Bebé com escarlatina, saiba mais sobre esta doença

O bebé com escarlatina preocupa muitos papás que se vêem em mãos com uma doença contagiosa e põe em causa o bem-estar do seu filho. Sabe como tratar o bebé com escarlatina? Então, venha saber mais sobre esta doença com o Bebé a Bordo.

A saúde do bebé é um dos principais pontos de atenção. Todos os pais e mães querem, no fundo, garantir que o seu bebé se mantém totalmente saudável e tentam protegê-lo dos perigos infecciosos que permanecem um pouco por toda a parte.

Apesar de vivermos na época dos “bebés estufa”, no entanto, a verdade é que nenhuma proteção será 100% eficaz no momento de garantir que o bebé não contrai algum tipo de doença. Aliás, se pensar nisso (ou até na sua própria infância) saberá que, ocasionalmente, as doenças são inevitáveis.

Algumas situações, como a varicela ou o sapinho na boca do bebé são muito comuns. Além disso, em idade pré-escolar, são igualmente frequentes as doenças mais comuns dos infantários. A verdade é que, ao longo da primeira infância, poderá ter de lidar com algumas doenças indesejadas no seu filho.

Uma das doenças comuns nesta fase é a escarlatina. Conhece os principais sintomas do bebé com escarlatina? Quer saber tudo sobre esta doença? Então, este é o artigo certo para si!

1. O que é a escarlatina?

A escarlatina trata-se de uma doença contagiosa, de origem bacteriana, muito frequente nos mais pequenos. O maior foco de incidência da doença dá-se entre os 5 anos e a adolescência.
Esta doença é provocada pela bactéria Streptococcus e costuma ocorrer como consequência de amigdalites ou faringites de origem bacteriana.

Os seus sintomas surgem, por norma, alguns dias depois das dores de garganta, somando a estes o aparecimento de manchas cutâneas e borbulhas vermelhas, de febres altas e de infeção nas amigdalas.

Apesar de se tratar de uma doença contagiosa, esta tende a ser tratada com relativa facilidade, com recurso a antibióticos prescritos pelo médico.

Antes de a criança completar os 3 anos, é incomum (mas não impossível) a manifestação da escarlatina.

Como é que o bebé pode contrair escarlatina?

A principal forma pela qual as crianças são contaminadas com a escarlatina é através do contacto com outras pessoas que tenham esta doença.

A doença pode ser contraída através da respiração (por exemplo, mediante a inspiração de partículas provenientes de espirros ou tosse de uma pessoa contaminada); ou do contacto com objetos que tenham contactado com essas mesmas partículas.

2. Quais são os sintomas do bebé com escarlatina?

Como já referimos, muitas vezes a escarlatina começa por se manifestar como uma normal faringite ou amigdalite, resultando das mesmas. Ainda assim, apontando alguns dos sintomas do bebé com escarlatina, temos de destacar os seguintes:

– Aparecimento de borbulhas, bolhas ou manchas vermelhas na pele;
– Sensação de comichão na pele;
– Vermelhidão na boca e no rosto;
– Infeção nas amígadalas;
– Dores de garganta;
– Irritabilidade e mal-estar;
– Enjoos e vómitos.

Como se diagnostica a escarlatina no bebé?

O diagnóstico da escarlatina começa pelos sintomas referidos e, mediante o aparecimento de qualquer um deles, torna-se fundamental levar a criança ou bebé ao médico.

O médico irá, provavelmente, solicitar alguns exames para fazer o despiste da presença da bactéria. Este é feito através do Step A ou de uma cultura microbiana a partir de colheita salivar do bebé.

3. Como tratar o bebé com escarlatina?

Quando se chega à conclusão de que estamos perante um bebé com escarlatina, o tratamento da mesma é feito, por norma, com recurso a antibióticos. Os antibióticos mais comuns, neste tipo de situação, são a penicilina, a amoxicilina e a azitromicina. Estes antibióticos só podem ser tomados sob prescrição médica e eliminam a bactéria causadora da doença do organismo da criança. Por norma, o tempo de toma do medicamento não ultrapassa os dez dias.

Durante o tempo em que está doença, a criança não deverá ir à escola ou à creche, já que a doença, sendo contagiosa, poderá ser passada para outras crianças. Ainda assim, depois do primeiro dia de tratamento, o contágio é improvável e, por isso, a criança poderá sair de casa.

Para que seja evitado o contágio é também importante que os pais mantenham os devidos cuidados de higiene, nomeadamente através da lavagem frequente das mãos da criança e da desinfeção dos espaços e objetos.

Já sabia tudo isto sobre o bebé com escarlatina? Passou por esta situação com o seu filho? Conte às restantes mamãs do Bebé a Bordo a sua história e ajude outras pessoas na mesma situação.

Algumas fontes: nhs omeubebe kidshealth bbc healthline babycenter

ARTIGOS REMOMENDADOS
ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo