Bebé com astigmatismo, terá cura?

O bebé com astigmatismo corre o risco de vir a sofrer de problemas de visão mais severos se o seu problema não for prontamente identificado. Conhece os sinais do astigmatismo infantil? Sabe se este tem cura? Então, venha descobrir mais sobre as caraterísticas, os sintomas e o tratamento para o bebé com astigmatismo juntamente com o Bebé a Bordo.

É muito comum que não se pense nos problemas de visão mais comuns nos bebés até sermos confrontados com este tipo de situação. A verdade é que, enquanto outras doenças – como os sapinhos na boca do bebé, a varicela ou o sarampo – são vulgarmente faladas; as doenças de visão parecem algo esquecidas no momento do nascimento do bebé.

Não é estranho que assim seja. Como a visão do bebé recém-nascido é subdesenvolvida e se vai desenvolvendo gradualmente à medida do seu crescimento, os pais nem sempre esperam encontrar problemas de ordem ocular no seu bebé.

Ainda assim, a verdade é que estes problemas existem e se manifestam, muitas vezes de forma subtil, através de pequenos sinais que os pais devem identificar para garantir as melhores hipóteses de tratamento para o seu filho.

Problemas de visão como o estrabismo, a ambliopia ou a miopia são, na verdade, bastante comuns em bebés e crianças. A estas, junta-se ainda o astigmatismo, sendo esta a patologia visual que hoje nos ocupa.

Sabe identificar os sintomas de um bebé com astigmatismo? Conhece as formas de tratamento? Sabe se existe uma cura para esta doença? Se quer saber estas e muitas outras respostas, não deixe de ler o artigo que se segue.

1. O que é o astigmatismo? Bebé com astigmatismo

O astigmatismo é uma patologia visual resulta de de um erro refrativo. Este erro, originário de uma alteração no próprio formato do olho, promove uma alteração das imagens captadas, transmitidas e recebidas pelo cérebro.

Um olho com astigmatismo resulta de uma alteração na curvatura corneana, que faz com que, em vez de convexa, esta tenha irregularidades na sua superfície, tornando-a ovalada, o que provoca uma visão distorcida e desfocada das imagens, tanto a longas distâncias como a curtas distâncias.

Esta é uma doença de visão muito comum e que ocorre frequentemente na infância.

Quais as causas do astigmatismo pediátrico?

O astigmatismo infantil é geralmente resultante de fatores de ordem genética, tendo uma forte componente hereditária.

O recurso a cirurgias de correção de outras doenças visuais (como as cataratas, por exemplo) pode também levar ao astigmatismo.

Qual a incidência do astigmatismo infantil?

O astigmatismo pediátrico é uma das patologias oculares mais comuns nas crianças, atingindo cerca de 23% das crianças com idades compreendidas entre os 6 meses e os 12 meses. Nesta fase, no entanto, é comum que a criança corrija o astigmatismo naturalmente.

Cerca de 9% das crianças até aos 6 anos têm, também, astigmatismo infantil. Esta doença é ligeiramente mais comum em crianças de origem hispânica.

2. Quais os sintomas do bebé com astigmatismo?

Os sintomas do bebé com astigmatismo são muito semelhantes aos do bebé com miopia, sendo inclusivamente comum que estas duas doenças surjam a par. Assim, os pais deverão estar atentos a sintomas como:

– Dores de cabeça;
– Aproximar muito os objetos dos olhos;
– Aproximar-se muito da televisão para ver as imagens;
– Tonturas;
– Atraso no desenvolvimento motor;
– Comichão nos olhos.

Como agir perante os sinais de que astigmatismo infantil?

É essencial que os pais levem a criança ao médico, ao identificarem algum dos sintomas mencionados, uma vez que é importante que a correção deste problema se inicie tão cedo quanto possível.

Em crianças com menos de 5 anos, a correção é fundamental pelo risco de que o astigmatismo leve ao surgimento de outros problemas, como a ambliopia, e afete permanentemente a visão.

Assim, o ideal será que o problema seja identificado tão cedo quanto possível para que se evitem danos irreversíveis na visão da criança.

3. Como é feito o tratamento do bebé com astigmatismo?

O tratamento do astigmatismo no bebé dependerá grandemente da avaliação do oftalmologista e do grau da mesma.

Por norma, quando o astigmatismo é ligeiro, este não requer tratamento. Já as formas mais intensas do mesmo, que impactam na qualidade de visão, precisarão de correção através de uma de duas formas:

– Óculos (ou, mais tarde, lentes de contacto);
– Cirurgia refrativa.

Em crianças, os óculos são geralmente a primeira escolha dos especialistas, sendo que existem, inclusivamente, óculos direcionados para as crianças mais pequenas, resistentes a queda e pensadas para que o bebé não se magoe.

A cirurgia de correção só costuma ser feita na idade adulta.

Já conhecia os principais sinais de que está perante um bebé com astigmatismo? O seu filho apresentou este problema de visão? Conte aos restantes leitores do Bebé a Bordo como identificou as dificuldades de visão do seu filho.

Poderá ter interesse também em:

–  Bebé com conjuntivite neonatal, o que precisa de saber

–  Unhas fracas depois da gravidez, o que posso fazer?

Algumas fontes: saudecuf medicalnewstoday omeubebe webmd

ARTIGOS REMOMENDADOS
ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo