores do Bebé a Bordo.

Poderá ter interesse também em:

Crianças devem usar braçadeiras ou bóias, coletes serão os mais seguros?

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo