Parto dentro de água, dúvidas e benefícios

O parto dentro de água tem sido altamente evocado nos últimos anos. Entre os seus adeptos e os seus críticos, este tipo de parto tem vindo a tornar-se mais comuns e existem já vários espaços que o permitem. Sabe quais os benefícios do parto dentro de água?

Se tem dúvidas quanto a este tipo de parto, este é o momento certo para as esclarecer com o Bebé a Bordo.

A hora H é um momento muito especial para as gestantes, sendo que todo o processo vivido ao longo de 9 meses está prestes a concretizar-se com o nascimento da criança.

Desta forma, como não podia deixar de ser, as mamãs encontram milhares de questões para colocar sobre o mesmo, querendo garantir que tudo corre conforme o planeado e com o mínimo de ansiedade possível.

Algumas das questões que a mamã colocará sozinha ou ao seu médico, antes de chegar o dia do parto, dizem respeito ao tipo de parto (normal ou cesariana), à presença do pai na sala durante a hora do nascimento, ou até se pode ou não usar verniz de gel neste momento.

Além disto, muitas mulheres querem também saber mais sobre o que devem colocar na mala da maternidade ou sobre quão dolorosa será, para elas, a epidural.

A diversidade de questões que podem ser colocadas no que diz respeito à hora do parto é enorme e faz sentido. Juntando-se a elas, uma questão muito importante é relativa à forma como a mulher quer, efetivamente, dar à luz.

E é justamente nestes meandros que surge uma opção cada vez mais aclamada: o parto dentro de água.

O parto na água tem, desde há vários anos, sido alvo de estudos, encontrando-se vários benefícios no recurso a este método. Ainda assim, vozes de oposição, relembram também os perigos inerentes ao mesmo.

Sabe em que consiste o parto dentro de água? Conhece os seus benefícios e os seus riscos?


Então, está na hora de tirar todas as suas dúvidas para tomar uma decisão informada quanto à forma como será o seu parto.

Parto dentro de água: em que consiste?

O parto dentro de água é um processo de dar à luz que acontece, por norma, numa banheira ou piscina repleta de água quente.

Este é um método cada vez mais escolhido pelas mulheres e parte da teoria de que o ambiente criado pelo recipiente de água quente, permite ao bebé uma transição menos abrupta para o nosso mundo, criando um espaço mais similar ao que ele conheceu até então, no útero, por entre o líquido amniótico.

Além disso, acredita-se também que este meio de dar à luz poderá ser menos stressante para a mulher grávida.

Muitos especialistas (incluindo obstetras e parteiras) têm vindo a validar a opção do parto dentro de água, acreditando que este permite um momento mais calmo e que contribui para a redução de complicações fetais.

Ainda assim, estes reforçam igualmente a necessidade de que todo o processo seja acompanhado por um profissional qualificado.

Tendo sido idealizado originalmente por Michael Ondent, um médico francês, este tipo de parto poderia ser realizado numa clínica/hospital com os meios para tal ou na própria casa da gestante, sendo que a água deveria ser mantida entre os 35 e os 37ºC, para garantir um ambiente adequado e que favoreça os movimentos da mãe.

Quais os benefícios do parto dentro de água?

Vários benefícios se associam a este tipo de parto, tanto para a mulher grávida como para o seu bebé. Para a mãe, os principais benefícios apresentados são:

– O conforto e relaxamento permitidos pela água quente;
– O menor peso corporal da mãe e a sua ajuda no processo, nomeadamente através de uma maior permissão de movimentos e de posições no processo de dar à luz;
– Melhoria da pressão sanguínea e contrações uterinas mais eficazes;
– Redução das dores de parto, mesmo sem recurso a uma anestesia;
– Redução do stress pela minoração das hormonas relacionado com o mesmo (noradrenalina e catecholaminas) e estímulo da produção de endorfinas (hormonas que promovem a sensação de bem-estar);
– Melhoria da mobilidade da gestante e aumento das possibilidades de posicionamento da parturiente;
– Melhor capacidade de foco no processo do parto devido a uma maior sensação de privacidade e a uma redução dos medos e ansiedades relacionados com a hora H.

Já para o bebé, outros benefícios têm também sido mencionados, destacando-se os seguintes:


– Criação de um ambiente similar ao experimentado pelo feto durante a permanência no útero da mãe;
– Redução do choque sentido pelo bebé na passagem do meio uterino para o nosso mundo;
– Aumento da sensação de segurança e conforto do bebé.

Existe algum risco associado ao parto dentro de água?

Embora, percentualmente, as mulheres que embarcam no parto dentro de água enalteçam mais o lado positivo da experiência, a verdade é que este não é totalmente livre de riscos e não se adequa a todas as gestantes.

Este tipo de parto deve ser evitado nos quando:

– a mãe experimentou uma gravidez de risco;
– o bebé tem um peso superior a 4,5 quilos;
– a mãe sofre de herpes ou tem uma infeção;
– se trata de uma gravidez múltipla;
– é um parto prematuro;
– existe uma probabilidade clara da mãe ter toxemia ou preeclampsia.

Além disto, segundo estudos da Royal College of Obstetricians and Gynecologists, teoricamente o parto dentro de água poderia também levar a situações de hemorragias e embolismo.

Estava familiarizada com a realidade do parto dentro de água? Foi esta a forma como escolheu trazer o seu filho ao mundo? Conte como foi esta experiência às restantes mamãs do Bebé a Bordo.

Algumas fontes: maesdagua americanpregnancy vilamulher healthline gestacaobebe

ARTIGOS REMOMENDADOS
ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo