Depressão pós-parto, os primeiros sintomas

Os primeiros sintomas da depressão pós-parto

Ter um filho é o momento mais importante da vida de uma mulher.

Infelizmente, as mudanças que ocorrem ao longo da gestação nem sempre criam, na mulher, um sentimento que se conjugue com a alegria do momento.

A concretização da maternidade – ainda que muito desejada – pode criar nas mulheres um estado depressivo, frequentemente conhecido como depressão pós-parto.

Com sintomas diversificados e prementes, este tipo de depressão afeta cerca de 14% das gestantes, prejudicando o seu quotidiano individual e os seus relacionamentos, quer com o seu companheiro como com o próprio bebé.

As razões para o aparecimento deste tipo de depressão partem de vários estímulos, sendo alguns deles físicos e outros emocionais.

As alterações provocadas pela própria gravidez no cérebro da mulher podem contribuir para este sentimento negativo.

Tratando-se de um dos cenários mais negros da maternidade, torna-se importante compreender as razões que levam a este tipo de depressão e os seus primeiros sintomas.

Uma identificação mais célere do problema poderá, pois, fazer toda a diferença no momento de procurar a sua resolução.

Acompanhe-nos para saber tudo sobre a depressão pós-parto.

1. Depressão pós-parto: a origem

Como referimos, a origem da depressão pós-parto parte de fatores físicos e emocionais.

A nível físico, após o parto, assiste-se a uma quebra muito significativa a nível hormonal, havendo uma redução brusca na produção de estrogénio e progesterona.

A queda destas e de outras hormonas faz com que a sensação de cansaço se intensifique, bem como a tristeza súbita.

As alterações de humor pode ainda ser causadas pela redução no volume sanguíneo e as alterações de pressão arterial.

Emocionalmente, a mulher lida, nesta fase, com um novo estilo de vida, onde a privação de sono e o stress são realidades comuns.

Além disso, o olhar sobre o espelho e sobre as mudanças do corpo (que leva o seu tempo a retomar a forma) pode constituir também um fator de incentivo à depressão.

Outros fatores que podem desencadear esta situação são as dificuldades vividas no momento da amamentação, a alteração brusca de rotinas ou a falta de apoio por parte da família e/ou do companheiro.

2. O que é a depressão pós-parto?

Tendo a sua origem nos fatores enunciados, a depressão pós-parto pode ser definida como uma sensação de profunda tristeza ou cansaço, que se reflete nas capacidades físicas e mentais da recém mamã.

Na maioria das mulheres que passa por esta situação, a depressão pós-parto surge como um problema temporário, não havendo uma evolução visível.

No entanto, em casos mais severos, esta depressão pode ter consequências bastante nocivas, afetando a mulher e os que a rodeiam.

É, por isso, importante que seja tratada assim que surgem os primeiros sintomas.

3. Os primeiros sintomas de depressão pós-parto

Reconhecer os primeiros sintomas deste tipo de depressão é crucial para garantir o seu tratamento e evitar que esta evolua para situações mais graves.

Entre os primeiros sintomas de depressão pós-parto estão a redução de energia, o cansaço profundo e constante, a sensação de tristeza permanente ou de vazio emocional (apatia).

Em alguns casos, as mamãs sentem-se bastante irritadas, passando por momentos de choro compulsivo e crises de ansiedade.

A falta de auto-estima, as variações bruscas de apetite e peso, o sentimento de pessimismo e a dificuldade de concentração são também fatores de alerta.

Além destes, a mamã poderá ainda ter uma constante indecisão, mostrar desinteresse pela criança ou pelo parceiro ou, em casos mais graves, ter pensamentos suicidas ou fazer, mesmo, tentativas de terminar a própria vida.

4. Tratar a depressão pós-parto

A depressão pós-parto pode e deve ser encarada como uma doença que necessita de ser tratada, não devendo os familiares e amigos ignorar os sinais de alerta.

Perante a suspeita deste tipo de depressão é de extrema importância o contacto com um médico, que orientará a mamã, consoante as necessidades, para um psicólogo ou um psiquiatra.

O tratamento da depressão pós-parto é feito com recurso a psicoterapia ou, em casos mais graves, a antidepressivos.

Sofreu ou conhece alguém que tenha sofrido de depressão pós-parto? Quais os sintomas que reconheceu?

Não deixe de partilhar a sua experiência pessoal, ela poderá ser importante para outras mamãs na mesma situação.

ARTIGOS REMOMENDADOS

Comente este artigo